Publicidade:

Brisa Hennessy enfrenta seus medos em Cloudbreak gigante

Quando o mundo ficou fechado em 2020, a surfista Brisa Hennessy se viu isolada em um dos lugares mais remotos do planeta – a pequena ilha remota de Namotu, em Fiji, com seus pais e um pequeno grupo de fijianos locais.

Ao enfrentar seus medos surfando Cloudbreak gigante, ela foi capaz de refletir sobre seu senso de identidade, quem ela é e qual o seu propósito neste planeta.

Leia também: 
+ “She Is The Ocean” mergulha na conexão da mulher com o mar
+ Vanguarda do surf feminino bate à porta
+ Conheça estas 14 lendárias surfistas

 

“O medo é incômodo. Mas eu aprendi [no Cloudbreak] que quando você aceita que é real, está lá, você está disposto a abraçá-lo. Ou fica desconfortável ou cresce,” disse Brisa.

Você nunca sabe realmente o que o isolamento fará com você. Mesmo o isolamento em um paraíso rico em ondas é uma novidade por apenas um certo tempo antes que alguém possa, bem, ficar um pouco maluco.

Almas mais fortes, como a da surfista do Circuito Mundial, Brisa Hennessy, porém, lidam de forma diferente.

Presa em Namotu no ano passado (onde seus pais administram um resort de surfe) enquanto o mundo rapidamente entrava em um modo fechado, Brisa percebeu que ficaria nesta pequena ilha por um tempo – e apenas paciência e muito surf ajudariam ela permanece sã.

Brisa Hennessy nfoi um pouco mais fundo, no entanto, e como mostra seu novo filme “Fiji Perspective”, ela usou esse tempo de silêncio em Namotu para vencer alguns medos e desenvolver um novo equilíbrio em sua vida.

Esta é, portanto, uma história sobre perspectiva. Essa é a história da Brisa. Solta o vídeo:

Assista aqui a mais vídeos da Rip Curl.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias