24 C
Papeete
quinta-feira, 13 junho, 2024
24 C
Papeete
quinta-feira, 13 junho, 2024

28 baleias-piloto são salvas de encalhe na Nova Zelândia

28 baleias-piloto que estavam encalhadas em uma faixa do litoral da Ilha Sul da Nova Zelândia foram salvas por voluntários após uma longa operação de resgate

Contudo, os mamíferos continuam perto da costa e podem encalhar novamente.

O Ministério da Conservação (DOC) afirmou que as baleias liberadas integravam um grupo de quase 50 mamíferos localizados na segunda-feira em Farewell Spit, uma faixa de areia 90 km ao norte da cidade de Nelson.

Quase 40 foram empurradas para o mar na segunda-feira, mas retornaram à costa um dia depois.

Sessenta voluntários trabalham para ajudar as 28 sobreviventes. “As baleias estão perto da costa e não sabemos se prosseguirão mar adentro ou voltarão a ficar encalhadas”, disse uma porta-voz do DOC.

“Funcionários do DOC e voluntários permanecem no local, preparados para uma resposta caso as baleias comecem a seguir para a costa e voltem a ficar encalhadas”, completou.

+ Praticantes de stand up paddle remam ao lado de tubarão-branco

+ Lucas Silveira em uma Haleiwa pesada; assista 

+ Maconha pode aumentar a vontade de se exercitar, segundo estudo

Infelizmente, ao menos 15 baleias do grupo original encalhado não resistiram e morreram. Farewell Spit é uma faixa de areia de 26 km de comprimento que avança para o mar em Golden Bay.

Nesta área já foram registrados os encalhes de vários grupos de baleias nos últimos 15 anos. Em fevereiro de 2017, quase 700 ficaram encalhadas em Farewell Spit e 250 faleceram na tragédia.

Não existe uma explicação científica determinada para o fenômeno. As especulações oscilam entre doença, erros de navegação, presença de predadores, condições meteorológicas extremas ou problemas relacionados com a topografia de alguns lugares.

Mas alguns especialistas acusam a atividade humana e sobretudo as perturbações geradas por poluição sonora e pelos radares de alta frequência, que estariam deixando as baleias desorientadas.

Com informações de BBC Londres.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias