Rodrigo Koxa aproveita temporada de ondulações pesadas no sudeste brasileiro para botar em prática o surf performance em ondas grandes

Por Redação HC

Rodrigo Koxa ganhou o mundo ao bater o recorde da maior onda já surfada. O feito, realizado durante uma tempestade em 8 de novembro de 2017, em Nazaré, Portugal, foi reconhecido em maio de 2018, e desde então ele é o detentor do troféu.

Mas a vida segue e Koxa mantém uma rotina intensa de treinos e preparação para outros desafios — leia-se: qualquer swell monstruoso que aparecer no radar mundial. Especialmente se foi na Praia do Norte, em Nazaré.

Mas outros objetivos também incluem, por exemplo, ter um bom desempenho no BWT, o circuito mundial de ondas grandes da WSL.

Para isso, o guarujaense variou suas opções de treino durante as boas e pesadas ondulações que atingiram o litoral sudeste do Brasil ao longo do inverno. Em uma laje no Guarujá, ele registrou em dois vídeos distintos os treinos focados cada um no aperfeiçoamento de um aspecto de seu surf – backside e frontside. Assista!

Veja também:
WSL confirma Lucas Chumbo na triagem em Teahupo’o
Bruno Santos é protagonista no Festival Rocky Spirit
Surfista desaparece no mar em Matinhos (PR)