O português Frederico Morais sagrou-se campeão do Hawaiian Pro, primeira joia da Tríplice Coroa Havaiana, neste domingo, e subiu ao topo do ranking do QS

Por Redação HC

A primeira etapa da Tríplice Coroa Havaiana terminou com uma vitória comemorada em português, mas com sotaque lusitano: Frederico Morais foi o grande campeão do Hawaiian Pro, em Haleiwa, encerrado neste domingo em ondas de quatro a seis pés em Haleiwa. Ele venceu na final um quadro todo internacional, com o italiano Leo Fioravanti em segundo, o sul-africano Matthew McGillivray em terceiro e o australiano Ethan Ewing em quarto.

Veja também:
Michael Rodrigues: “Tirei meu primeiro 10 pontos em Pipe! Mas foi na cabeça!”
Italo concorre a Atleta da Torcida no Prêmio Brasil Olímpico

A vitória alavancou Kikas da sexta para a primeira posição no ranking do Qualifying Series e carimbou de vez seu retorno ao Championship Tour após um ano de participações intermitentes como convidado de algumas etapas.

Melhores brasileiros na competição, Luel Felipe e Jadson André foram eliminados na mesma bateria das quartas de final, atrás de Michel Bourez e de McGillivray. Luel ficou em terceiro na bateria, terminou o campeonato com na 9ª posição. Jadson, último no seu duelo das quartas, ficou em 13º. Luel sobe dez posições no QS, chega em Sunset como 23º do ranking do QS e a um resultado excelente de distância de entrar na elite mundial.

O último dia teve as menores ondas de todo o campeonato, e muitos momentos de interminável calmaria. Escolher as melhores ondas era tarefa difícil e metade do caminho para conseguir avançar. Wade Carmichael, Ethan Ewing, Michel Bourez, Ace Buchan, Leo Fioravanti, Kikas, McGillivray e Slater avançaram para a semi, que teve baterias contrastantes.

A primeira foi cheia de ação. Houve momentos em que os quatro surfistas da bateria, Ace, Wade, Leo e Ethan, conseguiram entrar cada um em uma onda de uma série. Ethan mostrou um surfe maduro novamente e teve uma apresentação excelente. Fioravanti também ultrapassou os oito pontos na melhor onda e deixou de fora da final talvez o principal favorito, Carmichael.

A segunda semi foi fraca, com os surfistas sofrendo para somar com duas notas o que todos na primeira bateria haviam feito em uma só. Kikas e Matthew passaram com 7,10 e 7,07 pontos, respectivamente. Kelly Slater fez 3,80 pontos na soma de suas duas melhores ondas.

A final teve mais surf e muita tensão, com diversas trocas de liderança. McGillivray liderou por um tempo graças a um bom tubo. Fioravanti ficaria em primeiro graças à melhor nota da bateria, duas patadas numa onda da série, mas Kikas assumiu o posto logo na sequência com outra direita muito boa. Na soma das duas melhores, ninguém conseguiu superar o português, que comemorou demais em Haleiwa.

Ao chegar na areia, uma atitude legal demais: Fioravanti, vice-campeão e amigo de Kikas, carregou o campeão no ombro subindo até o palanque. Festa do surf europeu, festa do surf português.

A temporada no Litoral Norte de Oahu continua. A janela para realização da Vans World Cup, em Sunset, abre-se já nesta segunda (25). Acompanhe nossa cobertura e fique ligado.