Análise coloca Surf e Skate como os esportes mais promissores e favoritos por medalhas de ouro no Japão

por Redação HC

 

O portal GloboEsporte.com tem feito uma ampla cobertura sobre os esportes olímpicos já classificados para Tóquio 2020. E dentro da série de reportagens, uma em especial sobre análise esportiva de desempenho chamada “Termômetro Olímpico”, revela que o surf e o skate estão entre os esportes Top 10 como as modalidades “com as principais chances de pódio do Brasil em Tóquio 2020”.

Veja também: Kelly Slater diz que radiação no mar do Japão é preocupante para Olimpíadas

A lista é atualizada frequentemente com um ranking de 40 nomes apontados como favoritos nas disputas por medalhas entre todas as modalidades que o Brasil está credenciado na disputa, criando assim uma classificação onde são analisados Currículo, Momento, Tradição, Estrutura, Parte Física.

Segundo a própria reportagem, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) não fala abertamente de metas para os Jogos de Tóquio, mas um número factível de medalhas é superar as 19 conquistadas na Rio 2016. E “com a entrada de esportes como skate e surfe, o Brasil chegará a Tóquio com uma boa possibilidade de quebrar essa marca.”

SKATEBOARD: PALEMA ROSA VERSUS RAYSSA LEAL

A primeira colocação do ranking é da skatista Pamela Rosa, que se manteve na primeira colocação do ranking com “5 estrelas” em todos os quesitos. Pamela ostenta a posição pelo título mundial de Street do skate feminino em 2019 e por sua regularidade nas provas que disputou no ano, ficando nos top 3 em todas as competições. A análise destaca ainda que o Brasil pode fazer dobradinha na modalidade ao apontar a skatista Rayssa Leal como outra favorita a medalha. E coloca a disputa entre países canalizadas entre Brasil, Estados Unidos e Japão.

View this post on Instagram

Orgulho. Passado um dia, orgulho é o que fica. Italo Ferreira não só é o campeão – é o campeão da massa. Alegria e emoção, que como uma onda elétrica que se espalha no ar, contagiam seu surf e quem o assiste. Com a bandeira do Brasil, mas também a do Rio Grande do Norte na cintura: símbolos da superação, da determinação e da fé no talento e no trabalho. Uma conquista engrandecida pelo tamanho do desafio, que tá registrado nessa foto. Daqui, a gente só pode apostar, mas nosso palpite é que o sorriso no rosto de Gabriel Medina é ao mesmo tempo um protocolo de quem já se acostumou a chegar tão longe e um gesto de apreço pelo momento vivido por seu amigo e rival. Mas por dentro, e essa é nossa aposta, ele mastiga essa derrota com a força do maior competidor de sua geração — e um dos maiores que o surf já viu. Ele já passou o bastão a um brasileiro antes — ao gigantesco Adriano de Souza — e depois, voltou a ser campeão. Alguém duvida que pode acontecer de novo? São dois brasileiros no topo de Pipeline e do mundo. Mandando pra casa, no caminho, John John e Kelly Slater, os dois dividindo o banquinho da Kombi. Fala sério! E ainda sabemos que tem mais: Filipe Toledo tem um lugar cativo nessa foto. Uma silhueta ali parada, esperando a sua hora de subir e carregar oa troféus. Se essa projeção parece muito otimista, sua trajetória ao longo dos últimos anos já basta para colocá-lo aí, junto dos melhores. Dentro do Brasil a cena não é a mais animadora, mas ainda assim sabemos que o futuro pode trazer outros campeões: temos os dois últimos mundiais Pro Jr e uma leva de talentos que já sabe muito bem em quem se espelhar. Mas o futuro fica pra depois. Por enquanto, vamos curtir o momento. Parabéns @italoferreira, parabéns @gabrielmedina. Vocês enchem a gente de orgulho. 📷 @wsl / @kc80 #surfbrasileiro #ItaloFerreira #GabrielMedina #TempestadeBrasileira #BrazilianStorm #WSL #PipeMasters

A post shared by Revista HARDCORE (@revistahardcore) on

SURF: ÍTALO FERREIRA VERSUS GABRIEL MEDINA

O atual campeão mundial de surf Ítalo Ferreira é TOP 5 do Termômetro Olímpico. A performance explosiva na vitória emocionante em Pipeline sobre o compatriota Gabriel Medina, credenciou o atleta da Baia Formosa para uma entrada meteórica no ranking do GloboEsporte, colocando-o acima do bicampeão mundial nascido em Maresias.

A análise destaque o ano perfeito do potiguar, “que terminou a temporada como campeão do Circuito Mundial, com direito a vitória na última etapa, no Havaí, a mais tradicional de todas”. E lembra ainda que, “Ítalo foi o primeiro colocado no ISA Games, disputado no Japão, contra os melhores do planeta, aos moldes do que teremos na Olimpíada do ano que vem… Uma espécie de seletiva para Tóquio.”

O detalhe curioso, é que Ítalo sequer constava no ranking do GloboEsporte, e agora surgiu na 5ª colocação, uma posição à frente da Gabriel Medina.

Gabriel Medina por sua vez perdeu três posições no Termômetro Olímpico, caiu da 3ª para a 6ª colocação, mas continua no TOP 10 entre os 40 indicados.

O blog destaca o bicampeonato mundial de Medina, o último conquistado em 2018, mas justifica a queda pelo vice-campeonato em 2019, com a derrota na final em Pipeline, e o terceiro lugar no ISA GAMES, que fora vencido por Ítalo.

TOP 10 TERMÔMETRO OLÍMPICO

O Top 10 do “Termômetro Olímpico” é composto pelos seguintes nomes:

  1. Pamela Rosa (Skate Street)
  2. Isaquias Queiroz (Canoagem)
  3. Beatriz Ferreira (Boxe)
  4. Martine Grael/Kahena Kunze (Vela)
  5. Ítalo Ferreira (Surfe)
  6. Gabriel Medina (Surfe)
  7. Rayssa Leal (Skate)
  8. Vôlei masculino (Vôlei)
  9. Arthur Nory (Ginástica Artística)
  10. Mayra Aguiar (Judô)

Vale ressaltar que outros nomes do surf e skate aparecem entre os Top 40 do Termômetro Olímpico, como Pedro Barros e Letícia Bufoni, em 11ª e 16ª colocação respectivamente, e Tatiana Weston-Webb, apontada como “surpresa” no 28º posto.

Leia também:

Surf nas Olimpíadas de Paris 2024 será em Teahupoo, no Tahiti 

Silvana Lima confirmada nas Olimpíadas de Tóquio 2020