Publicidade:

Publicidade:

Publicidade:

Brasileiros campeões mundiais de surf treinam forte em Oahu



Os atletas brasileiros campeões mundiais de surf estão em contagem regressiva para o início da temporada 2021 da World Surf League.

O circuito masculino, começa com o Billabong Pipe Masters, em Pipeline, no Havaí, a partir do próximo dia 8 e vai até 20/12.

“Estou feliz e muito animado em voltar. Gosto de competir e senti falta dessa adrenalina”, conta Gabriel Medina, bicampeão mundial (2014 e 2018).

Já o potiguar, atual campeão, Ítalo Ferreira, diz que está treinando muito para competir bem e se divertir também:

“A ansiedade acaba rolando, mas estou treinando fisicamente e psicologicamente, e isso me ajuda a relaxar”.

Brasileiros campeões mundiais de surf
Italo está embalado por fortes atuações, como nas provas europeias deste ano. Foto: Damien Poullenot/ WSL

Para Adriano de Souza, o Mineirinho, o Championship Tour 2021, terá um gosto especial, pois é quando o atleta se despede das competições:

“Acho que cada etapa que eu participar irá passar pela cabeça uma parte da história da minha vida. Isso será mais uma dificuldade, manter a emoção controlada dentro da competição. Mas estou animado”, diz o campeão de 2015.

Esse ano será o inverso, uma vez que a temporada tem início em Pipeline, justamente o local da decisão do CT 2019.

“Um pouco estranho, Havaí foi onde eu venci e fui campeão (com final histórica contra Medina). E começar em Pipe já de primeira me deixa confiante. Treinei o ano inteiro e espero ter a chance de colocar tudo em prática na bateria e me sair bem como nos últimos eventos”, diz Ítalo.

Já seu maior adversário brasileiro, Medina, não deve facilitar:

“Vai ser um novo calendário e farei de tudo pra ir bem e alcançar meus objetivos. Vamos pra cima com toda a determinação de sempre!”.

Mineirinho, que já está em Pipeline, há dois meses, também, se mantém com rotina de treinos fortes todos os dias. “Quando estou competindo quero sempre dar o meu melhor. Estou treinando, pegando altas ondas, fazendo uma recuperação no corpo e muita preparação física. Adoro surfar. Adoro estar no mar. Me sinto pronto para o início do campeonato. Foi uma aposta, já que muitos achavam que não ia ter competição, mas eu sempre acreditei.”

Chegando ao Havaí

Brasileiros campeões mundiais de surf
Adriano de Souza foi o primeiro a chegar ao Havaí. Foto: aniel Smorigo/ WSL

Ítalo chegou no Havaí há quase duas semanas. “O normal é chegar uma semana antes, mas quando são etapas onde preciso treinar mais, por não conhecer muito a onda, costumo chegar mais cedo para testar pranchas e conhecer o local”.

Durante a pandemia, o potiguar intensificou os treinos e disse que melhorou o seu surfe: “Na verdade não parei de treinar. Consegui montar uma academia em casa para fortalecer a musculatura e em Baía Formosa (RN) as praias não fecharam, então continuei surfando”, completa.

Medina também já chegou em Pipeline, mas sempre treinou firme também. Contudo Mineiro foi o primeiro dos três a chagar à Oahu, em outubro.

Alimentação saudável

Gabriel Medina em Pipeline (2019)
Gabriel Medina surfa Pipeline como poucos. Foto: WSL

Os três atletas já seguem uma alimentação saudável, que se acentua neste período de treinos intensivos. “Minha alimentação normalmente é bem saudável e leve.

Mesmo assim, fiz alguns ajustes e tudo acompanhado pelo meu nutricionista”, conta Medina.

Ítalo diz que não há muita mudança em sua alimentação, “Costumo comer bem, mas busco sempre o equilíbrio. Adoro uma comida japonesa”.

Mineirinho: “Sempre me cuidando. Sem doces, tentando ser light e saudável. Faz tempo que sou assim e não tenho dificuldades para manter.”

O lado feminino do CT

Tatiana Weston-Webb Foto: Matt Dunbar/WSL

A abertura do circuito mundial feminino começa nesta sexta-feira, 4, e vai até 15/12, em Honolua Bay, em Mauí.

Tatiana Weston-Webb, sexta colocada no ranking mundial, e que tem garantida sua vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio/Japão, conta estar pronta para a disputa.

“Acho que uma coisa boa é eu morar no Havaí. Adoro as ondas daqui. Tenho treinado muito forte fisicamente com o time do Comitê Olímpico Brasileiro.

Veja também: Big Swell chega ao Havaí

Tati, que mora na ilha havaiana de Kauai, chegou ontem (02/12) a Maui:

“As ilhas são todas perto e de avião é rapidinho. Muitas vezes quando não vou competir no dia seguinte, até volto para casa para descansar melhor”, diz a privilegiada atleta.

Veja também: Nayson Costa, primeiro paraense a vencer uma etapa do Brasileiro de Surf Profissional

“Adoro competir. Me sinto bem e a proximidade do CT me deixa com a cabeça melhor ainda, mais focada.”, completa.

Veja também: Os pilares de uma boa saúde: Surf X Nutrição X Imunidade

Tour 2021 – O final da temporada será em setembro e, desta vez, em Lower Trestles, na Califórnia, EUA, conhecida por suas ondas “perfeitas” e uma das melhores do mundo.

Os títulos mundiais masculino e feminino serão decididos em uma competição de um dia, onde os cinco melhores homens e as cinco mulheres no ranking do CT vão competir por seus respectivos títulos, em um novo formato.

O período de espera das Finais será de 8 a 17 de setembro de 2021.

+Notícias

WSL lança campanha We Are...

A WSL - World Surf League anunciou na última terça-feira, 26, a campanha "We Are...

Gabriel Medina e Yasmin Brunet...

O bicampeão mundial Gabriel Medina teria se casado em sigilo com a modelo e Yasmin...

VÍDEO: Kelly Slater quase atropela...

No ar mais um episódio do The Smith Brothers: neste, Kelly Slater quase atropela Koa...

John John Florence e Carissa...

A WSL anunciou John John Florence e Carissa Moore como os campeões da Tríplice...