Alô, você! Comenta Cako voou e deixou Mark Zuckerberg e o Facebook pra trás! Agora, a parada é aqui, no site da Hardcore.

Mentira! Ainda estou por lá, mas aqui postarei opiniões um pouco mais aprofundadas, com fotos, vídeos e, claro, o texto ácido e as críticas de sempre.

Sem politicagens e sem pela sacagens!

Para abrir a coluna, depois de um final de 2015 mágico (não vou mais repetir o que aconteceu. Quem quiser lembrar, passa lá no FB), resolvi fazer um “melhores momentos” do que rolou até aqui, nessa nova temporada do surfe.

Entramos no terceiro mês do ano, o WT está para começar e o bicho está pegando!

Vem comigo!

1 . LUCAS SILVEIRA CAMPEÃO MUNDIAL PRO JUNIOR (13 DE JANEIRO)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=LiQ6RHnQnFQ]

Lembra no ano passado, quando falaram que nosso surfe tinha feito “barba, cabelo e bigode”? Então, faltaram os pelos do sovaco, das sobrancelhas ou os pubianos, como preferir… Faltava, porque não falta mais!

Enquanto a turma de cima curtia suas merecidas férias, uns casando, outros abençoando e a maioria gravando para a TV Globo em Fernando de Noronha, a galerinha das categorias de base atacou (sim, a renovação continua e a gringalhada continua borrando o short john de pânico) e o jovem Lucas Silveira se tornou o campeão Mundial Pro Junior. O campeonato foi em 2016, mas valeu pelo ano de 2015.

O carioca, criado nas ondas de São Conrado (Valoriza, porra!), mas radicado em Santa Catarina, apavorou no campeonato destinado a surfistas de até 21 anos. Além do título, incontestável, Luquinhas anotou o único 10 da prova (teve um juiz babaca que deu 9.7 nessa onda aí do vídeo) e escreveu, pela 7ª vez em 16, o nome do Brasil no topo da categoria. O título dá o direito a Lucas de participar de todos os eventos do QS 10000. Quem sabe não teremos mais novidades em 2017.

Sobre o Lucas, podemos dizer que está em ótimas mãos, sendo treinado pelo Leandro Breda, o Grilo, que também é o técnico do Adriano de Souza (pois é, pelo visto, temos os melhores técnicos do mundo também) e pai do Yago Dora, aquele que é considerado o maior free surfer do mundo na atualidade. Tem um surfe bem elegante, com uma linha bastante limpa e, de quebra, gosta de ondas grandes.

Resumo da ópera: vencemos na Elite, na Divisão de Acesso e no Pro Junior. Levamos também o Estreante do Ano, a Tríplice Coroa e as etapas de Snapper Rocks, do Rio de Janeiro, de Portugal e o Pipeline Masters.

Tá bom pra você?

 

2 . TODOS OS SANTOS CHALLENGE (17 DE JANEIRO)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=KsxwlV4nULA]

Da molecada, para o surfe de ondas grandes.

Entre os meses de Janeiro e Fevereiro, o hemisfério norte recebeu ondulações pesadas durante quase todas as semanas. Os big riders ficaram em polvorosas, assim como as redes sociais e a turma que curte o surfe de ondas grandes.

Começamos com mais uma etapa do Big Wave Tour (BWT), Circuito Mundial organizado pela entidade máxima do surfe, a WSL. O campeonato foi realizado em Todos os Santos, pico icónico da categoria e terminou com Josh Kerr como campeão. Carlos Burle ficou em terceiro lugar.

Aí você deve estar se perguntando: Josh Kerr?! WTF?! Pois é, o aussie foi convidado para a disputa, deixando de fora caras como Danilo Couto, Yuri Soledad e Marcio Freire. Não dá para entender os critérios da Liga. Só pode ser medo.

Enquanto isso, Jaws e Waimea quebravam pesados! E nada do Eddie Aikau rolar (mas isso eu falo mais na frente).

 

3 . PEDRO HENRIQUE, O PORTUGA BRASILEIRO (25 DE JANEIRO)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=MkS7tHaWrdk]

Quem tem mais de 25 anos, com certeza se lembra do Pedrinho. Mais um carioca bem pequeninho e que sempre quebrou em cima de numa prancha. Foi primeiro Campeão Mundial Pro Jr e representou o Brasil na elite em 2006.

Muita gente não sabe, mas Pedro trocou o surfe pelo kitesurfe e o Brasil por Portugal, se naturalizando um kitesurfista gajo. Foi campeão mundial de Kitewave e resolveu voltar ao surfe. E não é que começou bem?!

Pedrinho venceu um QS 1500, realizado nas ondas de Israel! Muito legal! Mazel Tov!

 

4 . KELLY SLATER, O REI DE PIPELINE (2 DE FEVEREIRO)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=5G6d6X0Y5o0]

No dia 2 de fevereiro de 2016, o primeiro campeonato relevante da temporada chegou ao fim e Robert Kelly Slater escreveu seu nome mais uma vez na história, vencendo pela 10ª vez um campeonato nas ondas perfeitas de Pipeline/Backdoor.

Antes disso, a última vez que o Careca ganhou um título da WSL foi em 2013, após uma final épica (e prevista por ele), contra o João João Florence. 2014 e 2015 foram anos sem conquistas.

Tivemos alguns vices, um aéreo louco em Portugal, outro em Trestles, lançamentos de uma marca de roupa, uma piscina de ondas; aquisição de direitos de um livro sobre o tráfico de Maconha na Indonésia… o Careca continuava nas manchetes, mas sem ganhar campeonatos.

Muita gente já arriscava palpites sobre seu futuro fora das competições. Mas, quando se trata desse Extraterrestre, tudo pode acontecer. Ainda mais em Pipeline.

“Cara, eu vou surfar esse campeonato até os 80 anos, se me chamarem. Surfar essas ondas sem ninguém? Você está brincando?” – Kelly Slater. Alguém duvida disso?

Na boa, o maluco tem 7 PipeMasters, 2 Volcom Pro e um Backdoor Shootout. Não é pouca merda, não!

 

5 . O INVERNO HAVAIANO E O EDDIE AIKAU QUE NÃO FOI… MAS DEPOIS FOI!

Por fim, o tão falado inverno havaiano. Com El Niño. Depois que acabou o Pipemasters, o que não faltaram foram ondulações gigantes entrando no arquipélago. Jaws era palco de sessões épicas a cada nova semana. Waimea, idem.

Por duas vezes, a Baia de Waimea fechou e ondas com muito mais que 20 pés foram vistas, surfadas, registradas. Mas o Eddie Aikau Invitational não rolou. A turma da organização deu a desculpa deles, mas só acreditou quem quis.

Depois de idas e vindas e até um call que não rolou, enfim tivemos o grande evento. Na sexta feira, 26 de fevereiro, uma semana após a triste passagem do ídolo Brock Little, Waimea acordou de gala!

E o show foi completo! PUTA QUE PARIU, e que show!

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=RNk7XRWp4GE]

Teve de tudo:

  1. John John Florence vencendo (e convencendo) em sua primeira participação.
  2. Kelly Slater tirando um tubo em homenagem ao amigo Little (merecia 10 e um juiz que dá 8.1 numa onda daquelas, não entra nem no canal em um mar como aquele) e chorando copiosamente durante 10 minutos na areia, numa linda homenagem, de lenda para lenda!
  3. Vacas épicas como as de Grant Twig Baker, Danilo Couto e do Kala com o Makua Rothman;
  4. Ross Clarke-Jones com 50 anos surfando melhor que muita gente de 25!
  5. E, para fechar, titio Clyde Aikau, irmão de Eddie Aikau, com 66 anos de idade! Botou pra baixo e tomou uma vaca sensacional! Puta que Pariu, de novo!! Que lenda!

Para encerrar, agradeço à Hardcore pelo espaço cedido. Será um prazer comentar por aqui. E, claro, à você, que deu a moral de chegar até aqui! Fico muito feliz e espero ser esse apenas o começo. Que venha muito mais.

Vem comigo!!!!

 

ComentaCako