O The New York Times divulgou uma matéria intitulada “O surf estava previsto para estrear nos Jogos Olímpicos de Verão, mas 2020 guardava outros planos.”

Junto ao texto, foi divulgado um vídeo de oito minutos abordando o surf competitivo e seu laço com as próximas Olimpíadas.

O vídeo inclui participação dos surfistas qualificados para os Jogos Olímpicos Gabriel Medina, Italo Ferreira, John Florence, Caroline Marks, Johanne Defay, Owen Wright, Sally Fitzgibbons e Brisa Hennessy.

Em suma, o NYT define o surf competitivo de uma maneira que qualquer leigo do esporte possa entender.

“Para quem está começando, o surf é diferente de qualquer outro esporte,” diz o narrador em algum momento no clipe.

Em seguida, John John Florence define um dos motivos pelos quais isso acontece: “Essencialmente, o campo de batalha – o mar – está em constante mudança.”

“Uma onda difícil de surfar,” diz Gabriel Medina

Chiba, na praia de Tsurigasaki, ao sul de Tóquio, é a praia escolhida para sediar os Jogos Olímpicos de 2021.

“É uma onda difícil de se surfar”, conta Medina ao The NY Times. John John diz que o espectador verá um surf mais técnico e, quando o entrevistador pergunta quem é o melhor que se adapta às condições, ele diz: “Eu”.

Já o australiano Owen Wright diz que a escolha do pico japonês levará os surfistas a fazer mais rotações acima da água. “Um pouco de ginástica sobre a água,” diz Wright.

Segundo, Medina a vantagem é dos brasileiros

Muitas pessoas falam que os brasileiros levam vantagem com a escolha de Chiba.

“Sim, talvez,” conta Medina ao The NY Times. “Talvez isso seria dito quaisquer que fosse a onda escolhida. Porque nos últimos quatro anos, foi assim. Cresci vendo australianos e americanos se dar bem. E hoje somos esses caras,” completa Medina.

O clipe mostra ainda o inédito backflip em uma competição de surf, cujo autor é Gabriel Medina, que na época lhe rendeu um 10 perfeito.

Os pilares do surf

O vídeo também dedica-se a explicar quais os três pilares do surf competitivo: velocidade, força e fluidez.

O The NYTimes diz que o surf tem três pontos principais técnicos: aéreos, cavadas e tubos.

Que determinadas condições favorecem certos surfistas – a menos que você seja brasileiro, como Gabriel Medina astutamente apontou, caso em que todas as condições lhe convêm.

Clique aqui e confira a matéria que foi publicada na íntegra.

Acompanhe as atualizações a respeito do surf – e também do skate – nas Olimpíadas.

LEIA TAMBÉM: Enquanto isso, na Indonésia… tubos perfeitos e sem crowd. Play