26 C
Papeete
quinta-feira, 23 maio, 2024
26 C
Papeete
quinta-feira, 23 maio, 2024

A trajetória de Gabriel Medina no tricampeonato mundial

Gabriel Medina fez de tudo um pouco no circuito mundial de 2021. Entre tubos, snaps, laybacks e manobras aéreas em busca do céu, a jornada do atleta para a conquista do terceiro título mundial entrou para a história.

Medina se destacou durante o ano todo e liderou o ranking com uma diferença de mais de 10.000 pontos em relação ao vice-campeão e também finalista em Lower Trestles, Filipe Toledo.

Foi um ano de agenda cheia para o surfista brasileiro. Ele não só passou 2021 viajando pelo mundo e pelas etapas do circuito mundial ao lado da sua esposa Yasmin Brunet, como também foi para Tóquio, na estreia da modalidade surf nas Olimpíadas.

Gabriel realizou mais um dos seus sonhos neste ano, ao ganhar o seu terceiro título mundial e se colocar ao lado dos feitos de Andy Irons, Mick Fanning e Tom Curren – todos tricampeões. Confira as fotos mais marcantes do banco de imagens da WSL da trajetória de Gabriel pelo título mundial.

O começo

Gabriel Medina é um dos surfista mais completos da atualidade. E quando se trata de tubo, ele sempre se coloca como um dos favoritos. Em dezembro de 2020, no primeiro evento da temporada, ele ficou em segundo lugar e perdeu apenas para o local havaiano John John Florence no Pipe Masters. Os dois competidores foram incríveis até chegarem ao pódio.

Foi o resultado em Pipeline que cavou a liderança de Medina no resto da temporada, já que John John se machucou em Margaret River e ficou de fora no resto das etapas.

Medina deixou claro que estava de volta e pronto para a ação depois de perder o título mundial de 2019 para Italo Ferreira também em Pipeline.

Gabriel Medina
Fotão de Gabriel Medina em Pipeline, onde começou a fazer sua história até o título mundial – Foto: Brent Bielmann / WSL

O segundo lugar em Newcastle

Medina sempre ora muito antes de entrar na água para as suas baterias. Na etapa de Newcastle, que foi a segunda parada na turnê do CT 2021, as condições estavam excelentes para o surfista apresentar seu talento e sua diversidade de manobras. Suas ondas foram excelentes. Gabriel tirou um 8.60, a maior nota da final, contra o também brasileiro Italo Ferreira. No entanto, ele foi inferior a Italo e terminou em segundo lugar mais uma vez.

Depois de duas vezes ficar em segundo lugar, Gabriel foi ganhando impulso e mostrando consistência na sua trajetória do resto do ano.

Medina em seu momento de fé – Foto: Cait Miers / WSL

A primeira vitória

Depois de ir para as duas primeiras finais do circuito 2021, Gabriel finalmente conseguiu o lugar mais alto do pódio na etapa de Narrabeen. A final foi contra o americano Conner Coffin. Foi a partir dali que ele ganhou a posse da lycra amarela e passou a usá-la pelo resto da temporada.

Gabriel Medina
Medina se destaca e leva o título do evento – Foto: Matt Dunbar / WSL

Mais uma vez, superior em Rottnest Island

2021 foi um longo ano para todos os atletas. Logo de cara, foram três meses na Austrália, com quatro etapas do circuito. Com um surf forte e uma torcida grande na praia, Medina manteve o ritmo com mais uma vitória na etapa de Rottnest Island.

“Isso foi incrível, eu me diverti muito neste evento. Tem sido meu melhor ano até agora”, disse Gabriel em sua entrevista pós-bateria.

“Quer dizer, eu tive algumas baterias duras, Connor e Italo, mas é bom surfar do jeito que eu gosto. Me sinto confortável lá fora (no outside) e aproveito cada momento. Sou abençoado por ter essas ondas no circuito, viajar com minha esposa e todas essas pessoas ao meu redor. Eu quero aproveitar este momento. ”

Gabriel Medina
Com excelentes resultados nas três primeiras etapas, Gabriel cravou mais uma vitória em Rottnest Island – Foto: Matt Dunbar / WSL

O confronto brasileiro no Surf Ranch

Consistência é a chave para o sucesso. Na final da etapa do Surf Ranch, dois brasileiros: Gabriel Medina e Filipe Toledo. Quem conseguisse fazer mais aéreos em uma onda levaria a vitória.

Filipe saiu por cima, mas Medina garantiu outro segundo lugar à sua somatória de pontos. Mal sabíamos que esta final em particular era um indício do confronto pelo título mundial que veríamos em Trestles na última etapa.

Nas finais do Surf Ranch Gabriel e Filipe se enfrentaram – Foto: Tony Heff / WSL

A realização do sonho

“Eu me sinto muito feliz. Não é todo dia que você realiza seu sonho”, disse Gabriel em sua entrevista pós-vitória.

“É tão bom sonhar. Cada sonho parece impossível até que seja realizado. Este é um dia especial para mim. Eu tinha esse sonho na minha mente há muito tempo. Toda a glória e honra para o cara lá em cima. Sempre me fez trabalhar duro e nunca desistir. Não existe outro jeito de conseguir, sem ser trabalhando duro, tendo paciência e deixando o surf falar. Não sou bom em falar, eu só amo surfar. Este dia vai durar para sempre na minha vida. Vou contar ao meu filho. Que tive de surfar muito para ganhar este título. ”

Sábias palavras de alguém que tem apenas 27 anos e já teve tantas conquistas na vida.

Depois de vencer as finais do circuito contra o Filipe Toledo, Gabriel comemora segurando a bandeira brasileira. – Foto: Pat Nolan / WSL

3x Gabriel Medina

“Eu só quero dizer. Estou realmente inspirado por todas as coisas que Gabriel disse. Ele está representando o surf tão bem”, disse Kelly Slater após assistir às finais em Trestles. “É ótimo ver alguém colocar todo esse trabalho e esforço em sua vida e ter sucesso. Muito feliz por ele.”

Se a lenda do surf foi inspirada, isso significa que este ano foi realmente muito especial. Será emocionante ver o que Medina fará em 2022.

Com três dedos em uma das mãos e o troféu do título mundial na outra, Gabriel comemora e entra para a história mais uma vez – Foto: Pat Nolan / WSL

Texto com informações da WSL.

 

 

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias