Publicidade:

Vídeo: Tubarões devoram filhote de baleia jubarte morto

Turistas a bordo de um cruzeiro de observação de baleias em Cape Cod, Massachusetts (EUA), se chocaram com a cena de dois grandes tubarões-brancos devorando um filhote de baleia jubarte morto no mar. Um vídeo do momento foi publicado pela agência que faz os passeios no dia 16 de agosto.

+ Carne de tubarão? Entenda como os brasileiros podem comer a carne do predador sem saber
+ Vídeo: Tubarão devora baleia que foi morta por navio

A carcaça do animal já estava em decomposição quando boiava nas águas do Santuário Marinho Nacional de Stellwagen Bank, na Baía de Massachusetts. As informações são do Guardian.

Dois tubarões que chegavam a quase 5,5 metros de comprimento impressionaram o público. “As pessoas a bordo estavam muito animadas. Houve muitos gritos”, disse o capitão do barco John Goggin ao Boston Herald.

Veja o vídeo dos tubarões devorando o filhote de baleia morto:

Nos dois dias seguintes, oito tubarões-brancos apareceram no local junto com tubarões-azuis e várias espécies de aves marinhas, de acordo com pesquisadores financiados pela Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (Noaa).

Os especialistas informaram que o filhote morto já servia de alimento para criaturas marinhas há meses. Cientistas do Center for Coastal Studies, uma organização sem fins lucrativos de Provincetown, Massachusetts, identificou a baleia-jubarte como um filhote macho nascido em 2020.

“Este é um indivíduo bem conhecido dos cientistas do CCS, bem como dos observadores de baleias na costa de Massachusetts”, informou o grupo no Facebook.

“A causa de sua morte não é conhecida neste momento. Embora seja triste saber que um indivíduo morreu, documentar esses eventos é essencial para estudos populacionais de longo prazo. Esses esforços também são essenciais para entender o evento de mortalidade incomum de baleias jubarte em andamento ao longo da costa do Atlântico.”

“Lembre-se de manter distância das carcaças de baleias, seja no mar ou em terra. As condições podem ser mais perigosas do que parecem, especialmente se predadores estiverem na área”, alertaram.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias