Publicidade:

Quilha inteligente coleta dados da sessão de surf. Entenda

Os surfistas que remam com a nova “Smartfin” – ou quilha inteligente, na tradução livre, em desenvolvimento na universidade de San Diego, podem transformar a sessão de surf em uma oportunidade de pesquisa.

A revista da escola destacou a ferramenta inovadora de coleta de dados esta semana, explicando como ela funciona.

VEJA: Medina de fora; Nathan, de 43 anos, como wildcard e Yago Dora confirmado no Tahiti Pro

Os pesquisadores equiparam a ferramenta com sensores de temperatura e localização que carregam informações para a nuvem. Os cientistas podem então analisar os dados e entender melhor as condições da água perto da costa, onde normalmente é difícil coletar informações por conta da turbulência das ondas.

A Smartfin é criação do Dr. Andrew Stern, um neurologista aposentado que fez uma grande doação para a Scripps Institution of Oceanography e a Jacobs School of Engineering para incentivar os pesquisadores a explorar os usos da ferramenta.

CONFIRA: Uma tonelada é o peso que aguenta um big rider em uma vaca em onda de 10 metros de altura

Agora, o projeto é liderado por dois professores – um atualmente trabalhando na UCSD e outro que é ex-aluno da Scripps – e uma equipe de engenheiros-alunos.

Os jovens cientistas enfrentam desafios que variam de várias disciplinas, incluindo conceitos de computação e desafios de engenharia mecânica, segundo Ioana Patringenaru, da UCSD. Eles também precisam responder às necessidades dos cientistas marinhos e garantir que a ferramenta seja capaz de fornecer os dados de que precisam.

O projeto começou em 2016 e os pesquisadores trabalham desde então para iterar no dispositivo original e desenvolver algoritmos que os ajudem a interpretar os dados. Até agora, centenas de surfistas os estão usando em testes, principalmente por meio de uma parceria com a Surfrider Foundation.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias