26 C
Papeete
segunda-feira, 27 maio, 2024
26 C
Papeete
segunda-feira, 27 maio, 2024

Pesquisadores investigam olho do furacão Fiona com veleiro

Uma empresa chamada Saildrone está ajudando os pesquisadores a gravar dados e vídeos do furacão Fiona. O “veleiro” utilizado, é um veículo de superfície não tripulado movido a energia solar e eólica capaz de missões de coleta de dados de até 12 meses em mar aberto.

Enfim, não há muitas opções de monitoramento sobre como é a ação no centro de um furacão de categoria 4 no meio do oceano.

+ Miguel Pupo mira Olimpíadas e diz: “Meu objetivo é ser campeão mundial do CT. Acredito ser possível”

Então a empresa se uniu a pesquisadores da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica recentemente e enviou um de seus mini-veleiros a cerca de 360 ​​milhas a sudeste das Bermudas para registrar as ondas, vento, chuva e a ira do furacão Fiona.

O objetivo era colocar os drones o mais próximo possível do olho de um furacão, então eles enviaram quatro máquinas separadas para o Golfo do México e o Oceano Atlântico quando ainda era apenas uma tempestade tropical no final de semana, eventualmente passando para a categoria 1 de furacão.

O Saildrone Explorer SD 1078 trouxe de volta imagens de toda a loucura, com ondas de até 15 metros e ventos de mais de 160 km/h.

“Os dados que os veículos Saildrone estão coletando ajudarão a comunidade científica a entender melhor a rápida intensificação, dando às pessoas que vivem em nossas comunidades costeiras mais tempo para se preparar”, disse Richard Jenkins, fundador e CEO da Saildrone.

“Sistemas não tripulados no ar, na superfície do oceano e subaquáticos têm o potencial de transformar a forma como a NOAA cumpre sua missão de entender melhor o meio ambiente”, acrescentou o capitão Philip Hall, diretor do Centro de Operações de Sistemas Não Tripulados da NOAA.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias