O atual bicampeão mundial John John Florence veio a público na última sexta (27) pela primeira vez desde que sofreu uma lesão no joelho, no começo do mês de maio, durante uma sessão de freesurf após a etapa de Keramas, a quarta etapa do circuito mundial da WSL. Após uma série de boatos repercutir em alguns veículos nacionais e internacionais, o havaiano enfim explicou a contusão.

“O diagnóstico do meu joelho é uma ruptura parcial de alto grau no LCA (ligamento cruzado anterior) direito”, explicou. “Em termos de competição, não tenho certeza se [o tempo de recuperação] serão 60 dias ou 120 dias, ou um pouco mais ou menos que isso”, escreveu.

Ele deixou claro que não pretende forçar um retorno antecipado aos campeonatos.

“Quando eu voltar, quero ter certeza de que poderei ir o mais rápido e forte que eu quiser sem ter que pensar no meu joelho. Esse será meu teste antes de vestir a camisa de competição outra vez”, disse John John.

Assim, o mais provável é que ele volte a competir apenas na sua casa, na etapa de Pipeline, o Billabong Pipe Masters, entre os dias 8 e 20 de dezembro, no North Shore de Oahu, Havaí.

I really wanted to thank everyone who has helped me with my injury or who has sent over positive messages the last few weeks. I’m feeling grateful to have so many good people in my life. I’ve been focused on recovering as quickly as possible and on exploring some new interests so I haven’t had time to share too much. The diagnosis of my knee is a high grade partial tear to my right ACL. It’s a bummer not to be able to surf but I’m excited for the opportunity to get into some new types of adventures with friends and family while I’m recovering. In terms of competing again I am not sure if it will be 60 days or 120 days, or less or more. When I return I want to know that I can go as fast and as big as I want to without any thought of my knee. That will be my test before I put a jersey back on.

Uma publicação compartilhada por John john Florence (@john_john_florence) em

O anúncio da lesão e do tempo necessário de recuperação exclui definitivamente o havaiano de uma possível defesa do título mundial. Além disso, fica praticamente certo que ele precisará de uma vagas duas vagas concedidas a surfistas lesionados para a elite em 2019.

A tendência é que sejam três postulantes às duas vagas: além de John John, Caio Ibelli e Kelly Slater também devem solicitar a participação no circuito na próxima temporada via convite.

Veja também:

Focado no título: Filipe Toledo antecipa preparação em Teahupoo

‘Achei que estava morto’: histórias de terror no mega swell na Indonésia