26 C
Papeete
quinta-feira, 23 maio, 2024
26 C
Papeete
quinta-feira, 23 maio, 2024

Pepê Lopes, ícone do surf e do voo livre, ganha filme biográfico

A história de Pepê Lopes, um dos esportistas mais emblemáticos dos anos 80, será eternizada em um filme biográfico. A produção, que ainda está em desenvolvimento, promete ser um retrato emocionante da trajetória do atleta que desafiou limites e inspirou uma geração.

Nascido em Ipanema, no Rio de Janeiro, Pepê Lopes se destacou como uma figura icônica nos esportes radicais. Em 1976, aos 19 anos, ele se tornou o primeiro brasileiro a vencer uma etapa do Circuito Mundial de Surf, conquistando o Waimea 5000, realizado no Arpoador.

Pouco depois dessa conquista memorável, no mesmo ano, Pepê elevou ainda mais seu status ao se tornar o primeiro surfista do país a chegar à final da lendária etapa de Pipeline, no Havaí, em 1976. O feito só foi repetido 38 anos depois, por Gabriel Medina.

Pepe Lopes em Pipeline, onde fez história como primeiro finalista brasileiro num Pipe Masters, em 1976. Foto: Framegrab vídeo Pepe Lopes/Encyclopedia of Surfing

Sua jornada também se desenrolou durante um período delicado da história brasileira, marcado pela ditadura militar, onde sua coragem e determinação representavam não apenas a busca por desafios esportivos, mas também a resistência e a busca pela liberdade em um contexto repressivo.

Mais do que um talento nas ondas, Pepê era um símbolo de ousadia, característica que o impulsionou a migrar para o voo livre no final dos anos 70. Em 1981, ele conquistou o título mundial de voo livre em Wakayama, no Japão.

No entanto, sua vida também foi marcada por tragédias que testaram sua resiliência. Em 1984, durante uma competição em Governador Valadares, em Minas Gerais, ele sofreu um grave acidente que o deixou à beira da morte. Ao tentar fazer um pouso forçado, Pepê perdeu o baço. Após 40 dias de internação na cidade mineira, recebeu alta e voltou para o Rio de Janeiro. Seu estado de saúde, contudo, não era nada animador.

Extremamente debilitado, Pepê foi internado às pressas e descobriu que estava com um rim necrosado. Isso exigiu uma cirurgia urgente para remover o órgão afetado.

Mesmo após o período difícil de recuperação, o atleta demonstrou uma determinação inabalável em retornar às competições e continuar desafiando seus próprios limites.

No entanto, em 4 de abril de 1991, durante o Mundial de Asa Delta no Japão, Pepê enfrentou seu destino final no mesmo local que 10 anos antes fora palco do seu título mundial. Um trágico acidente durante a competição tirou sua vida aos 33 anos de idade, deixando uma lacuna irreparável no mundo dos esportes radicais.

+ Peter Mel surfa onda de um minuto em Mavericks

A cinebiografia de Pepê Lopes será dirigida por Lipe Binder, conhecido por seu trabalho em séries como “No Fio da Navalha” e “Arcanjo Renegado”. O roteiro ficará por conta de Patrícia Andrade, roteirista de filmes como “Dois Filhos de Francisco” e “Gonzaga: De Pai pra Filho”.

O filme abordará a trajetória profissional do atleta, desde as primeiras ondas em Ipanema até o auge no voo livre. A produção também explorará sua vida pessoal, marcada pelo casamento com Ana Carolina Gayoso e o nascimento dos seus filhos Bianca e João Pedro.

A cinebiografia de Pepê Lopes é uma oportunidade para que as novas gerações conheçam a história desse atleta visionário que desafiou limites e deixou um legado inigualável nos esportes radicais.

Ficha técnica

Direção: LIPE BINDER
Roteiro: PATRÍCIA ANDRADE
Direção de fotografia: MAURO PINHEIRO
Produção: MARCIA BRAGA e ELIANA (LILI) SOÁREZ

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias