26 C
Papeete
domingo, 19 maio, 2024
26 C
Papeete
domingo, 19 maio, 2024

Austrália vibra com vitória dupla no Hurley Pro Sunset Beach

Molly Picklum derrotou a havaiana Bettylou Sakura Johnson e Jack Robinson bateu o japonês Kanoa Igarashi. O melhor brasileiro foi Italo Ferreira, eliminado nas quartas de final

Num dia em que as ondas oferecerem condições perfeitas para uma contagiante exibição de alta performance, a Austrália vibra com vitória dupla no Hurley Pro Sunset Beach . Molly Picklum conquistou o bicampeonato contra a havaiana Bettylou Sakura Johnson e Jack Robinson bateu o japonês Kanoa Igarashi numa final eletrizante. O resultado posicionou Molly na liderança do ranking feminino e Jack em segundo lugar no masculino, ao lado do havaiano Barron Mamiya. Na ponta, à frente dos dois, mas não por uma grande diferença, está o havaiano John John Florence, que terminou em quinto lugar no evento, superado por Jordy Smith. O melhor brasileiro no evento foi Italo Ferreira, eliminado nas quartas de final.

Molly Picklum, que conseguiu sua segunda vitória consecutiva em Sunset Beach, não poderia estar mais contente: “O mar hoje esteve em sintonia comigo e estou muito, muito feliz por isso. Cada evento o sentimento é diferente, então estou apenas aceitando o que realmente acontece e tentando encontrar pequenos momentos divertidos nisso tudo. Definitivamente, eu não estava tão confiante neste evento. Mas, sempre mantive a confiança e acho que esse é um dos meus pontos fortes”.

Jack Robinson também estava em êxtase após sua vitória contra Kanoa Igarashi, que o conduziu ao lugar mais alto do pódio: “Esses últimos meses foram uma loucura para mim em casa. Meu filho nasceu antes de vir para cá, então é muita novidade e estou só tentando me adaptar a tudo. Eu estou muito feliz por hoje. Eu sei que não comecei bem em Pipe, mas não importa, porque eu só estava querendo aproveitar ao máximo e isso é o mais especial. Essa onda na final (9,87) foi muito legal e eu nunca tinha surfado dois tubos na mesma onda aqui. E fazer uma final com o Kanoa foi muito legal. Nós crescemos juntos, já fazemos isso há muito tempo. É uma história legal e tem muito mais por vir ainda”.

O australiano começou sua escalada rumo ao primeiro lugar eliminando Italo Ferreira nas quartas de final. Foi o primeiro show de Jack nas ondas excelentes da quarta-feira em Sunset Beach. Com seu ataque poderoso de backside, o brasileiro fez a sua melhor apresentação no Havaí, abrindo a bateria com notas 7,50 e 8,10. Mas, o frontside do Jack Robinson veio mais forte ainda, somando 7,60 com a nota 9,77 de um tubaço incrível que surfou em sua última onda, para eliminar Italo por 17,37 a 15,60.

+Brasil torce por Italo Ferreira no Hurley Pro Sunset Beach

Na sequência, Jack Robinson venceu o duelo australiano das semifinais contra Ryan Callinan, por 16,10 a 13,10 pontos, com notas 8,00 e 8,10 nas duas últimas ondas que surfou. Mas o melhor ainda estava por vir, na sua performance espetacular diante do amigo Kanoa durante a bateria final do evento. O australiano estava impecável na escolha das ondas e já começou forte, com nota 8,17. Kanoa respondeu com 7,33 e Jack se manteve à frente com 6,17. Foi ai que o australiano pegou a melhor onda do campeonato, que começou com um rasgadão insano abaixo do lip, já conectando num tubão, do qual ressurgiu brevemente para se entocar em outro tubo e mandar mais uma rasgada como ponto de exclamação final.

Dois dos cinco juízes deram nota 10, com a média ficando em 9,87. Foi a maior do campeonato, superando o seu próprio 9,77 na quarta de final contra o Italo Ferreira. Com o 9,87, também aumentou o seu recorde de pontos no campeonato, de 17,37 contra o brasileiro, para 18,04. Kanoa Igarashi ainda foi para sua última tentativa, uma onda que valeu 7,83, mas não pode impedir a festa de Jack Robinson pela vitória.

MULHERES QUEBRANDO BARREIRAS

O show das mulheres no Havaí esse ano, iniciadona etapa de Pipeline, teve prosseguimento em Sunset, onde Molly Picklum bateu todos os recordes do Hurley Pro Sunset Beach. A havaiana Bettylou Sakura Johnson vinha se destacando e tinha feito as maiores marcas femininas, com uma nota 9,17 num tubaço surfado na primeira fase e 15,50 pontos nas quartas de final que abriram o último dia. As duas já tinham marcado as melhores notas nas ondas de Pipeline, com a australiana ganhando o primeiro 10 da temporada, batendo a nota 9,70 da Bettylou, que foi a segunda maior do Lexus Pipe Pro.

Em Sunset Beach, Molly Picklum voltou a brilhar na semifinal contra Brisa Hennessy, da Costa Rica. Ela começou com 7,77 na primeira onda, depois pegou uma enorme e não teve medo de ir para o tudo ou nadan, atacando o lip frontalmente para despencar com a massa d´água se mantendo em cima da prancha de uma forma incrível. Um dos cinco juízes deu nota 10 e a média ficou 9,67. Provavelmente a maior já recebida por uma única manobra no CT feminino. Com essa nota, a australiana registrou um novo recorde de 17,44 nas duas primeiras etapas do Havaí, superando os 15,84 da campeã em Pipeline, Caitlin Simmers.

Com a classificação para a final, Molly Picklum já tirava a liderança do ranking da norte-americana, mas a lycra amarela acabou sendo disputada na bateria decisava do evento. Isso porque Bettylou Sakura Johnson derrotou a campeã mundial Caroline Marks na outra semifinal e tinha chance de liderar o ranking, se vencesse o campeonato. Era a primeira final da carreira da jovem surfista de apenas 18 anos de idade, enquanto a australiana de 21 anos decidia uma etapa do CT pela quinta vez, a segunda seguida no Havaí e em Sunset Beach também.

Bettylou Sakura Johnson, que tinha ao seu lado toda a torcida havaiana, que lotou a praia na quarta-feira começou melhor, com nota 7,17, contra 6,50 de Molly Picklum. Foi uma bateria em que acabaram faltando mais ondas boas, mas a australiana conseguiu somar um 5,33 e saltar para a liderança. A havaiana, que tinha prioridade de escolher a próxima onda, ficou mais de 15 minutos esperando por uma série que não apareceu. A bateria chegou ao fim e Bettylou Sakura Johnson acabou somando apenas uma nota 1,50. Molly Picklum celebrou o bicampeonato consecutivo no Hurley Pro Sunset Beach por 11,83 a 8,67 pontos.

COMEÇO DE ANO DIFÍCIL PARA O BRASIL

O início da temporada 2024 no Havaí, não foi bom para os surfistas brasileiros. A começar pelo desfalque de João Chianca, o Chumbinho, que abdicou de participar das duas primeira etapas do ano para seguir se recuperando do grave acidente sofrido em Pipeline em dezembro passado. Depois, Filipe Toledo pediu uma licença médica do CT, para cuidar da saúde mental. Na primeira etapa em Pipeline, apenas Yago Dora passou pela terceira fase e perdeu nas oitavas de final.

Em Sunset Beach, Italo Ferreira e Miguel Pupo chegaram nas oitavas de final, mas só o potiguar se classificou para o último dia. Foi a única quartas de final masculina brasileira da temporada havaiana, ao final da qual apenas Italo, Miguel e Yago, estão entre os 22 primeiros do ranking. Essa é a linha de corte do meio da temporada, que vai acontecer na quinta etapa, na Austrália. Pela primeira vez em muitos anos, nenhum brasileiro aparece entre os top-10 do ranking após as duas primeiras etapas.

Já o time feminino brasileiro começou melhor em Pipeline, com Tatiana Weston-Webb e Luana Silva ficando em quinto lugar, só perdendo nas quartas de final. Mas em Sunset Beach, ambas pararam nas oitavas de final e terminaram na nona colocação. Com estes resultados, as duas dividem a sétima posição no ranking com a australiana Isabella Nichols, ou seja, estão na lista das top-10 que escaparão do corte, já garantindo as vagas para o restante da temporada e para a elite do CT em 2025. Tatiana já venceu a etapa de Portugal em 2022 e também a de Margaret River em 2021, onde acontecerá o corte.

O próximo confronto dos melhores surfistas do mundo será no MEO Rip Curl Pro Portugal, de 6 a 16 de março nas ondas de Supertubos, em Peniche.

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO HURLEY PRO SUNSET BEACH:
Campeão: Jack Robinson (AUS) por 18,04 pts (9,87+8,17) – US$ 80.000 e 10.000 pontos
2.o lugar: Kanoa Igarashi (JPN) com 15,16 pts (7,83+7,33) – US$ 50.000 e 7.800 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 32.000 e 6.085 pontos:
1.a: Kanoa Igarashi (JPN) 14,83 x 12,50 Jordy Smith (AFR)
2.a: Jack Robinson (AUS) 16,10 x 13,10 Ryan Callinan (AUS)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 21.500 e 4.745 pontos:
1.a: Kanoa Igarashi (JPN) 14,67 x 10,90 Seth Moniz (HAV)
2.a: Jordy Smith (AFR) 15,16 x 14,26 John John Florence (HAV)
3.a: Ryan Callinan (AUS) 16,00 x 12,10 Liam O´Brien (AUS)
4.a: Jack Robinson (AUS) 17,37 x 15,60 Italo Ferreira (BRA)

DECISÃO DO TÍTULO FEMININO:
Campeã:  Molly Picklum (AUS) por 11,83 pts (6,50+5,33) – US$ 80.000 e 10.000 pontos
2.o lugar: Bettylou Sakura Johnson (HAV) com 8,67 pts (7,17+1,50) – US$ 50.000 e 7.800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 32.000 e 6.085 pontos:
1.a: Molly Picklum (AUS) 17,44 x 9,07 Brisa Hennessy (CRC)
2.a: Bettylou Sakura Johnson (HAV) 12,66 x 10,40 Caroline Marks (EUA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 21.500 e 4.745 pontos:
1.a: Molly Picklum (AUS) 11,16 x 7,60 Lakey Peterson (EUA)
2.a: Brisa Hennessy (CRC) 11,67 x 2,00 Caitlin Simmers (EUA)
3.a: Caroline Marks (EUA) 8,57 x 7,67 Johanne Defay (FRA)
4.a: Bettylou Sakura Johnson (HAV) 15,50 x 10,66 Isabella Nichols (AUS)

RANKINGS DA WORLD SURF LEAGUE – após as 2 etapas do Havaí:

TOP-10 DO RANKING MASCULINO:
1.o: John John Florence (HAV) – 12.545 pontos
2.o: Jack Robinson (AUS) – 11.330
2.o: Barron Mamiya (HAV) – 11.330
4.o: Jordy Smith (AFR) – 10.830
5.o: Connor O´Leary (JPN) – 9.405
6.o: Kanoa Igarashi (JPN) – 9.130
7.o: Ethan Ewing (AUS) – 8.065
7.o: Liam O´Brien (AUS) – 8.065
9.o: Ryan Callinan (AUS) – 7.415
9.o: Ian Gentil (HAV) – 7.415
——-posições dos brasileiros
13.o: Italo Ferreira (RN) – 6.075 pontos
17.o: Yago Dora (SC) – 4.650
17.o: Miguel Pupo (SP) – 4.650
26.o: Gabriel Medina (SP) – 2.660
26.o: Samuel Pupo (SP) – 2.660
26.o: Deivid Silva (SP) – 2.660
32.o: Caio Ibelli (SP) – 1.595
34.o: João Chianca (RJ) – 530
35.o: Filipe Toledo (SP) – 265

TOP-10 DO RANKING FEMININO:
1.a: Molly Picklum (AUS) – 17.800 pontos
2.a: Caitlin Simmers (EUA) – 14.745
3.a: Bettylou Sakura Johnson (HAV) – 13.885
4.a: Brisa Hennessy (CRC) – 12.170
5.a: Caroline Marks (EUA) – 10.830
6.a: Johanne Defay (FRA) – 9.490
7.a: Tatiana Weston-Webb (BRA) – 7.355
7.a: Isabella Nichols (AUS) – 7.355
7.a: Luana Silva (BRA) – 7.355
10.a: Lakey Peterson (EUA) – 5.790

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias