Dezenas de milhares de pessoas deixaram suas casas nesta terça (9) na península da Flórida enquanto o estado se prepara para a chegada do furacão Michael, possivelmente o mais violento a atingir a região em décadas, segundo discurso do próprio governador, Rick Scott.

Ainda como uma tempestade tropical, o furacão Michael já fez 13 vítimas fatais na América Central e no Caribe. Nesta terça, ele ganhou força e chegou ao nível 3. Autoridades na Flórida calculam que ele possa chegar ao continente com ventos de até 200 quilômetros por hora. As informações são do periódico inglês The Guardian.

Veja também: Após furacão, pacotes de maconha inundam praias da Flórida

Cerca de 120 mil moradores de áreas litorâneas e das baixadas do estado receberam no início da semana uma ordem de evacuação. Com a aproximação iminente do furacão, autoridades reforçaram estes moradores que o tempo está acabando.

“Por favor, deixem a área agora”, disse Tommy Ford, xerife do condado de Bay. Segundo ele, uma tempestade pode levar ondas de até quatro metros às áreas costeiras, colocando em risco centenas de propriedades próximas do oceano.

“É importante que saiam o mais cedo possível. Rotas de evacuação podem rapidamente se tornar em um pesadelo no trânsito”, explicou o xerife.

Segundo ele, nenhum morador será forçado a deixar sua residência, mas aqueles que não seguirem a ordem de evacuação enfrentarão o furacão por sua conta e risco.

Segundo o governador Rick Scott, a previsão aponta para o furacão tornando-se cada vez mais perigoso. “Essa tempestade será uma ameaça à vida das pessoas e extremamente perigosa”, disse ele em um encontro emergencial para tomar previdência sobre a chegada do furacão nesta terça.

Texto: redação HC
Imagem: reprodução/Getty Images