Shane Dorian, Mason Ho, Koa Smith, Josh Kerr, Dion Agius, Noah Waggy e Dane Gudang dão dicas de seus picos secretos para encontrar a “paz” no surf; confira

Por Redação HC

No cenário em que o mundo vive hoje, os celulares se tornaram praticamente uma extensão do nosso corpo — mais precisamente do nosso cérebro — e estão presentes na maioria de nossas atividades. No surf, o volume de conteúdo após a expansão da facilidade tecnológica foi tremendo e a verdadeira conexão do homem com o mar acaba, em algumas ocasiões, banalizada pelo excesso.

Pensando em fugir desse quadro, Mason Ho, Koa Smith, Josh Kerr, Dion Agius, Noah Waggy, Shane Dorian e Dane Gudang deram entrevista a Stab com algumas dicas de locais para se fugir um pouco da fissura das redes sociais e se conectar com a natureza. Confira abaixo os destinos de fuga dos surfistas:

Mason Ho – Campo de geleiras no Alasca:

“Uma das minhas fugas favoritas sem WiFi, serviço de celular ou tecnologia é um campo de geleiras no Alasca. Pessoalmente, não há sensação melhor do que estar em um lugar tão bonito ao lado de uma fogueira com o que ou quem você quiser, apenas esperando um pedaço de gelo quebrar para que você possa surfar.

As Maldivas são um dos locais indicados para se desligar do mundo exterior. Na foto, Josh Kerr executa um belo aéreo (Foto: WSL/ Sean Scott)

Shane Dorian – Barcos e Maldivas:

“Cara, acho que qualquer viagem de barco que te afaste da recepção dos hotéis servirá. Eu estava em uma viagem de barco nas Maldivas por duas semanas e não tínhamos serviço de celular e foi tão divertido. Ondas épicas são tudo o que você realmente precisa.”

Dane Gudauskas- África épica:

“A fuga favorita sem distrações, WiFi e serviço de celular, pra mim, é acampando na África Ocidental … Uma viagem super memorável foi com Kepa Acero e meu amigo Kevin Voegtlin. Íamos nos encontrar com Alan van Gysen no lado oposto do país, no sul … nosso vôo da capital foi cancelado. Nossa única opção para chegar ao mar era pegar um ônibus de campo de dois dias que passaria por todo o litoral, parando em aldeias para deixar os locais.

Éramos apenas nós três rindo da situação em que estávamos e esperando em um ponto de ônibus aleatório por próximas oito horas.

A viagem a África Ocidental marcou a vida de Dane Gudauskas em uma aventura que viveu totalmente desconectado (Foto: San Clemente Times/ Jake Howard)

Não tínhamos outras distrações além de um livro, mas isso realmente nos permitiu  entrar em contato com as pessoas ao nosso redor. Ouvir as conversas, os sons dos carros, os cheiros. Isso aguça seus instintos e provavelmente me deu mais confiança para socializar com o ao redor.

A viagem de ônibus foi uma lembrança que nunca esquecerei também. Estava cheio de cabras e galinhas ali ao lado de todos os passageiros. Acabamos indo para onde queríamos ir, no fundo do deserto e, apesar de termos perdido o pico do swell, percebemos que isso realmente não importava. Acampamos nas duas semanas seguintes, surfando apenas em nossas mentes, comendo arroz com pasta de tomate, além da degustação de cervejas quentes aleatórias dos bares locais.

Vivemos o momento e realizamos uma viagem de surf entre amigos. É divertido ter essas oportunidades fora do padrão, e está ficando cada vez mais difícil, porque você pode praticamente levar seu telefone para qualquer lugar hoje em dia. Porém, sem ele, você realmente se conecta com as pessoas ao seu redor e com o ambiente em que está.  Isso permite que esses tempos “raros” sejam marcados em sua memória e você reviverá as histórias para sempre.”

Dion Agius – Barcos na Indo:

“Eu tenho que dizer que meu lugar favorito para fugas é a Indonésia, em uma viagem de barco  indo embora por dez dias e não tendo nenhuma conexão com o mundo exterior ou distrações da Internet e, finalmente, tendo uma boa desculpa para não responder minhas mensagens.

Uma viagem de barco para a Indonésia pode ser o melhor destino para aqueles que querem fugir do mundo virtual (Foto: Sumatran Surfariis)

Na última viagem que fiz, sentimos muita a diferença quando passamos por uma área que tinha sinal. De repente, os telefones de todos começaram a tocar e, é claro, todo mundo voltou a telefonar novamente e ver coisas do trabalho, família e amigos. É meio desagradável, porque tira você de um estado de paz, apenas flutuando sem conexões ou distrações. Quando o sinal chega, você é lembrado do mundo exterior e de tudo e de todo resto e isso é ruim”.

Josh Kerr – De Kandui à Baja:

“Minha fuga favorita é Kandui. Comida saudável e surf o dia inteiro! Outro é Baja. Lá há Muitos lugares para escapar e ficar fora do mundo virtual.”

Noah Waggy- Big Surf (CAL) e Noroeste do Pacífico:

“Eu gosto de passar meu tempo livre em Big Sur ou no noroeste do Pacífico. Ambas as áreas são extremamente lindas e você pode se afastar dos sinais de wifi e celular e aproveitar o melhor das potentes ondas desses locais”.

Koa Smith – Fuga pra Indo:

“Cara, esses lugares estão se tornando cada vez mais raros! Em todos os picos parece ter sinal de celular hoje em dia . Mas você ainda pode fazer uma viagem de barco para Indo e literalmente fugir. Esse sempre foi o meu lugar favorito para desconectar. Nada a fazer senão surfar e explorar.”

VEJA TAMBÉM:
FILIPE TOLEDO SENTE AS COSTAS E DEIXA BATERIA ANTES DO FIM NO QUIK PRO
SÉRIE PERFECT STORM COM TOPS BRASILEIROS DO CT ESTREIA NA HARDCORE
– RETROSPECTO QUIKSILVER PRO: O FAVORITISMO DE MEDINA EM NÚMEROS