25 C
Papeete
domingo, 16 junho, 2024
25 C
Papeete
domingo, 16 junho, 2024

As pranchas de Gabriel Medina para competir em Teahupoo

Desde sua vitória contra Kelly Slater em Teahupoo quebrando grande, em 2014, Gabriel Medina mantém, merecidamente, a reputação como um dos melhores surfistas do mundo na temida bancada taitiana.

Os resultados falam por si: Medina competiu em Teahupoo sete vezes (perdeu 2022 por lesão, enquanto o evento foi cancelado em 2020 e 2021 devido à COVID) e chegou à final incríveis seis vezes, vencendo duas. E a única vez que não chegou à final? Ele foi eliminado nas semifinais.

Com a aproximação da próxima etapa do WSL Championship 2024, o Tahiti Pro, com abertura oficial no próximo dia 22, o tricampeão mundial chega à Polinésia Francesa ocupando uma posição baixa no ranking (19º), após uma série de derrotas em baterias apertadas e controversas.

+ João Chianca surfa mar pesado em Teahupo’o e mostra que está pronto

Por outro lado, o brasileiro é conhecido por inícios de temporadas não muito positivos e embalar após algumas etapas. Motivo pelo qual todos aguardam para vê-lo em ação em Teahupoo, que, além de tudo, será o palco das disputas de surf dos Jogos Olímpicos de Paris 2024.

O shaper Johnny Cabianca fez um vídeo para mostras os modelos que Gabriel Medina usará em Teahupoo. O brasileiro levará dois modelos – um padrão para ondas tubulares é o DFK 2.0, que tem mais curvatura do que seu modelo normal Medina. De 6’0” a 6’2”, têm 19″ de largura, 2′ x1/2″ de espessura e cerca de 29 litros de volume. E se o swell começar a atingir níveis superiores, ele mudará para o Magnum, o modelo semi-gun de Cabianca. Eles têm 6’4” e 6’6”, a mesma largura de 19 polegadas, mas ligeiramente mais espessos, com 2 x 9/16″. Todos têm pintails arredondados.

Gabriel escolheu o novo esquema de cores azul para combinar com as águas do Taiti, explica Johnny Cabianca, e a única mudança em relação aos anos anteriores são algumas novas configurações de cinco quilhas, caso Medina queira mudar para uma configuração de quatro quilhas. A incógnita no quiver é o design de seis canaletas, que Cabianca disse que Gabriel provavelmente testará em algumas sessões de freesurf. No entanto, se a velocidade extra for do seu agrado, o design poderá ser incluído na seleção olímpica.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias