A Hardcore entrevista o surfista da Guarda do Embaú e revela o que aconteceu com Vinni nessa temporada no Tahiti

Por Redação HC

Vinni Pereira botou pra baixo em Teahupoo 12 pés e foi eternizado entubando em bombas nos maiores swells dessa temporada no Tahiti.

Vinícius Pereira, 34, conhecido como Vinni, nasceu na Guarda do Embaú, vilarejo que é um reduto de tube riders e surfistas de alma de Santa Catarina.

Foi nas ondas da Guarda que ele começou a surfar aos 10 anos de idade. E nas características das direitas que abrem do Riozinho, o garoto pegou apreço por ondas tubulares.

Esse gosto levou o surfista por algumas vezes a explorar as ilhas da Indonésia, onde ficou ainda mais obcecado pela leitura das ondas ocas. Grower, em Desert Point, Lombok, é um dos destinos certos.

Vinni é o freesurf que compõe a equipe da marca Santacosta, que comporta como principal estrela o top CT Willian Cardoso, o Panda, que no ano passado venceu a etapa de Uluwatu, cravando seu nome na história.

A Santacosta é uma marca criada por dois amigos que moram na Praia Brava em Itajaí, litoral norte de Santa Catarina. Christopher Stoner e Jefferson Matias, escolheram o nome Santacosta pelas letras que abreviam o Estado de Santa Catarina (SC), em uma homenagem à costa catarinense. E o símbolo da marca é uma sereia estilizada, que na mitologia representa algo que encanta e seduz o viajante.

CONFIRA UMA ENTREVISTA BATE-PRONTO COM VINNI PEREIRA, SOBRE A TEMPORADA NO TAHITI E SOBRE SEUS PLANOS PARA O FUTURO.


HC: Vini, como foi essa temporada no Tahiti?

VP: A temporada no Tahiti foi muita Intensa, com muita onda e bastante crowd de surfistas  bons. A adrenalina extravasou e com isso pude desfrutar de muito aprendizado, principalmente em situações extremas de surf pesado.

HC: Como você sentiu a evolução no surf?

VP: Evolui muito no surf de ondas tubulares e perigosas. Teahupoo assusta pela intensidade, é muita explosão. Mas com certeza a minha principal evolução foi como pessoa e respeito com o poder da natureza. Definitivamente, Teahupoo coloca você no seu devido lugar.


HC: Lembra de algum momento que não sai da sua memória?

VP: Lembro de vários momentos. Mas o que foi o mais marcante aconteceu quando dei conta que estava de frente para Teahupoo 12 pés, com séries ainda maiores. E estavam apenas eu e mais cinco bodyboarders locais pegando onda na remada. Ali foi uma cena “tapa na cara”, marcante pelo go for it de quem estava n’água.


HC: Você tem apreço por ondas fortes e tubulares, explique essa obsessão.

VP: Nasci na Guarda do Embaú, em um lugar de ondas tubulares e perfeitas. A Guarda do Embaú é o meu segredo. Imprimo essa obsessão por tubos na Indonésia, e agora nesta temporada no Tahiti. Onda tubular é um sonho.


HC: Quais são os próximos planos?

VP: Primeiramente, progredir como pessoa, como ser humano. No surf, agora meu radar detectou a Namíbia na África, onde estou colocando todo meu planejamento para surfar aquelas cracas tubulares.


HC: E o que você mira como freesurf?

VP: Eu quero conhecer as melhores e mais tubulares ondas espalhadas pelo mundo. Quero levar a “Sereia da Santa Costa” para dentro dos tubos cristalinos.


HC: Quem são os seus ídolos?

VP: Ricardo dos Santos, Andy Irons, ambos que viraram anjos. E John John Florence.

 

A Santacosta celebra uma intervenção na Revista HARDCORE, com um evento de happy hour na loja da praia brava, em Itajaí, com a presença do surfista Vinni Pereira, ao som do DJ Deco Groove e cerveja Praya.

 

SERVIÇO:

Happy Hour SantacostaVinni Pereira na remada em Teahupoo

Local: R. Delfim Mário de Pádua Peixoto, 163

Praia Brava, Itajaí – Santa Catarina

Data: 29.10, nesta Terça-feira

Horário: 18h às 22h

 

VEJA TAMBÉM:
– ITALO FERREIRA É CAMPEÃO EM PORTUGAL, VIRA LÍDER PREPARA DISPUTA INSANA EM PIPELINE
ONDA DE PROTESTOS FORÇA ADIAMENTO DE ETAPA DO QS NO CHILE
VÍDEO: MASON HO DÁ AULA DE TUBO EM DESERT POINT