Silvana Lima vira bateria de alta tensão contra Caroline Marks e se garante nas quartas em seu retorno ao CT; Tati é eliminada

Por Fernando Guimarães

Silvana Lima disputou na noite desta quarta (15) apenas sua terceira bateria desde que retornou ao CT após recuperar-se de uma lesão no joelho. Mas já fez barulho: a cearense eliminou do Corona Bali Protected a atual líder do ranking Caroline Marks, com uma atuação convincente em boas direitas no começo da manhã balinesa.

No final das oitavas de final femininas, em condições já bem mais difícil no mar, com ondas menores e irregulares e séries inconstantes, a segunda brasileira no páreo, Tatiana Weston-Webb, foi eliminada pela australiana Nikki van Dijk, que igualou o confronto direto entre as duas: agora, são três vitórias para cada lado.

Veja também:
O show de Thiago Camarão em Maresias – vídeo
Bodyboarder brasileiro morre surfando no México

Nas primeiras baterias do dia, Carissa Moore havia passado por Paige Hareb, que parece forte candidata a perder sua vaga na elite em 2019, enquanto a estreante Brisa Hennessy, da Costa Rica, reafirmou suas credenciais ao vencer Johanne Defay e garantir-se pela segunda vez seguida entre as oito melhores — no mínimo.

Na terceira bateria, Silvana Lima começou tomando a iniciativa, ganhando o inside de uma onda quando nenhuma das duas surfistas tinha a prioridade.

Silvana rema e dropa a onda. Caroline, mais para fora, rema, não entra e esfarela uma sessão inteira da onda.

Segundo o livro de regras da WSL,

“Para situações sem prioridades, o surfista que tiver a posição do inside em uma onda tem direito incondicional de seguir em frente por toda a duração da onda. A interferência será chamada se durante essa onda uma maioria dos juízes determinar que um surfista atrapalhou o potencial de pontuação do surfista que tinha o direito à onda. Isso inclui marcação excessiva, puxões na cordinha ou quebrar uma sessão.” (artigo 166.01).

O artigo 168 ainda falará sobre interferência de remada, novamente descrevendo punição a um surfista que intencionalmente esfarelar uma sessão de uma onda que outro surfista tem o direito de pegar por estar mais no inside.

Em ambos os artigos, fica claro que está a cargo do juízes decidir se houve interferência ou não, cabendo a eles interpretar se essa ação reduziu o potencial da onda.

Silvana estava um pouco atrás da sessão e é difícil definir o quanto foi atrapalhada. Entretanto, quando há uma situação de possível interferência em análise, isso fica sinalizado pelo painel de notas, o que não foi o caso. Ao que tudo indica, a situação nem foi avaliada pelos juízes.

A brasileira levaria a bateria adiante encontrando mais de uma vez os bons tubos em oferta no dia. Mas Marks havia passado à frente com seu sempre preciso ataque de backside, mas sem notas muito expressivas.

A dois minutos do fim, Silvana escolhe uma onda no inside e consegue aplicar três boas rasgadas, variando o ângulo, a extensão e a finalização do movimento de cada uma delas. Ainda deu uma batidinha no inside. Foi claramente a melhor onda da bateria e os juízes reconheceram.

Na regressiva, Marks pega uma onda que se desmancha. Por alguma razão, ela remava de volta para o outside quando a bateria já estava definida e Silvana fazia a volta da vitória com uma última ondinha. Resultado: a americana tomou uma senhora chuveirada na cara. Coisas de competição. Você pode assistir ao lance — e à bateria completa — aquinos dois minutos finais da opção full heat.

“Quer saber? Ela merece!”, disse Kaipo Guerreiro que, sempre atento, narrou a cena. Ele falava de Silvana merecer comemorar, claro.

Nas quartas, Silvana tem outro desafio: enfrenta Sally Fitzgibbons, que também surfou muito bem em Keramas. Stephanie Gilmore, com a melhor apresentação do campeonato até agora, está do outro lado da chave, junto com Courtney Conlogue. Lakey Peterson, atual campeã da etapa, foi eliminada pela jovem australiana Bronte Macaulay.

Corona Bali Protected – Oitavas de final – feminino

Carissa Moore 12,56 x 11,57 Paige Hareb
Brisa Hennessy 11,60 x 10,40 Johanne Defay
Silvana Lima 12,56 x 11,23 Caroline Marks
Sally Fitzgibbons 12,03 x 9,77 Coco Ho
Stephanie Gilmore 14,34 x 6,37 Keely Andrew
Courtney Conlogue 10,40 x 7,83 Malia Manuel
Bronte Macaulay 11,10 x 6,07 Lakey Peterson
Nikki Van Dijk 10,60 x 8,50 Tatiana Weston-Webb

Quartas de final

Carissa Moore x Brisa Hennessy
Silvana Lima x Sally Fitzgibbons
Stephanie Gilmore x Courtney Conlogue
Bronte Macaulay x Nikki Van Dijk