Publicidade:

As chances de Gabriel Medina ao tetra

Está tudo quase pronto para o El Salvador Pro e a gente quer saber quais são as chances de Gabriel Medina ao tetra.

A sétima etapa do Tour 2022 da WSL começa no próximo domingo (12/6), com prazo até o dia 20 do mesmo mês para ser encerrada em El Salvador.

Confira: 
+ Jack Robinson é a maior a ameaça ao reinado brazuca no Tour
+ Gabriel Medina e Desert Point: tentamos entender a polêmica

A seleção brasileira já está com seus nove surfistas escalados para a estreia do El Salvador Pro. Esta é a última parada antes dos melhores surfistas do mundo retornarem ao Brasil, para competir no Rio Pro  em Saquarema, que será realizado entre os dias 23 e 30 na “Capital Nacional do Surf” da Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Surf City El Salvador Pro acontece em La Libertad, no point break de direitas de Punta Roca, também conhecido por La Punta ou Punta Chilama. El Salvador é o 17.o país a receber uma etapa do WSL Championship Tour, desde a criação de uma elite para disputar os títulos mundiais da temporada em 1992.

E Punta Roca é a 43.a praia a ser palco da principal competição do esporte nestes 30 anos. Esta é, também, a segunda vez que uma etapa do CT será disputada na América Central. A outra foi em Porto Rico, em 2010.

As chances de Gabriel Medina ao tetra

A etapa anterior, o Pro G-Land, marcou a volta de Gabriel Medina à elite do surf. Medina avançou até as semis; Italo Ferreira disse que Gabriel foi o melhor do campeonato, mas quem levou a taça foi o australiano Jack Robinson.

A volta de Medina abriu espaço para a questão sobre o que é que precisa fazer o surfista para conquistar o tetra mundial?

No vídeo lançado pelo Série ao Fundo, Gabriel têm de vencer duas etapas no mínimo, e a depender dos resultados dos caras que estão à frente dele, ele precisa chegar, pelo menos, em duas semifinais (em uma ele já chegou; em G-Land).

Ele precisa de uma vitória, três vices e um quinto lugar; ou duas vitórias, dois vices e um nono lugar; ou três vitórias, um vice e um 17º lugar; descreve Tiago Brant no vídeo. Segundo Brant, as informações são provenientes do Delta (grupo de amigos surfistas fissurados).

Assista abaixo:

“O Gabriel voltou agora com uma diversidade de manobras e com uma economia de movimentos entre elas que eu nunca tinha visto. E acho que o surf dele chegou a um patamar que estou gostando de assistir. Ele voltou um nível acima ao que ele estava,” conta Edinho Leite.

O Brasil em El Salvador: confira as baterias

A seleção brasileira da WSL vai repetir os nove surfistas que competiram no Pro G-Land na Indonésia, com Yago Dora substituindo Seth Moniz. Outro havaiano não vai competir em El Salvador por estar contundido, John John Florence, com Carlos Muñoz, da Costa Rica, sendo convocado para ocupar a vaga do bicampeão mundial. Yago Dora será o primeiro brasileiro a estrear nas direitas de Punta Roca, contra o japonês Kanoa Igarashi e o australiano Connor O´Leary, na segunda bateria do Surf City El Salvador Pro.

Na quarta, tem Brasil em dose dupla, com Filipe Toledo vestindo a lycra amarela de número 1 da World Surf League pela terceira etapa seguida, entrando junto com Samuel Pupo e o convidado da organização do evento, que será definido em uma triagem com surfistas locais de El Salvador. Na disputa seguinte, tem o campeão mundial e medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio, Italo Ferreira, contra os norte-americanos Kolohe Andino e Jake Marshall.

Depois, mais dois brasileiros vão estrear juntos na sexta bateria, com Caio Ibelli e Jadson André enfrentando outro surfista dos Estados Unidos, Griffin Colapinto. Nesta rodada inicial, apenas os vencedores avançam direto para as oitavas de final, mas os outros dois têm uma segunda chance de classificação na repescagem. O tricampeão mundial Gabriel Medina está na sétima bateria com o australiano Callum Robson e o sul-africano Matthew McGillivray. Na oitava e última, tem Miguel Pupo contra o havaiano Barron Mamiya e o californiano Nat Young.

Se o Surf City El Salvador Pro apresentado pela Corona for iniciado pela categoria feminina, já vai ter Brasil na primeira bateria do dia, com a vice-campeã mundial Tatiana Weston-Webb disputando classificação direta para as quartas de final com a americana Lakey Peterson e a havaiana Gabriela Bryan. Tatiana foi semifinalista no Pro G-Land na Indonésia e retornou ao grupo das top-5 do ranking, que no final da temporada vai disputar o título mundial no Rip Curl WSL Finals, em setembro na Califórnia, Estados Unidos.

PRIMEIRA FASE DO SURF CITY EL SALVADOR PRO:

CATEGORIA MASCULINA – 1.o=Oitavas de Final / 2.o e 3.o=Segunda Fase:
1.a: Ethan Ewing (AUS), Jordy Smith (AFR), Jackson Baker (AUS)
2.a: Kanoa Igarashi (JPN), Connor O´Leary (AUS), Yago Dora (BRA)
3.a: Jack Robinson (AUS), Kelly Slater (EUA), Carlos Munoz (CRI)
4.a: Filipe Toledo (BRA), Samuel Pupo (BRA), convidado do evento
5.a: Italo Ferreira (BRA), Kolohe Andino (EUA), Jake Marshall (EUA)
6.a: Griffin Colapinto (EUA), Caio Ibelli (BRA), Jadson André (BRA)
7.a: Gabriel Medina (BRA), Callum Robson (AUS), Matthew McGillivray (AFR)
8.a: Miguel Pupo (BRA), Barron Mamiya (HAV), Nat Young (EUA)

CATEGORIA FEMININA – 1.a=Quartas de Final / 2.a e 3.a=Segunda Fase:
1.a: Tatiana Weston-Webb (BRA), Lakey Peterson (EUA), Gabriela Bryan (HAV)
2.a: Carissa Moore (HAV), Courtney Conlogue (EUA), Tia Blanco (EUA)
3.a: Brisa Hennessy (CRI), Isabella Nichols (AUS), Caroline Marks (EUA)
4.a: Johanne Defay (FRA), Stephanie Gilmore (AUS), Sally Fitzgibbons (AUS)

RANKING DO WSL CHAMPIONSHIP TOUR – 6 etapas:
1.o- Filipe Toledo (BRA) – 32.240 pontos
2.o- Jack Robinson (AUS) – 32.160
3.o- John John Florence (HAV) – 26.695
4.o- Kanoa Igarashi (JPN) – 23.365
5.o- Ethan Ewing (AUS) – 22.905
6.o- Italo Ferreira (BRA) – 22.215
7.o- Griffin Colapinto (EUA) – 22.150
8.o- Miguel Pupo (BRA) – 20.790
9.o- Barron Mamiya (HAV) – 19.300
10.o- Callum Robson (AUS) – 19.090
11.o- Caio Ibelli (BRA) – 18.150
12.o- Kolohe Andino (EUA) – 18.025
13.o- Jordy Smith (AFR) – 17.460
14.o- Connor O´Leary (AUS) – 17.460
15.o- Kelly Slater (EUA) – 17.310
16.o- Samuel Pupo (BRA) – 16.035
16.o- Nat Young (EUA) – 16.035
18.o- Matthew McGillivray (AFR) – 15.745
19.o- Seth Moniz (HAV) – 15.470
20.o- Jadson André (BRA) – 14.045
20.o- Jake Marshall (EUA) – 14.045
22.o- Jackson Baker (AUS) – 10.630
23.o- Gabriel Medina (BRA) – 7.145
24.o- Rio Waida (IDN) – 3.320
25.o- Yago Dora (BRA) – 2.390

RANKING DO WSL CHAMPIONSHIP TOUR – 6 etapas:
1.a- Carissa Moore (HAV) – 30.830 pontos
2.a- Brisa Hennessy (CRI) – 30.320
3.a- Johanne Defay (FRA) – 28.980
4.a- Tyler Wright (AUS) – 26.050
5.a- Tatiana Weston-Webb (BRA) – 23.915
6.a- Lakey Peterson (EUA) – 23.850
7.a- Stephanie Gilmore (AUS) – 22.930
8.a- Isabella Nichols (AUS) – 22.575
9.a- Courtney Conlogue (EUA) – 22.135
10.a- Gabriela Bryan (HAV) – 21.715
11.a- Bronte Macaulay (AUS) – 20.570
12.a- Sally Fitzgibbons (AUS) – 17.320

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias