Silvana Lima vence, e Deivid Silva, Willian Cardoso e Jesse Mendes avançam com 2º lugar; todos os brasileiros seguem na disputa em Keramas

Por Fernando Guimarães

O segundo dia de Corona Bali Protected começou na madruga desta terça (14) com “excelentes ondas, um pouco menos consistentes que ontem”, segundo o agora Diretor de Competição Kieren Perrow ao anunciar a programação — apenas as seis baterias de repescagem, após um adiamento de seis horas logo na primeira chamada para esperar a mudança na maré.

Menos consistente do que ontem significaria condições ruins: já que a abertura do campeonato deve ter sido um dos dias com mais notas três somadas na história (carece de fontes). Foi o dia em que Kanoa Igarashi, um dos caras mais competitivos do circuito, pegou apenas uma onda em 35 minutos de bateria, uma onda em que fez 1,77 pontos.

Veja também: Filipe Toledo decola e é o melhor do primeiro dia em Keramas

Claro que o campeonato precisa ser chamado em algum momento, e as condições de hoje eram suficientes. Mas essa história de falar que “o mar está ótimo” quando claramente não é o que está acontecendo — ainda mais em um pico com o potencial de Keramas — já devia ter acabado. Aliás, até o momento não há nenhum sinal de vida do novo comissário do circuito, Pat O’Connell.

John John é entrevistado logo em seguida por Kaipo Guerreiro, ao vivo, e fala a verdade: “está muito devagar hoje. Muito mais devagar do que ontem. Realmente devagar”, disse o bicampeão mundial

“Essas eram as ondas que KP estava amando quando fez a chamada”, bradou Joe Turpel assim que viu o convidado Jacob Willcox acelerar na primeira marola do dia. Pareceu que ele ouviu e quis sacanear o locutor oficial da WSL, pois desistiu de achar uma sessão manobrável na ondinha que já corria lá na frente e se jogou da prancha na frente da espuma.

John John é entrevistado logo em seguida por Kaipo Guerreiro, ao vivo, e fala a verdade: “está muito devagar hoje. Muito mais devagar do que ontem. Realmente devagar”, disse o bicampeão mundial. “Eu entrei para um freesurf mais cedo e a sensação é que não tinha onda nenhuma. Mas parece que começaram a entrar umas séries agora…”

Kanoa Igarashi ou achou as melhores da bateria ou fez as ondas parecerem maiores do que realmente eram. De qualquer forma, encontrou um jeito de agradar aos juízes, uma batida desgarrando para um boardslide na primeira sessão e uma rabetada completando o giro na sequência. Fez isso duas vezes e recolheu dois setes, chegando a uma soma que parecia improvável, nas condições, de mais de 14 pontos.

Deivid Silva e Jacob Willcox não tiveram respostas tão claras do palanque. Deivid passou a bateria na lanterna e já tinha caído da prancha duas algumas vezes. Na última onda, a três minutos do fim, foi conservador, mas preciso: três pauladas, sem cair, sem arrastar a linha, sem inventar. Tirou sua melhor nota (5,5), despachou o australiano Jacob Willcox e vingou sua derrota para o convidado na etapa de Bells Beach.

Willian Cardoso vencia a briga de surfe porrada com Ezekiel Lau, deixando Leo Fioravanti em último na bateria seguinte. Até que o italiano enfim acordou, muito perto do fim. Completou um aéreo, o melhor do dia até aquela hora, e ainda massacrou o que sobrou da onda. Passou para primeiro, e Zeke, que tem grandes ambições no circuito, ganhou seu primeiro 33º da carreira em um CT.

Na bateria seguinte, séries melhores finalmente começaram a entrar. Soli Bailey foi o primeiro que veio manobrando em uma onda de uma série muito maior, fazendo o surf que tinha rolado antes parecer coisa de criança. Seth Moniz veio moendo a segunda da série, e Adrian Buchan mostrou como os juízes ainda podem valorizar um floater, desde que executado com perfeição, radicalidade, funcionalidade e na sessão crítica da onda. Se comparado às outras notas do dia, foi muito mais valorizado que um outro floater, num campeonato recente, que preencheu os mesmos requisitos, mas em uma onda de outra magnitude. Mas isso não vem ao caso.

Buchan teve a melhor nota do duelo, igualada por Seth Moniz no primeiro tubo de verdade do campeonato, uma onda que secou na bancada e ficou quadrada para o havaiano desfilar por seu pequeno salão. A nota foi 7,33. Soli ficou em último e foi eliminado.

Na bateira seguinte, Jesse Mendes mais uma vez teve seu destino decidido pela casa dos décimos nas notas dos juízes. Dessa vez, a seu favor: o surfista do Guarujá ficou 0,03 ponto à frente de Sebastian Zietz e garantiu a vaga no próximo round com a segunda posição, atrás de Ryan Callinan.

Jesse estava irritado ao sair da água. Não aguenta mais ver seu surfe ser medido pelos juízes na casa dos três, quatro, cinco pontos (sua soma nessa terça foi 8,43). Ele não só terá a chance como precisar disso na próxima rodada, quando enfrenta Jordy Smith.

No campeonato feminino, a grande notícia foi a primeira vitória de Silvana Lima em uma bateria após recuperar-se de sua lesão no joelho.

No primeiro round, a falta de ritmo e, talvez, de confiança pareciam ter podado um pouco seu surfe. Nesta terça, a cearense soltou o pé, surfou com muita velocidade e mostrou mais uma vez porque é uma das melhores do mundo, ainda, apesar de já não viver o auge de sua carreira.

O retorno de lesão com o seeding baixo colocou Silvana frente a um excelente teste na terceira rodada. Ela enfrentará a atual líder do ranking, a goofy Caroline Marks.

A previsão inicial do campeonato apontava alguns dias de calmaria ao longo desta semana, após estes primeiros dois dias. É provável que o campeonato só seja retomado mais perto do final da semana.

Resultados do Corona Bali Protected

Round 2 masculino

1. Kanoa Igarashi 14,60, Deivid Silva 10,67, Jacob Willcox 10,10
2. Leo Fioravanti 10,90, Willian Cardoso 10,66, Ezekiel Lau 10,07
3. Adrian Buchan 14,00, Seth Moniz 12,50, Soli Bailey 11,40
4. Ryan Callinan 10,50, Jesse Mendes 8,43, Sebastian Zietz 8,40

Round 2 feminino

1. Carissa Moore 10,67, Paige Hareb 8,33, Kailani Johnson 2,33
2. Silvana Lima 13,53, Courtney Conlogue 12,57, Macy Callaghan 10,80

Round 3 masculino

1. Julian Wilson x Jadson André
2. Yago Dora x Michael Rodrigues
3. John John Florence x Joan Duru
4. Wade Carmichael x Deivid Silva
5. Italo Ferreira x Jack Freestone
6. Willian Cardoso x Jeremy Flores
7. Conner Coffin x Griffin Colapinto
8. Kolohe Andino x Ricardo Christie
9. Filipe Toledo x Caio Ibelli
10. Seth Moniz x Ryan Callinan
11. Owen Wright x Kelly Slater
12. Michel Bourez x Rio Waida
13. Gabriel Medina x Leo Fioravanti
14. Mikey Wright x Adrian Buchan
15. Kanoa Igarashi x Peterson Crisanto
16. Jordy Smith x Jesse Mendes

Oitavas de final feminino

1. Carissa Moore x Paige Hareb
2. Johanne Defay x Brisa Hennessy
3. Caroline Marks x Silvana Lima
4. Sally Fitzgibbons x Coco Ho
5. Stephanie Gilmore x Keely Andrew
6. Malia Manuel x Courtney Conlogue
7. Lakey Peterson x Bronte Macauley
8. Tatiana Weston-Webb x Nikki Van Dijk