24 C
Papeete
quarta-feira, 22 maio, 2024
24 C
Papeete
quarta-feira, 22 maio, 2024

Surf Doc: Entenda a lesão de Jadson André

Fala, galera, Doc no outside!

O surf evoluiu de maneira assustadora. Poucos anos atrás, sonhávamos com manobras que existiam apenas nos jogos de video-game. Começamos a ver os aéreos evoluindo e se tornando comum entre os amantes do surf e já estão aparecendo as manobras do skate sendo executadas sobre as pranchas de surf.

Com esse avanço no grau de radicalidade das manobras, apareceram lesões que não eram comuns no surf, principalmente os Traumas torcionais do joelho e tornozelo.

Na primeira etapa do circuito mundial de surf WSL, a vítima da vez foi nosso conterrâneo Jadson André. O brasileiro sofreu um trauma torcional do joelho enquanto voltava de um aéreo. Jadson ainda foi para os dois primeiros rounds do Pipe Master com uma imobilização no joelho (chamada de brace articulado), mas acabou caindo no Elimination Round.

O atleta postou em suas redes sociais que realizou exames de imagem, Radiografias e Ressonância Nuclear Magnética, onde foi constatado a lesão do ligamento colateral medial – LCM.

+ Burle revela 3 técnicas para relaxar no surf com o método de Rafael Kroeff 

+ A respiração revolucionará sua vida. Entenda e pratique 

O LCM possui principalmente a função de estabilidade em valgo (movimento em que temos uma torção do joelho para dentro – medialmente). O LCM ainda segura o movimento de rotação externa da tibia em relação ao fêmur. Esquecendo um pouco a linguagem médica, O Ligamento Colateral Medial funciona como se fosse o cinto de segurança que evita que o joelho seja torcido em excesso para a parte de dentro da perna.

Doc surf lesão lcm
O Ligamento Colateral Medial funciona como se fosse o cinto de segurança que evita que o joelho seja torcido em excesso para a parte de dentro da perna. Foto: Shutterstock

Existem alguns graus de lesão desse ligamento. No grau 1 ele sofre apenas um estiramento (recuperação de 2-4 semanas). O grau 2 é uma ruptura parcial (recuperação de 4 a 12 semanas). Já o grau 3 é o rompimento total do ligamento, o paciente sente o joelho totalmente instável e com certas limitações (tratamento na maioria dos casos é cirúrgico e tempo de recuperação maior).

Lesões grau 1 ou 2 sem tratamento são como andar com um cinto de segurança afrouxado, se o carro bater, provavelmente vai ter estrago. Caso o surfista precise do ligamento em um momento de estresse do joelho, ele não irá funcionar plenamente e o joelho pode sofrer outras lesões ainda mais graves, como luxação e fratura.

Jadson perderia então as etapas de Pipeline, Sunset, Portugal, Bells Beach pelo menos, não conseguindo passar do corte do meio do ano do novo formato do circuito.

Por conta da lesão, o atleta está fora do CT em 2023, mas garante a vaga de atleta lesionado para o ano de 2024 (assim como Gabriel Medina e Yago Dora em 2022).

Ficamos na torcida pela recuperação do nosso atleta e que ele volte muito mais fortalecido, de corpo e mente para a próxima temporada.

Aloha

Dr Thiago Augusto Cosentine

Médico ortopedista, pós graduado em Medicina do Exercício e do Esporte | clinicacosentine.com.

 

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias