23 C
Papeete
quarta-feira, 22 maio, 2024
23 C
Papeete
quarta-feira, 22 maio, 2024

Kai Lenny denuncia abandono das vítimas de Maui em rede nacional

Em meio à devastação deixada pelos incêndios avassaladores em Maui, uma voz muito conhecida no cenário do surfe mundial se pronunciou para denunciar a negligência do governo em relação à tragédia. Kai Lenny, renomado surfista profissional nativo da ilha havaiana, não poupou a postura das autoridades em uma entrevista concedida a CBS News, divisão de notícias de uma das maiores redes de televisão dos Estados Unidos.

Leia mais:

+ Juiz absolve surfista português acusado de agredir brasileiro em praia da Ericeira

+ Finalizado o Tahiti Pro, a lista completa de quem já está nas Olimpíadas

+ Imagens do último swell em Skeleton Bay voltam a instigar imaginário dos surfistas

Lenny relatou que nos dias que se seguiram à tragédia, ele teria entrado em contato com pessoas trabalhando voluntariamente no resgate das vítimas, que denunciaram a ausência do poder público em suas áreas. Ele compartilhou que recebeu mensagens de amigos, os quais perguntavam se ele poderia oferecer auxílio. Isso o levou a agir diretamente, providenciando suprimentos para aqueles que necessitavam, com o propósito de oferecer apoio aos amigos e familiares até que medidas de ajuda mais abrangentes pudessem ser implementadas.

“Havia muitos de nós esperando por ajuda, aguardando que algo acontecesse, mas nada estava se desenrolando da maneira que esperávamos”, disse ele. Sua frustração e descrença na eficácia das medidas governamentais ficaram evidentes.

A ausência de ação por parte das autoridades foi tema central da entrevista. “Nenhum representante estadual, do condado ou federal foi visto em nenhum dos centros de doações onde as pessoas estão mais necessitadas”, denunciou Lenny. Ele também destacou a situação precária de indivíduos que estavam sendo forçados a dormir em seus carros e fazer apelos desesperados por recursos básicos.

A fala do surfista não foi apenas uma crítica, mas um chamado à ação. Ele comparou a situação na costa oeste de Maui a “um país do terceiro mundo”, enfatizando o sentimento de abandono sentido por muitas vítimas. “O povo havaiano, aqueles que vivem aqui, sempre têm a sensação de serem os últimos a serem lembrados. Eles são a base disso tudo”, ressaltou Lenny com convicção.

Enquanto o número de mortes continua a aumentar e muitos permanecem desaparecidos, as agências governamentais, incluindo a FEMA e a Cruz Vermelha, também estão sendo criticadas pela opinião pública.

A entrevista de Lenny gerou um intenso debate nacional, com líderes locais e estaduais sendo confrontados sobre sua reação à crise.

O surfista também destacou o incansável esforço de voluntários, alguns dos quais perderam suas próprias casas e têm trabalhado dia e noite em abrigos e centros de distribuição.

“Me pergunto se o estado, o condado, acreditam que estamos fazendo um trabalho tão bom que não precisam intervir”, refletiu. “Mas muitos desses voluntários têm trabalhado o dia todo, a noite toda, por cinco, seis dias seguidos, e estão exaustos, aguardando uma substituição, ou pelo menos uma pausa.”

Assista a entrevista abaixo:

*Você pode incluir legendas em português ao clicar no símbolo de engrenagem, depois traduzir para inglês. Clique novamente e selecione “traduzir automaticamente”. Uma barra com diversas línguas aparecerá. Selecione português.

Quer doar e ajudar os necessitados em Maui? 

É possível oferecer ajuda às vítimas desse trágico evento e à comunidade que sofreu com os impactos do incêndio, diversas organizações estão disponibilizando a opção de contribuição financeira através da internet. A Fundação Comunitária do Havaí lançou o programa “Fundo Maui Forte” com o intuito de apoiar os moradores que foram afetados por essa catástrofe.

As contribuições em dinheiro são bem-vindas e podem ser realizadas acessando o site www.hawaiicommunityfoundation.org/maui-strong. Adicionalmente, a Maui United Way também está recebendo doações por meio do link www.mauiunitedway.org/disasterrelief.

Ajuda direta a brasileiros

No caso dos surfistas brasileiros, é possível doar diretamente através do site gofundme.com clicando nos links abaixo:

Para ajudar Pedro Robalinho clique AQUI.

Para ajudar Inaldo Vieira clique AQUI.

Para ajudar a família de Philippe Chagas clique AQUI.

 

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias