Jordy Smith é eliminado e título fica entre Medina, Italo e Kolohe. Florence (foto) e Slater fazem apresentações impressionantes no 2º dia de Billabong Pipe Masters

Por Redação HC

A corrida ao título mundial de 2019 teve seu quórum reduzido de cinco para três surfistas após um longo dia de competição nesta quarta (11) na bancada de Banzai Pipeline. O segundo dia de Billabong Pipe Masters viu a eliminação de Filipe Toledo e Jordy Smith, limitando a briga pelo caneco a Italo Ferreira, Gabriel Medina e Kolohe Andino — os três venceram suas bateristas na terceira rodada, que foi disputada inteira no formato de baterias simultâneas de 50 minutos.

Os grandes destaques do dia não foram nenhum desses, entretanto.

John John Florence fez a melhor apresentação combinada do evento até agora, com 18,50 pontos na bateria em que não apenas atropelou Ezekiel Lau como despachou o colega havaiano de volta para o QS. Escolha de ondas, posicionamento no pico, a força e a direção de cada movimento: tudo na mais perfeita sintonia com as bombas de Banzai.

A nota mais alta foi para o surfista mais velho e mais vencedor, do circuito e de Pipeline, Kelly Slater, o bode (GOAT). Kelly tirou a única nota 10 da etapa até agora num tubo de quatro ou cinco sessões que começou em Backdoor e terminou desabando em placas já de águas branca espumada em Off The Wall.

Kelly estava na água junto com Medina nessa hora — Slater enfrentava o francês Joan Duru, também eliminado do circuito com a derrota, e Medina pegava o vice-campeão das triagens, o jovem havaiano Imaikalani Devault.

Gabriel vinha surfando muito, como de costume, e acumulava a melhor pontuação da rodada até aquela altura, 17,07 pontos — 8,50 por um tubo mais no inside seguido de aéreo muito alto, 8,57 por outro tubo para a esquerda, com uma entrada de soul arch que fez derreter o coração dos puristas do estilo. Depois das duas ele ainda completou um tubo bizarro numa onda imensa que fechou inteira, saindo pela porta do cachorro e aguentando um tranco de um jeito que talvez só ele consiga. Medina estava se divertindo no line-up mais temido do mundo.

Entretanto, Pipe é Pipe e o destemido local de Maui — que obviamente alguns meses de cada inverno no litoral norte de Oahu — remou em uma esquerda enorme e muito comprida, uma onda grande e perfeita, talvez a mais perfeita do dia, e completou um lindo tubo de backside. Nota acima dos nove pontos para não apenas sair de combinação: ele precisava de pouca coisa, agora, para superar Gabriel. O brasileiro perde a prioridade a seis minutos do final e proporciona um teste pra cardíaco, o mundo com os olhos travados no horizonte de Pipeline à espera da onda que poderia derrubar o atual campeão da etapa. Ela não veio e Medina passou.

Italo tinha começado o dia, na primeira bateria, vencendo um duelo nervoso de notas baixas com seu conterrâneo Jadson André.

Surfando sempre na primeira bateria, pode-se dizer que Italo tem alguma vantagem. Não deve ser fácil entrar na água depois de ver Medina somar high-score atrás de high-score.

Ele enfrenta na próxima rodada o surpreendente Peterson Crisanto, que venceu Conner Coffin neste que foi apenas o segundo surf em Pipe em toda sua vida. A vitória provavelmente o qualificou para a disputa do CT em 2020.

Quem também briga pela permanência é Jesse Mendes, que deu um grande e importante passo nessa direção ao derrotar Jordy Smith no final do dia.

Ao todo, o dia viu quatro eliminações da elite: Willian Cardoso, Ezekiel Lau, Joan Duru e Sebastian Zietz.

Billabong Pipe Masters – resultados e próximas bateria

Terceira rodada:
1. Italo Ferreira 8,53 x 7,20 Jadson André
2. Peterson Crisanto 10,17 x 9,77 Conner Coffin
3. Yago Dora 11,30 x 10,50 Owen Wright
4. Julian Wilson 8,30 x 3,40 Willian Cardoso
5. Ricardo Christie 11,04 x 9,84 Filipe Toledo
6. Jack Freestone 11,76 x 7,53 Ryan Callinan
7. Seth Moniz 15,26 x 13,00 Billy Kemper
8. Kelly Slater 17,33 x 14,23 Joan Duru
9. Gabriel Medina 17,07 x 13,90 Imaikalani Devault
10. Caio Ibelli 8,84 x 4,43 Wade Carmichael
11. John John Florence 18,50 x 4,50 Ezekiel Lau
12. Soli Bailey 9,10 x 7,54 Kanoa Igarashi
13. Jesse Mendes 9,10 x 7,50 Jordy Smith
14. Griffin Colapinto 9,34 x 9,10 Adrian Buchan
15. Michel Bourez 15,24 x 8,94 Deivid Silva
16. Kolohe Andino 10,17 x 8,33 Sebastian Zietz

Oitavas de final:
1. Italo Ferreira x Peterson Crisanto
2. Yago Dora x Julian Wilson
3. Ricardo Christie x Jack Freestone
4. Seth Moniz x Kelly Slater
5. Gabriel Medina x Caio Ibelli
6. John John Florence x Soli Bailey
7. Jesse Mendes x Griffin Colapinto
8. Michel Bourez x Kolohe Andino