Espécie de verme do mar, o animal popularmente conhecido como “peixe-pênis” existe a 300 milhões de anos e pode ser consumidos pelos seres humanos

Por Redação HC

A praia de Drakes Beach registrou a invasão de milhares de “peixes-pênis”, após as tempestades que aconteceram sobre as praias da costa oeste da Califórnia.

O “peixe-pênis” é um invertebrado conhecido como um “verme gordo hospedeiro”, que vive em tocas cavadas em solos arenosos do fundo do mar. De cor avermelhada e pontas redondas, o nome é sugestivo para a comparação com o órgão reprodutor masculino. As extremidades servem tanto para locomoção como para fixação e alimentação.

Veja também:
– Tubarão “voa” em cima de surfista de 7 anos nos EUA; assista

Segundo os especialistas, é comum as fortes tempestades arrastarem essas criaturas para as praias, pois são muito leves e quase não possuem defesa. E são presas fáceis fora de suas tocas, alimento preferido de gaivotas, tubarões, lontras e, mesmo pela surpresa da aparência, pelos seres humanos, sem contra indicação para o consumo.

Os peixes-pênis são criaturas inofensivas e vivem aproximadamente por 25 anos, se alimentam de bactérias e plâncton, capturadas por uma espécie de rede gosmenta produzida pelo próprio verme. As suas tocas são apenas um lar temporário, pois quando abandonam os buracos, outras criaturas subaquáticas aproveitam os espaços já criados. O verme mede até 20 cm, mas as tocas podem ter muitos metros de profundidade.

“PEIXE-PÊNIS”: URECH CAUPO

Urechis caupo é o nome científico do peixe-pênis, que possui evidências fósseis que datam de 300 milhões de anos. Comumente encontrados nas praias dos Estados Unidos, também com relatos de aparecimento e pesca na Ásia, especialmente no Japão, Coréia do Sul e China.