26 C
Papeete
sábado, 20 julho, 2024
26 C
Papeete
sábado, 20 julho, 2024

Deivid Silva é campeão em Portugal e sobe para o quinto lugar no Challenger Series 2023

O paulista Deivid Silva foi o grande campeão do EDP Vissla Ericeira Pro e subiu para o quinto lugar no ranking do Challenger Series 2023 em Portugal. Duas decisões entre Brasil e Estados Unidos fecharam o domingo de ondas excelentes em Ribeira D´Ilhas. DVD derrotou Jake Marshall, mas Luana Silva perdeu para Alyssa Spencer o título que valia o quarto lugar no ranking. Ela agora entra na briga direta pelas últimas vagas para o World Surf League (WSL) Championship Tour (CT) 2024, que serão decididas no Corona Saquarema Pro. A grande final do Challenger Series 2023 é nos próximos dias 14 a 21 no Maracanã do Surf, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

+ Universidade Federal de Pernambuco inova ao incluir surf na grade curricular

Deivid Silva e Alyssa Spencer com os troféus das vitórias em Portugal (Crédito da Foto: @WSL / Laurent Masurel)

O resultado do EDP Vissla Ericeira Pro premiou quem fez realmente as melhores apresentações nas direitas de Ribeira D´Ilhas. O backside do Deivid Silva e da Alyssa Spencer surfando de costas para as ondas, prevaleceu sobre o frontside do Jake Marshall e da Luana Silva. As vitórias ficaram com quem fez os recordes do campeonato no domingo. Eles foram registrados nas semifinais, quando DVD derrotou outro norte-americano, Dimitri Poulos, por 19,03 pontos somando notas 9,70 e 9,03, depois da Alyssa bater a compatriota Zoe Benedetto, por 17,37 com nota 8,70. A maior das meninas é da campeã também, a 8,83 recebida nas oitavas de final realizadas na sexta-feira.

Já os 19,03 pontos do Deivid Silva, não foram só o maior somatório do EDP Vissla Ericeira Pro, mas de todas as etapas do Challenger Series de 2023 e de 2022 também. Esta pontuação só ficou abaixo dos 19,60 com uma nota 10 do havaiano Imaikalani deVault e dos 19,30 do californiano Nat Young, conseguidos nas mesmas ondas de Ribeira D´Ilhas em 2021. O backside do DVD estava realmente imbatível nas ondas excelentes de 3-5 pés do domingo na Reserva Mundial de Surf de Ericeira.

Jake Marshall impediu uma final brasileira barrando Mateus Herdy na semifinal (Crédito da Foto: @WSL / Damien Poullenot)

DECISÃO DO TÍTULO – Jake Marshall tinha impedido uma final brasileira barrando Mateus Herdy nas semifinais e começou melhor a decisão do título, com nota 6,67 contra 6,00 do Deivid Silva. O brasileiro passou à frente na segunda onda, com o 8,50 do seu ataque fulminante de backside, combinando batidas verticais de cabeça pra baixo, com rasgadas abrindo grandes leques de água. O californiano ficou precisando de 7,84 nos 15 minutos finais e poderia conseguir, pois já tinha feito novos recordes do evento no domingo. Foi quando ganhou uma nota 9,57 e totalizou 18,44 pontos na vitória sobre o australiano Jacob Willcox nas quartas de final.

Na primeira tentativa do Jake Marshall reverter o resultado, conseguiu 7,17 com suas manobras de frontside, diminuindo a desvantagem para 7,34 pontos. Só que, quando restavam 8 minutos para o término, DVD pegou outra onda boa e destruiu, com incríveis onze manobras executadas com muita pressão e velocidade impressionantes. Os juízes deram nota 8,83 para Deivid Silva, que confirmou o título brasileiro no EDP Vissla Ericeira Pro nessa onda, por 17,33 a 13,84 pontos. DVD já tinha entrado no G-10 com a classificação para a final e subiu do nono para o quinto lugar com a vitória.

Deivid Silva com seu backside imbatível nas direitas de Ribeira D´Ilhas (Crédito da Foto: @WSL / Damien Poullenot)

DOIS BRASILEIROS NO G-10 – O caminho do Deivid Silva para o título do evento no domingo, começou com ele despachando o líder do ranking já garantido no CT 2024, Cole Houshmand. Depois, derrotou mais dois norte-americanos, Dimitri Poulos fazendo os recordes do campeonato nas semifinais, batendo as marcas que o Jake Marshall tinha feito antes. O vice-campeão acabou impedindo uma decisão verde-amarela em Portugal, ao barrar Mateus Herdy nas semifinais. Mas, o catarinense também vai chegar em Saquarema entre os top-10 que o Challenger Series classifica para a elite do CT.

Mateus Herdy entrou no G-10 com a classificação para as semifinais (Crédito da Foto: @WSL / Laurent Masurel)

VAGAS NO CT – Mateus Herdy confirmou sua entrada no G-10, quando derrotou o havaiano Jackson Bunch nas quartas de final. Ele acabou tirando o também brasileiro Samuel Pupo da lista, que depois foi ultrapassado por Deivid Silva, caindo da sétima para a 12.a posição no ranking em Portugal. Quem também saiu do G-10 no domingo foi o australiano Jackson Baker, mas a disputa pelas últimas vagas para o CT 2024 continua aberta. Ainda tem 32 surfistas com chances matemáticas de conseguir se classificar no Corona Saquarema Pro.

Oito brasileiros fazem parte dessa relação, mas os principais concorrentes são Samuel Pupo, Michael Rodrigues e Jadson André. Os três saíram da elite no corte do meio da temporada e tentam agora se requalificar pelo Challenger Series. Samuca já supera os pontos do último colocado no G-10, Mateus Herdy, se passar sua primeira bateria na Praia de Itaúna. Michael, que ocupa a 13.a posição no ranking, consegue isso nas oitavas de final, enquanto Jadsonjá tem que chegar nas semifinais em Saquarema.

Luana Silva entrou na briga pelas vagas no CT que serão decididas em Saquarema (Crédito da Foto: @WSL / Laurent Masurel)

TOP-5 FEMININO – Na categoria feminina, a disputa pelas vagas no CT 2024 está mais complicada e mais restrita também. A líder Sally Fitzgibbons é a única que já confirmou seu nome entre as 5 indicadas pelo Challenger Series. As outras quatro classificadas só serão definidas no Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil. A decisão do EDP Vissla Ericeira Pro valia o quarto lugar no ranking, pois Alyssa Spencer e Luana Silva já tinham ultrapassado a australiana Bronte Macaulay, que fechava o grupo das top-5.

Luana Silva pegou a primeira onda, mas Alyssa Spencer largou na frente com nota 6,17, contra 5,17 da brasileira. Na segunda, Luana completou um belo tail slide de frontside e ganhou nota 6,53, mesmo caindo na finalização da onda. Já Alyssa acertou uma série de batidas verticais de backside nas direitas de Ribeira D´Ilhas e se manteve em primeiro com nota 8,00. A americana logo pegou outra onda boa e detonou mais uma vez, com seu backside afiado arrancando 8,50 dos juízes. Luana volta ao jogo, destruindo uma direita com uma série de batidas e rasgadas muito fortes de frontside, que valeram 7,73.

Com essa nota, a brasileira passou a precisar de 8,77 para vencer nos 15 minutos finais da bateria. O máximo que tinha conseguido esse ano, era 8,33 na quarta-feira. Mas, Luana Silva foi campeã do EDP Vissla Ericeira Pro em 2021 com uma nota 9,80 na final, que até hoje é a maior da categoria feminina na história do Challenger Series. Quando restavam 6 minutos, Alyssa pega uma onda ruim e Luana entra na seguinte, que era melhor e abriu a parede para atacar forte, com manobras abrindo grandes leques de água. Mas, a nota saiu 7,50 e Alyssa Spencer festejou o título por 16,50 a 15,23 pontos.

Alyssa Spencer carregada após a vitória sobre Luana Silva em Portugal (Crédito da Foto: @WSL / Damien Poullenot)

DECISÃO EM SAQUAREMA – Luana Silva tentava uma segunda vitória no EDP Vissla Ericeira Pro, mas não conseguiu e ficou em sexto lugar no ranking, na porta de entrada do G-5. Alyssa Spencer também fazia sua segunda decisão de título em etapas do Challenger Series e ganhou de novo, como no ano passado no Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil, derrotando a francesa Tessa Thysen. Luana Silva agora precisa chegar nas semifinais na Praia de Itaúna, para ultrapassar os 22.725 pontos da australiana Isabella Nichols na quinta posição no ranking.

Apenas mais seis surfistas têm chances de entrar no G-5, na decisão do Challenger Series 2023 em Saquarema.  A australiana Bronte Macaulay, que saiu da lista em Portugal, é a principal concorrente da Luana Silva. As outras cinco, Ellie Harrison da Austrália, Vahine Fierro da França, Sarah Baum da África do Sul, Bella Kenworthy dos Estados Unidos e Nadia Erostarbe da Espanha, já necessitam da vitória no Corona Saquarema Pro, para superar os 22.725 pontos da Isabella Nichols. A batalha final pelas últimas vagas na elite do CT 2024, será disputada nos dias 14 a 21 de outubro na Capital Nacional do Surf da Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Luana Silva, Deivid Silva, Alyssa Spencer e Jake Marshall (Crédito da Foto: @WSL / Laurent Masurel)

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO EDP VISSLA ERICEIRA PRO:

DECISÃO DO TÍTULO MASCULINO:
Campeão: Deivid Silva (BRA) por 17,33 pts (8,83+8,50) – US$ 20.000 e 10.000 pts
2.o lugar: Jake Marshall (EUA) com 13,84 pts (7,17+6,67) – US$ 10.000 e 7.800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 5.000 e 6.085 pontos:
1.a: Deivid Silva (BRA) 19,03 x 14,87 Dimitri Poulos (EUA)
2.a: Jake Marshall (EUA) 15,83 x 12,63 Mateus Herdy (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 3.500 e 4.745 pontos:
1.a: Deivid Silva (BRA) 14,50 x 12,33 Cole Houshmand (EUA)
2.a: Dimitri Poulos (EUA) 13,36 x 11,90 Justin Becret (FRA)
3.a: Mateus Herdy (BRA) 15,83 x 14,96 Jackson Bunch (HAV)
4.a: Jake Marshall (EUA) 18,44 x 15,80 Jacob Willcox (AUS)

DECISÃO DO TÍTULO FEMININO:
Campeã: Alyssa Spencer (EUA) por 16,50 pts (8,50+8,00) – US$ 20.000 e 10.000 pts
2.o lugar: Luana Silva (BRA) com 15,23 pts (7,73+7,50) – US$ 10.000 e 7.800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 5.000 e 6.085 pontos:
1.a: Luana Silva (BRA) 15,37 x 15,26 India Robinson (AUS)
2.a: Alyssa Spencer (EUA) 17,37 x 11,33 Zoe Benedetto (EUA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 3.500 e 4.745 pontos:
1.a: Luana Silva (BRA) 12,83 x 12,64 Sally Fitzgibbons (AUS)
2.a: India Robinson (AUS) 12,67 x 10,33 Bronte Macaulay (AUS)
3.a: Alyssa Spencer (EUA) 16,33 x 10,43 Ellie Harrison (AUS)
4.a: Zoe Benedetto (EUA) 13,60 x 7,70 Francisca Veselko (PRT)

RANKINGS DO WSL CHALLENGER SERIES 2023:

TOP-10 DA CATEGORIA MASCULINA – 5 etapas:
1.o- Cole Houshmand (EUA) – 28.065 pontos
2.o- Jacob Willcox (AUS) – 22.035
3.o- Jake Marshall (EUA) – 17.565
3.o- Frederico Morais (PRT) – 17.565
5.o- Deivid Silva (BRA) – 16.920
6.o- Crosby Colapinto (EUA) – 16.285
7.o- Imaikalani deVault (HAV) – 16.140
8.o- Eli Hanneman (HAV) – 15.620
9.o- Kade Matson (EUA) – 14.850
10.o- Mateus Herdy (BRA) – 14.630
——–outros sul-americanos no ranking:
12: Samuel Pupo (BRA) – 14.100 pontos
13: Michael Rodrigues (BRA) – 13.285
21: Jadson André (BRA) – 10.465
28: Alejo Muniz (BRA) – 8.045
33: Lucca Mesinas (PER) – 6.520
37: Ian Gouveia (BRA) – 6.200
39: Leo Casal (BRA) – 5.700
40: Edgard Groggia (BRA) – 5.420
46: Lucas Silveira (BRA) – 5.000
48: Miguel Tudela (PER) – 4.800
50: Rafael Teixeira (BRA) – 4.600
60: João Chianca (BRA) – 3.320
66: Ryan Kainalo (BRA) – 2.850
80: Guillermo Satt (CHL) – 1.500
89: Krystian Kymerson (BRA) – 700
94: Miguel Pupo (BRA) – 600
94: Caio Ibelli (BRA) – 600

TOP-5 DA CATEGORIA FEMININA – 5 etapas:
1.a- Sally Fitzgibbons (AUS) – 26.430 pontos
2.a- India Robinson (AUS) – 25.490
3.a- Sawyer Lindblad (EUA) – 23.020
4.a- Alyssa Spencer (EUA) – 22.810
5.a- Isabella Nichols (AUS) – 22.725
——–sul-americanas no ranking:
6.a- Luana Silva (BRA) – 20.610 pontos
20: Daniella Rosas (PER) – 10.415
25: Sol Aguirre (PER) – 8.820
36: Sophia Medina (BRA) – 6.000
39: Laura Raupp (BRA) – 5.220
42: Silvana Lima (BRA) – 4.100
52: Dominic Barona (EQU) – 1.950
58: Arena Rodriguez Vargas (PER) – 650

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias