Bicampeão brasileiro e ex-top do WCT, Leo Neves falece durante campeonato em Saquarema. Surfistas prestam homenagens

Por Redação HC

Leo Neves faleceu neste domingo (24), enquanto fazia o que mais gostava, e aquilo em que era um dos melhores do mundo. Aos quarenta anos, ele disputava a Tríplice Coroa de Saquarema, na praia de Itaúna, em um dia de ondas grandes, pesadas e mar mexido por um forte vento maral. Após tomar uma série inteira na cabeça, Leo teria parado para descansar, quando sofreu um mal-estar súbito. Foi tirado da água desacordado. As tentativas de reanimá-lo a caminho do hospital não tiveram efeito.

Leo Neves venceu duas vezes consecutivas o Super Surf, em 2002 e 2003, período em que o circuito brasileiro de surf vivia o seu auge, com etapas espalhadas por todas as regiões do país, com grande premiação em dinheiro e um carro zero quilômetro oferecido ao campeão ao fim de cada ano. A competição reunia praticamente todos os grandes nomes do surfe nacional, fazendo de cada evento uma exibição de altíssimo nível.

Leo qualificou-se para o circuito mundial em 2006, e correu o WCT nas duas temporadas seguintes. Apesar de algumas atuações memoráveis em Bells ou no Tahiti, quando tirou uma nota 10 contra Bruce Irons, ele não conseguiu se requalificar ao final de 2008.

Sua marca registrada era um surfe de muita força, com uma facilidade que por vezes parecia sobrenatural para inverter a prancha, cravando toda a borda, em ondas grandes e fortes. 

Característica que marcou sua mais memorável campanha em um único evento, quando foi vice-campeão da etapa de Sunset do QS, na Tríplice Coroa Havaiana. Ele havia liderado a final de cabo a rabo, e o havaiano Makua Rothman — que cresceu em frente ao pico — só conseguiu uma virada nos segundos finais, arrancando dos juízes uma nota acima dos nove pontos que foi vista com muita desconfiança pelos brasileiros na praia.

Mas Leo não era de reclamar. Preferiu aplaudir o campeão, um cara que conhecia há muito tempo, que sempre o havia tratado bem no Havaí e que podia chamar de amigo. A atitude e o caráter eram suas marcas registradas fora da água.

View this post on Instagram

Leo Neves marcou a vida de muita gente que cruzou seu caminho — tanto pelo surf, como pela generosidade e caráter. Nosso fotógrafo de longa data, @gennari.ale, é uma dessas pessoas. "Nos primeiros anos que eu fui pra Noronha, fui no esquema guerrilha, sem dinheiro pra nada. O Leo, coração grande, tava sempre disposto a ajudar. Tivemos muitas trips juntos, tínhamos um time da pesada: Hizunome, Leandrinho, Simão, Jano Belo, Pablo Paulino e o Leo… A gente comia, ia trampar, dava risada, passava o dia junto nas areias da Cacimba. O Leo tá no coração pra sempre. O cara era do mar mesmo, por isso que ele ficou no mar. Essa frase é do HIzu, que me disse isso ontem quando liguei para saber o que tinha acontecido… Inexplicável uma coisa dessa. Fui revirando minhas coisas, e achei essa sequência, na Cacimba do Padre, lá pelos idos de 2008. Que ele descanse em paz e que Deus conforte sua familia" #LeoNeves #RIP #legend

A post shared by Revista HARDCORE (@revistahardcore) on

“Leo era um cara do mar”, lembrou Hizunomê Bettero, amigo e companheiro de inúmeras viagens e competições. 

E é próximo ao mar que Leo Neves vai ficar.

Seu corpo é velado nesta segunda-feira (25), na Associação de Surf de Saquarema. Ele será enterrado em frente ao tubos da Barrinha, onde para sempre ele estará presente.

Confira as diversas homenagens prestadas a Leo Neves:

View this post on Instagram

Meu irmão se foi… tá doendo muito! eu te amo!

A post shared by Raoni Monteiro (@raonimonteirooficial) on

View this post on Instagram

Guerreiro escudeiro, amigo fiel e verdadeiro, qualquer hora, o dia inteiro. Sorriso aberto de voz grossa, risada marcante que era só nossa. Passadas lentas, precisas, muita calma. Presença física marcante, alma. A arte de viver de um campeão, fosse pisando na prancha ou no chão. Um samurai preparado a todo instante, já acordava como um urso gigante. Da periferia de Brás de Pina, tinha muito orgulho da sua esquina. Andar de cabeça baixa mas nunca sem auto estima, era o cara que sempre me botava pra cima. Cultivava a igualdade e o respeito, tapa na cara do preconceito, aguentava o que fosse no osso do peito. Vai na fé meu amigo do coração! Muita luz nessa nova dimensão, vou te levar comigo pra sempre em oração, nossa tribo perdeu um irmão.

A post shared by Neco Padaratz (@necopadaratz) on

 

View this post on Instagram

Rip Leo Neves! Hoje o Brasil perdeu um surfista de alma, um cara de honra, um cara que sempre era durão e ao mesmo tempo correto, fazia sempre o certo e não abaixava a cabeça pra ninguém! Obrigado Léo por todos os ensinamentos durante estes anos, vou guardar seu sorriso comigo e sempre que lembrar de você vou lembrar do dia que você me rabeou e eu fui falar com você,. – pow Léo estamos ficando juntos e você ainda vai me rabear, a sua resposta foi muito serena, – mlk eu não te rabiei, você que foi na minha onda! Dei risada e aprendi a sempre respeitar os mais velhos, esses bad boys abriram as portas pra minha geração !mais uma vez obrigado meu querido! Descanse em paz!

A post shared by thiagocamarao🇧🇷 (@thiagocamarao) on

Veja também:
Frederico Morais é campeão em Haleiwa e carimba retorno ao CT