Publicidade:

Medina ironiza julgamento da WSL após polêmicas em El Salvador

O título de Griffin Colapinto na etapa de El Salvador do Championship Tour (CT) da WSL foi repleto de polêmicas e deu o que falar. Eliminado pelo americano nas semifinais, Medina, mais uma vez, demonstrou ter ficado insatisfeito com os julgamentos e compartilhou indiretas nas redes sociais.

“Eu já entendi o recado”, postou ele no Twitter pouco tempo depois da bateria.

Apesar das notas das competições de surf serem relativamente subjetivas, de uns tempos pra cá a comunidade brasileira tem se sentido prejudicada com os julgamentos. Na última sexta-feira, dia final da competição, a bateria de Gabriel Medina contra Colapinto foi extremamente polêmica.

Surfistas e responsáveis pela transmissão da SporTV, Claudinha Gonçalves e Alejo Muniz, questionaram ao vivo a supervalorização das notas do americano, enquanto as ondas de Medina aparentemente não receberam o mesmo critério.

Veja mais:

WSL – A caixa preta vai virar caixa furada?

Julgamento da WSL vira piada aberta entre Medina, Toledo e cia

Big riders questionam transparência e postura da WSL com o big surf

Além disso, o americano conseguiu a virada da bateria da semi após longa demora na divulgação das notas, que saiu quando o cronômetro já havia zerado. Ele precisava tirar uma nota 4.67 e os juízes deram 4.80, em mais uma nota que foi questionada por amantes do esporte, especialistas e atletas.

Posteriormente, na final, Filipe Toledo também não conseguiu vencer o americano e o resultado também gerou muita revolta nas redes sociais. A final chegou a estar empatada em 16.00 pontos, mas o brasileiro tinha a melhor onda da bateria (9.57) e, por isso, levava a disputa.

Nos minutos finais da bateria, entretanto, Colapinto pegou uma onda e os juízes deram a virada com a nota de 8.00 pontos, que também foi considerada supervalorizada por parte da comunidade do esporte. Além do julgamento ter demorado para sair, também não foram divulgadas na hora, como de praxe, as notas individuais de cada um dos cinco árbitros da WSL. No visor da transmissão, apareceu a nota 8 e só.

Logo depois da divulgação do resultado, Medina postou mais uma mensagem irônica. “Eu não vou falar nada”

Ricardinho Toledo, pai de Filipe, também demonstrou sua revolta e afirmou que o seu filho é “o verdadeiro campeão” e que a entidade “outra vez” prejudicou o brasileiro. Em 2017, na etapa de Saquarema, Toledo chegou a ser suspenso pela WSL por invadir a área destinada aos juízes depois da sua bateria, na qual foi anotada interferência do brasileiro em cima de Kanoa Igarashi.

Surfista de ondas grandes processa WSL depois de quase morrer afogado em Nazaré

Depois disso, os atletas passaram a tomar muito cuidado com as reclamações com medo de punições. No entanto, atualmente, muitas das polêmicas envolvendo as decisões da WSL não estão sendo bem digeridas pelos Brazilian Storms e a tensão tem aumentado a cada etapa do circuito.

Um dos stories de Ricardinho Toledo, após a virada de Griffin Colapinto – Foto: reprodução
Ricardinho Toledo fez diversas postagens ironizando o julgamento da WSL – Foto: reprodução

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias