Publicidade:

Hang Loose Surf Attack 2022: Connor Donegan e Sol Carrion vencem a Sub 18

A Praia do Tombo, no Guarujá, São Paulo, foi mais uma vez a sede do Hang Loose Surf Attack 2022, que finalizou no domingo (31/07), a sua segunda etapa, anunciando os últimos cinco campeões que faltavam. E, pela primeira vez, um atleta de fora do Brasil venceu a etapa. Connor Donegan levou a melhor e sagrou-se campeão da principal categoria, a Sub 18. Na mesma categoria Feminino, Sol Carrion, líder do ranking, foi a grande campeã.

O Hang Loose Surf Attack 2022 conta com os patrocínios da Sthill e Mobyou, e homologação da Federação de Surf do Estado de São Paulo. Neste ano vem focado na temática da alimentação saudável. O evento reuniu cerca de 200 participantes, além de atletas de outros países.

Com transmissão ao vivo pelo sistema Wave Data, o mesmo utilizado pela WSL, o evento contou com comentários da santista Kaylane de Souza, Edinho Leite (comentarista da ESPN e do Série ao Fundo) e do ex-surfista Taiu Bueno (um dos melhores big riders do mundo).

Na sexta-feira (29), primeiro dia de competições, os campeões anunciados foram os praiagrandenses Carol Bastides e Vini Palma, ambos na Sub 12 (Masculino e Feminino), e a paranaense Luara Mandelli (Sub 14).

Hang Loose Surf Attack 2022
Natural das Ilhas Canárias (ESP) Connor Donegan foi o primeiro estrangeiro da história a vencer uma etapa do Hang Loose Surf Attack. Foto: Erick Medalha

No sábado (30), com ondas grandes, o destaque foi do paraibano Yuri Barros, vencedor do prêmio Manga Wax Air Show, pela segunda vez, ele foi o vencedor da mesma premiação na etapa de Mongaguá.

Diferentemente do sábado, que rolou ondas com até dois metros de altura, o domingo proporcionou ondas de até um metro, perfeitas e abrindo, e os campeões que conquistaram os últimos pódios desta segunda etapa do Hang Loose Surf Attack mostraram muita disposição dentro do mar.

A Sub 14 Masculino foi a primeira disputa do domingo, numa final emocionante, com decisões nos minutos finais, o guarujaense John Muller sagrou-se o grande campeão, deixando o paranaense Anuar Chiah em segundo lugar. A terceira posição foi para o ubatubense Pedro Henrique. A quarta colocação foi conquistada por outro ubatubense, Kailani Rennó.

Veja também:

Fórum Paulista de Surf formará 90 árbitros

+ Brasileiros têm boa estreia no Vans US Open Surfing

Filipe Toledo em ondas pesadas: “Estamos trabalhando esse lado,” diz Pinga

A paranaense Luara Mandelli venceu mais uma categoria nesta segunda etapa do Hang Loose Surf Attack 2022. Na sexta-feira, ela já tinha faturado a Sub 14 e, agora, mostrou seu surfe e venceu a Sub 16. Sebastianense Giovanna Donato foi a vice-campeã e, na terceira colocação, outra sebastianense, Luana Reis. Representando a Grande São Paulo, Luiza Savoy completou o pódio com o quarto lugar.

A terceira final do dia foi a Sub 16 Masculino, vencida pelo santista João Artur, que liderou praticamente desde o início a bateria.Todos apresentaram muito surfe nas ondas do Tombo. O ubatubense Guilherme Fernandes, que ficou praticamente em último lugar por muito tempo, conseguiu achar boas ondas e dar a virada certa para garantir a segunda colocação. Já o sebastianense Matheus Neves, que começou liderando, se estabilizou em segundo lugar durante a bateria, foi superado nos minutos finais e acabou na terceira colocação. O Bertioguense Daniel Duarte completou o pódio com a quarta posição.

Outra final bem disputada nas ondas do Guarujá foi a Feminino Sub 18, que proporcionou uma final de alto nível. A bateria foi dominada pela atual líder do ranking, Sol Carrion, de São Sebastião, que foi a grande campeã do domingo. A catarinense Maria Amélia figurou no pódio com o segundo lugar. De Caraguatatuba, Gabriela Cury, garantiu a terceira posição e  a Kemily Sampaio, campeã Sub 18 de 2021, finalizou em quarto lugar.

A grande final do dia foi proporcionada pelos atletas da Sub 18 Masculino, com a vitória do atleta das Ilhas Canárias Connor Donegan. A segunda posição ficou com o paraibano Yuri Barros, o vencedor do Air Show. Yuri fez uma bela apresentação nesta segunda etapa do Hang Loose Surf Attack 2022. A terceira posição foi para Fabrício Rocha, de São Sebastião, e João Artur, vencedor da Sub 16, fechou o pódio com a quarta colocação. “Eu estou muito feliz de ter vencido. Quero agradecer ao pessoal de Ubatuba e do Guarujá.Também ao Paulo Kid e todos que me apoiaram aqui no Brasil, onde me sinto em casa”, disse Connor.

Hang Loose Surf Attack 2022
Yuri Barros. Foto: Erick Medalha

Os argentinos Joaquim e Victoria Larreta, também tiveram seus destaques nesta segunda etapa. Victoria foi mais longe, voltou para casa como vice-campeã da Sub 14 e com o prêmio da melhor manobra do Sicrupt Girls Best Trick (melhor manobra). “Eu volto para casa muito feliz por ter vencido com a melhor manobra e ter conquistado o pódio. Adoro esse campeonato”, disse Victoria. Já Joaquim, nono melhor surfista do mundo da categoria Sub 16, não teve a mesma sorte e foi barrado nas semifinais.

Caio Ibelli, que fez carreira neste evento e hoje é atleta profissional WSL, também participou da premiação. “O Hang Loose Surf Attack fez parte da minha vida, aprendi muito competindo neste campeonato. Ele é muito importante na formação desses atletas e espero que ele perdure por muito tempo e sempre revelando novos talentos. É a realização de um sonho participar e poder ajudar nesta premiação”, comentou Caio, que ofereceu um vale-lanche da sua hamburgueria.

Premiação – Ao final do circuito, os atletas de São Paulo, que forem anunciados campeões do ranking Estadual de Categorias de Base 2022, da Sub 18 (masculino e feminino),vão receber, cada um, uma Scooter Elétrica Mobyou, zeradas. Todos os pódios do 1º ao 4º lugares, de todas as categorias, receberam premiação em dinheiro, parafinas Manga Wax, blocos de prancha, leashes, entre outros brindes. A  etapa também reservou R $ 1.000,00, dividido, entre os vencedores do Manga Wax Air Show e Sicrupt Girls Best Trick- melhor Manobra Feminino – (R$500 cada).

Os troféus da 34ª edição do Hang Loose Surf Attack que os atletas levaram para suas casas são produzidos pelo Projeto S.I.R.I , que trabalha seriamente a questão da sustentabilidade, transformando lixo em produtos de arte e investindo cada vez mais na educação e conscientização ambiental.

Cidade Campeã – A cidade que for anunciada campeã, ao final do circuito 2022, terá um crédito com a Federação de Surf do Estado de São Paulo, que se compromete em ajudar na realização da 1ª etapa do municipal de 2023, investindo 4 mil reais em premiação e 1 mil reais no staff técnico. Totalizando o investimento de 5 mil reais. São Sebastião continua na liderança, seguida por Ubatuba, Guarujá, Bertioga, Santos, Praia Grande, Caraguatatuba, Ilha Comprida, Peruíbe, Itanhaém, São Vicente, Grande São Paulo e Mongaguá.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias