25 C
Papeete
terça-feira, 23 julho, 2024
25 C
Papeete
terça-feira, 23 julho, 2024

Como os surfistas são pagos?

Você já parou para pensar como os surfistas são pagos?

Em uma nova série de seis partes, intitulada “How Surfers Get Paid”, a revista australiana Stab irá explorar como os surfistas profissionais ganham seu pão em 2022.

“É uma coisa complexa, os arranjos que se formam quando as pessoas esperam traduzir a habilidade de surfar em dinheiro vivo. Há muitas maneiras de fazer isso. E há uma filosofia em tudo isso – mas se aprendemos alguma coisa nas últimas duas décadas, é que a filosofia pode mudar em um piscar de olhos,” escreveu a revista em um texto que explica como a série funciona.

+ John John Florence compra casa à beira-mar por quase 3 mi de dólares

De acordo com a equipe da publicação, o episódio inaugural responde à pergunta “O que é um surfista profissional”; e apresenta rostos familiares ficando vulneráveis, oferecendo uma visão sóbria de algumas das melhores mentes do ramo.

“Existem até algumas histórias que vão te chocar legitimamente,” escreveu o jornalista Brendan Buckley.

+ Slater aluga mansão de frente pro mar no Havaí

O fundador da Stab, Sam McIntosh, compartilhou seus pensamentos sobre as origens do projeto e para onde ele vai. Nós pescamos algumas das partes que nos fisgaram. Confira:

“O objetivo de How Surfers Get Paid é explorar o cenário do surf profissional e mostrar o quanto ele mudou nos últimos 10 a 15 anos. Houve dias de glória entre 2005 e 2010, mas muitos elementos mudaram desde então – a internet, a morte das revistas impressas, mídias sociais, YouTube etc. É um jogo totalmente novo e difícil de navegar.”

“Depois, há coisas como “Força maior”, que é uma coisa tão estranha de se ter em um contrato. Isso mudou mais ou menos os negócios de todos quando o COVID chegou. E como a mesma empresa é proprietária da Billabong e da Quiksilver, e como isso afeta as guerras de lances. Ou os energéticos vindo para o surf, ou Zosea comprando a ASP e transformando-a na WSL. Essas são coisas que estamos desempacotando agora.”

+ Jordy Smith mostra por que Portugal é um dos melhores destinos de surf do mundo

“Tivemos de fazer perguntas desconfortáveis, mas a maioria das pessoas com quem conversamos está no jogo há algum tempo e sabe muito bem. John Florence foi realmente sincero. Kolohe foi incrível. Jordy é sempre muito bom – ele é provavelmente o destaque. Bobby Martinez foi incrível. Algumas das decisões que ele tomou em sua carreira têm muita integridade, especialmente em retrospectiva. Temos a sorte de ter construído ótimos relacionamentos com muitos desses surfistas ao longo dos anos. Falar sobre dinheiro é meio que um tabu – mas acho que quanto mais escondido, mais surfistas desfavorecidos estarão nas negociações daqui para frente.”

“Cerca de 80% dessas histórias eram novas para mim. Você faz uma pergunta e, de repente, ouve coisas que nunca ouviu antes. Fiquei maravilhado, sentado lá ouvindo um pouco disso sair em tempo real. Jordy sendo processado é um ótimo exemplo. Eu também não tinha ideia de que Strider amarrou maconha em sua perna para chegar ao Havaí. Acho que já passou tempo suficiente para que as pessoas se sintam confortáveis ​​o suficiente para se abrirem sobre essas coisas. Uma vez que chega longe o suficiente no espelho retrovisor, as pessoas ficam mais relaxadas.”

“Há algumas pessoas com quem ainda não falamos, mas realmente precisamos. Adoraríamos ter mais vozes femininas aqui. Eu também adoraria conversar com Kelly Slater e Pat Tenore.”

A série terá dois episódios lançados inicialmente; depois uma pausa; aí mais dois episódios serão lançados; depois mais algumas semanas de folga e por fim serão exibidos os dois últimos episódios.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias