Publicidade:

Publicidade:

Publicidade:

Baleia-minke sofre presa em redes no Japão por duas semanas



Grupos de defesa dos direitos dos animais exigiram a libertação imediata de uma baleia-minke que está presa por mais de duas semanas em redes em Taiji, uma cidade na costa do Pacífico do Japão conhecida por seu abate de golfinhos.

A mídia japonesa relatou que estavam sendo feitas tentativas para libertar a baleia de quatro ou cinco metros de comprimento, mas os pescadores alegaram que seu tamanho e as fortes correntes de maré estavam tornando difícil a execução do trabalho.

Ren Yabuki, um ativista dos direitos dos animais que filma a baleia com um drone todos os dias desde que ela ficou presa na véspera de Natal, disse que os pescadores fizeram apenas uma breve tentativa de libertar o animal, acrescentando que seu destino parecia ter sido decidido.

+ Assista a esses filmaços de surf de graça 

+ Comer peixe é realmente saudável? 

+ Seis livros extraordinários para você aproveitar o flat do Verão

“É difícil guiar a baleia para fora das redes e eles não querem removê-las, pois isso atrapalharia a pesca e permitiria que um grande número de peixes escapasse, então, minha sensação é que eles vão matá-la”, disse Yabuki, diretor de campanha da Life Investigation Agency.

Se eles abaterem a baleia, os pescadores poderão vender sua carne após coletar uma amostra de DNA, acrescentou Yabuki.

“Permitir que a baleia morra de fome seria o pior fim possível para isso, então a única outra opção seria puxar a rede e enviar mergulhadores ao mar para matá-la com lanças”, alerta o ambientalista.

baleia-minke-presa-em-rede no Japão
Os ativistas estão pedindo aos pescadores locais que tentem libertar a baleia em meio a temores de que ela possa morrer ou ser morta. Foto: Ren Yabuki / Life Investigation Agency

Georgie Dolphin, gerente do programa de bem-estar animal da Humane Society International [HSI] na Austrália, disse que a baleia estava “Cada vez mais angustiada e agitada, forçando as redes e mergulhando fundo em um esforço para escapar”.

Além disso, Georgie ressalta o sofrimento que vem sendo causado ao animal e o pouco tempo que lhe resta:

“Tememos que o tempo está se esgotando para a baleia, que fica mais fraca a cada dia. Submete-la a um sofrimento prolongado é desumano e injustificado. A HSI espera que as autoridades japonesas insistam na liberação imediata da baleia. ”

A agência de pesca japonesa disse à HSI que havia pedido ao governo da província para liberar a baleia se fosse possível e seguro fazê-lo.

A cidade de Taiji tem lutado para melhorar sua reputação internacional desde o documentário vencedor do Oscar de 2009, The Cove, que mostrou caçadores cercando golfinhos em mar aberto e encurralando-os até a costa nas chamadas caças de carro.

Espécimes atraentes são poupados e vendidos por grandes somas para aquários e parques marinhos, enquanto outros são mortos e sua carne vendida.

As caçadas atraíram condenação internacional, inclusive da ex-embaixadora dos Estados Unidos no Japão, Caroline Kennedy.

Em uma rara entrevista concedida ao jornal The Guradian, os pescadores de Taiji se justificaram argumentando que as caçadas eram legais sob a lei japonesa e forneciam uma fonte vital de renda para a cidade, localizada em uma parte remota da costa do Pacífico.

Com efeito, Yabuki disse que o fracasso em salvar essa baleia prejudicaria ainda mais a reputação de Taiji:

“O mundo inteiro sabe o que está acontecendo”, disse ele. “Deixá-la morrer, ou matá-la, arruinaria a imagem da cidade. Mas se eles fizerem uma tentativa genuína de liberá-lo, eles podem dizer ao mundo que fizeram a coisa certa”.

Fonte: The Guardian

+Notícias

Vale a pena surfar em...

Sabemos que a alimentação adequada é fundamental para a saúde, e quando abordada no...

Foi a melhor sessão de...

Será que o sábado, 16/01, foi o dia da melhor sessão de tow in...

Lar Mar: Felipe Arias deixa...

Aos poucos a comunidade do surf paulista e amantes do lifestyle praiano em geral...

Fotógrafo fratura as costas durante...

O fotógrafo australiano Ryan Moss fraturou as costas enquanto registrava imagens do swell histórico...