Em ondas de até 2 metros na Praia de Pitangueiras, Gabriel André vence final da categoria principal na primeira etapa do Rip Curl Guarujá Open

Por Redação HC, via FMA Notícias

O Rip Curl Guarujá Open de Surf 2019 começou em grande estilo, com um mar com ondas de até 2 metros, num “pico” que não recebia eventos de porte há mais de quatro décadas e, claro, disputas de altíssimo nível técnico. Foram três dias de competição, na Praia de Pitangueiras, junto ao Edifício Sobre as Ondas, reunindo 200 atletas. Neste domingo (11), foram oito finais na água, com destaque para a vitória de Gabriel André, na categoria pro-am.

O surfista de 22 anos, que já foi supercampeão do Circuito em 2011, voltou a vencer “em casa”, com grandes apresentações. Outro primeiro lugar muito comemorado foi de Samuel Alves, mais um talento local, faturando a categoria júnior (sub18), enquanto que na feminina, quem levou a melhor foi Louisie Frumento. Já entre os mais experientes, dois ícones da Cidade ergueram os troféus – Jojó de Olivença, na legends (45+) e Gilmar Silva, na master (35+).

Outras três conquistas ficaram com atletas de São Sebastião. Um deles, velho conhecido no Circuito, Carlos Bahia, na longboard, os pranchões. Na mirim (sub16), Gabriel Dias foi o vencedor e na stand up paddle (SUP) surf, Wellington Reis, superou o favorito Luiz Diniz, bicampeão mundial da categoria. Dois atletas conseguiram o feito de chegar em mais de uma final: Gabriel Dias também foi o quarto na júnior e Sérgio Luan, também de São Sebastião, foi o segundo na sub18 e o quarto na pro-am.

Outras quatro categorias já tinham definido os seus campeões no primeiro dia de disputas. Ryan Araújo na iniciante (sub14), Murillo Coura, também de São Sebastião, na estreante (sub12), Kalani Robles, de Ubatuba, na petit (sub10) e Vini Palma, de Praia Grande, entre os caçulas da sub8. O evento também contou com a Surf Trip Air Show, no sábado, com Wanderson da Silva, faturando os R$ 200,00 de prêmio pelo melhor aéreo. O mesmo Wanderson também chegou até a final da pro-am, ficando na terceira posição.

BAHIA – Neste domingo, a primeira final no mar foi a dos pranchões e Bahia liderou todo o tempo. Marcelinho do Tombo ainda esboçou uma reação, inclusive com a melhor nota da bateria, um 8,30, mas terminou em segundo lugar. “Sempre venho para este campeonato. É uma base, um treino e um nível bem alto sempre”, afirmou o atleta de 36 anos, campeão brasileiro profissional em 2006 e 2017.

Na master, Gilmar Silva não deu chances aos adversários, garantindo a maior média do evento, 16,67 pontos de 20 possíveis, com notas 8 e depois 8,67 para consolidar a vitória. Ao sair do mar, comemorou a vitória com seus dois filhos, Kauê, de 16 anos, e Mateus, de seis, em pleno Dia dos Pais. “Vencer é sempre bom, em casa é melhor ainda. A família toda apoiando, os amigos, meus atletas. Estou muito feliz. É a primeira vez que o Kauê está presente ao evento. Muita emoção por ser o Dia dos Pais e não tinha presente melhor do que vencer com eles aqui”, vibrou o atleta de 36 anos.

Entre as meninas, Louisie saiu na frente, com uma nota 5,33 e manteve a ponta. O destaque foi Luana Reis, de São Sebastião, com apenas 11 anos, brigando pela vitória, mesmo em ondas grandes. Ao sair, a campeã comemorou com seu pai, o experiente shaper e ex-competidor de longboard, Luiz Juquinha.

“Já estava com saudades dessa sensação. Esse foi apenas o meu segundo campeonato esse ano, por conta da falta do apoio financeiro. Tenho de trabalhar para conseguir competir e não tenho muito tempo e oportunidade”, desabafou a atleta. “Foi muito bom vencer e ainda pegar altas ondas. Competir no Sobre as Ondas é épico. Esse foi o melhor presente que o meu pai poderia receber”, complementou Louisie, de 19 anos.

Na mirim, o início foi disputado entre Gabriel Dias e Gustavo Giovanardi, de Praia Grande, mas depois o vencedor consolidou a ponta com um 8,17. “Fiquei feliz em chegar em duas finais nesse campeonato, que é muito forte e estar surfando bem. Essa vitória foi para o Reis”, disse o atleta, dedicando o primeiro lugar ao pai, Reis Souza.

JOJÓ – Depois da nova geração no mar, foi a vez dos mais velhos da legends, e Jojó foi o melhor. “Estou gordo, fora de forma. Está difícil, a remada está mais lenta”, brincou o sempre animado Jojó. “Essa final foi legal, os meninos ali surfando muito bem. A galera está com o surf no pé e se vem onda boa, faz a nota. Dei sorte de conseguir uma onda boa e deu certo. Mais um caneco”, comentou o atleta de 52 anos, elogiando a criação da categoria legends.

“É legal, é um fomento bem bacana para os atletas e representa família, história, perseverança e tanta coisa boa. O surf no pé, água salgada na vida, qualidade de vida e life style 100%”, ressaltou o bicampeão brasileiro profissional e que também disputou a elite do surf mundial. “Saí do CT em 98 e iniciei no master em 2010. Também tenho a minha ONG, de responsabilidade social e que venho tocando há 15 anos. É o que me dedico full time”, reforçou.

A final seguinte foi a júnior e Samuel Alves abriu a bateria num ritmo alucinante, na onda da série, para tirar uma nota nove, que fez a diferença. Sérgio Luan tentou buscar o primeiro lugar, mas não alcançou o placar e Luan Hanada, atual campeão da categoria, demorou para “entrar” na disputa e já no final tirou a melhor nota, um 9,33, mas que não foi suficiente, terminando em terceiro.

Samuel Alves no Rip Curl Guarujá Open 2019

Samuel Alves vence a categoria Juniro no Rip Curl Guarujá Open e foi o surfista mais festejado na areia (divulgação)

A comemoração de Samuel, foi sem dúvida, a mais festiva, com o pessoal do CT Lugar ao Sol vibrando muito com a família do atleta. “Quero agradecer a Deus e vim pensando desde o início do campeonato nessa vitória para dedicar ao meu pai (David), que é um guerreiro e faz de tudo para ter comida em casa. A vida não é fácil e quero agradecer a todos que torceram por mim para chegar até aqui”, comemorou com os pais.

No SUP surf, uma final em altíssimo nível técnico. Atual terceiro colocado no ranking mundial, Wellington Reis mostrou estar em grande fase, com a nota 8,33 e depois com 7,17. Luiz Diniz ainda tentou manter a vitória em casa, tirou um 7,60, mas não foi suficiente para mudar o placar. “Competir com o Diniz é sempre pegado, mas eu vim com um objetivo só: era ganhar e nada mais. Fui para o tudo o nada e acabei saindo com a vitória. Agora vou animado para a etapa do Mundial em Nova Iorque e vou com o Diniz”, afirmou o atleta de 26 anos.

PRO-AM – A pro-am fechou o evento e Gabriel André e Giovani Pontes, dois supercampeões do Circuito, abriram a disputa com boas notas. Mas o vencedor consolidou o resultado com um 8,67. Giovani ainda tentou virar o resultado nos segundos finais, mas Gabriel André saiu carregado do mar, para faturar o prêmio de R$ 800,00, oferecido pela Fu Wax, de um total de R$ 2 mil aos finalistas. A premiação da etapa também contou com blocos C-Four aos vencedores.

DECISÃO – A decisão do Circuito Rip Curl Guarujá Open está confirmada para os dias 13, 14 e 15 de setembro, em praia da Cidade a ser definida, de acordo com a previsão das ondas no estilo “The Search”. Na etapa a grande atração será a disputa do título de supercampeão, criado em 2002, e que define o campeão geral, entre os campeões municipais (exceto as categorias sub8, sub10, sub12, feminina e SUP Surf).

Rip Curl Guarujá Open – Resultados da 1ª etapa:

PRO-AM
1 Gabriel André
2 Giovani Pontes
3 Wanderson da Silva
4 Sérgio Luan (São Sebastião)

SUP SURF
1 Wellington Reis (São Sebastião)
2 Luiz Diniz
3 Michel Jonas
4 Leandro Alemão (São Sebastião)

LONGBOARD
1 Carlos Bahia (São Sebastião)
2 Marcelinho do Tombo
3 André Martins
4 Marcos Vinícius

MASTER (35+)
1 Gilmar Silva
2 Maurício Duarte (Santos)
3 Dárcio Dias
4 Murilo Graciola

LEGENDS (45+)
1 Jojó de Olivença
2 Ricardo Pupo
3 Kias de Souza
4 Binho Hanada

FEMININA
1 Louisie Frumento
2 Luana Reis (São Sebastião)
3 Melissa Policarpo
4 Mel Yukari (São Vicente)

JÚNIOR (SUB18)
1 Samuel Alves
2 Sérgio Luan (São Sebastião)
3 Luan Hanada
4 Gabriel Dias (São Sebastião)

MIRIM (SUB16)
1 Gabriel Dias (São Sebastião)
2 Gustavo Giovanardi (Praia Grande)
3 Henrique Liberato (Praia Grande)
4 Derek Matos

INICIANTE (SUB14)
1 Ryan Araújo
2 Roberto Alves (Santos)
3 Murillo Coura (São Sebastião)
4 Tierres Alves (Mongaguá)

ESTREANTE (SUB12)
1 Murillo Coura (São Sebastião)
2 Kalani Robles (Ubatuba)
3 Ryan Araújo
4 Enzo Emídio

PETIT (SUB10)
1 Kalani Robles (Ubatuba)
2 Deryc Silva (Santos)
3 Caleb Simões (Ubatuba)
4 Miguel Medeiros

SUB8
1 Vini Palma (Praia Grande)
2 Léo Yagi (Praia Grande)
3 Pedro Kauã
4 Nathan Butler

SURF TRIP AIR SHOW – Wanderson da Silva, com aéreo de back side

Veja também:
Aula de surf: todos as ondas de Gabriel Medina no Paúba Super Tubos
Inverno pesado: o treino de Rodrigo Koxa em uma laje no Guarujá
Bruno Santos é protagonista do Festival Rocky Spirit