Imagens mostram momento raro em que um grupo de moluscos chocos prepara-se para o acasalamento.

Por Redação HC

Durante uma expedição ao fundo das águas de Manado, Indonésia, um mergulhador encontrou um grupo de moluscos da espécie choco em um momento um tanto quanto inusitado: os animais realizavam o que parece ser uma dança do acasalamento.

Os chocos são animais pertencentes a classe dos moluscos cefalópodes, porém, se assemelham aos peixes devido a seu formato alongado e modo de locomoção. Possuem uma capacidade complexa de camuflagem devido a seus cromatóforos, células de pigmentação que concedem aos chocos uma gama infinita de cores. Se alimentam de peixes, camarões e sangue. São conhecidos por serem tímidos e não costumam atacar humanos, porém, seu veneno é capaz de matar um homem adulto com facilidade.

Apesar da proximidade com os chocos, o mergulhador no vídeo não sofreu nenhum ataque.

A pesquisadora Márcia Pinto do Instituto BioRede diz que os chocos são animais ancestrais com características únicas: “os cefalópodes são muito antigos, surgiram neste planeta há mais de 550 milhões de anos. Sua capacidade de comunicação é extraordinária. Se comunicam sobretudo através de sinais visuais que consistem em movimentos dos braços e dos tentáculos, das barbatanas e do corpo em de mudanças de cor e padrões como barras, riscas, manchas regulares ou irregulares, de várias tonalidades.

Márcia destaca o fator da capacidade de memorização desses animais como seu aspecto mais interessante: “Os moluscos podem ser ensinados a discriminar formas, por exemplo entre um quadrado e um retângulo, e memorizam essa aprendizagem durante algum tempo. O seu padrão de comportamento pode ser modificado através de prêmios e punições. Ele sempre irá escolher aquilo que pode recompensá-lo.

No vídeo é possível ver oito chocos que parecem dançar uns para os outros. Uma espécime menor gira em torno da provável fêmea para chamar sua atenção. Confira a seguir:

 

Veja também: pescador exibe tubarão vivo como troféu e revolta ativistas