26 C
Papeete
segunda-feira, 15 julho, 2024
26 C
Papeete
segunda-feira, 15 julho, 2024

Sophia Medina competirá no Vivo Rio Pro em Saquarema

O Vivo Rio Pro apresentado por Corona em Saquarema vai entrar na história, pela primeira participação dos irmãos Gabriel e Sophia Medina em etapas do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT). Sophia foi chamada para substituir a bicampeã mundial Tyler Wright, que contundiu o pé e não poderá competir. Ela ganhou a chance por ser a segunda brasileira mais bem colocada no ranking do Challenger Series esse ano. A primeira é Luana Silva, que já havia recebido um wildcard (convite) junto com a outra surfista olímpica, Tainá Hinckel, convidada por ser a atual campeã sul-americana da World Surf League. O prazo do Vivo Rio Pro começa no dia 22.

“É uma sensação inexplicável ter a vaga para competir no CT de Saquarema, ainda mais junto com meu irmão né”, disse Sophia Medina. “É um campeonato que assisto desde pequena, todos os meus aniversários até os 12 anos foram lá no Rio de Janeiro, nesse evento. Eu sempre vi a Carissa (Moore), o Gabriel (Medina), indo bem nesses eventos e eu sempre me inspirei muito neles, então nem acredito que vou fazer parte disso. Sempre foi um sonho fazer parte do CT, ainda mais no Brasil, onde eu nasci, fui criada e treino todo dia”.

+ Perfection in Paraíso: será que a Boa Vista superou a piscina do Kelly como melhor do mundo?

Com a saída da bicampeã mundial Tyler Wright, três das quatro baterias da primeira fase do Vivo Rio Pro apresentado por Corona, tiveram que ser modificadas. A australiana estava escalada na primeira e a norte-americana Sawyer Lindblad saiu da última para enfrentar a também australiana Molly Picklum e a francesa Johanne Defay no seu lugar. A única bateria que continuou igual foi a segunda, da Tatiana Weston-Webb e Tainá Hinckel com a líder do ranking e campeã da etapa brasileira em Saquarema em 2023, Caitlin Simmers.

Sophia Medina entrou na terceira bateria e já vai estrear enfrentando a atual campeã mundial Caroline Marks e a havaiana Bettylou Sakura Johnson. Luana Silva estava nessa e foi para a última, da costa-ricense Brisa Hennessy e da havaiana Gabriela Bryan. Esta primeira fase não é eliminatória. As vencedoras das quatro baterias avançam direto para as quartas de final, mas as perdedoras têm uma segunda chance de classificação na repescagem, quando as baterias passam a ser somente de duas competidoras.

É um sonho desde pequena fazer parte desse evento e, sério, nem consigo acreditar ainda que consegui a vaga agora”, reforçou Sophia Medina. “Estou muito feliz mesmo, ainda mais por competir com meu irmão. Na real, o meu sonho é entrar no CT e poder competir com ele em todas as etapas. Eu amo estar com ele, eu comecei a surfar por causa dele, então não tem nada mais especial do que isso. Eu vou poder assistir ele e vou ter ele do meu lado com minha família também, então acredito que vai ser bem especial para mim”.

Vivo Rio Pro em Saquarema
Sophia no pódio do primeiro título mundial de Gabriel Medina em 2014 no Havaí. Foto: @WSL / Kirstin Scholtz

Sophia acompanha seu irmão, Gabriel Medina, desde criança e até subiu em vários pódios junto com ele. Os dois competiram juntos pela primeira vez nas mesmas ondas da Praia de Itaúna, na estreia do Challenger Series no Brasil em 2022, quando Gabriel Medina conquistou o primeiro título do Saquarema Pro. Sophia iniciou aquele evento derrotando a mesma havaiana Bettylou Sakura Johnson que vai enfrentar agora no Vivo Rio Pro. Depois, perdeu para Summer Macedo e a japonesa Amuro Tsuzuki na segunda fase e terminou em 17.o lugar.

Sophia Medina já conseguiu um dos títulos que o seu irmão conquistou, o de campeã sul-americana da World Surf League com apenas 16 anos de idade na temporada 2021/2022, encerrada na mesma Praia Mole de Florianópolis (SC), onde o Gabriel com 15 anos festejou a sua primeira vitória no Circuito Mundial, em uma etapa do Qualifying Series. 10 anos antes da Sophia, Gabriel Medina ganhou dois troféus de campeão da WSL South America, em 2011 e 2013.

O tricampeão mundial agora tenta entrar no grupo dos top-5 do ranking, que vão disputar os títulos mundiais da temporada no Lexus WSL Finals, em setembro em Trestles, na Califórnia, Estados Unidos. Com o terceiro lugar conseguido nas duas últimas etapas, no Taiti e em El Salvador, Gabriel Medina já subiu para a sexta posição no ranking, na porta de entrada dos top-5.

Depois do Vivo Rio Pro, só tem mais uma etapa nas Ilhas Fiji para definir os 5 homens e 5 mulheres que irão disputar os títulos mundiais em Trestles. Antes, Gabriel Medina ainda tem os Jogos Olímpicos de Paris 2024 em julho no Taiti e ele é um dos favoritos na briga por medalhas nos tubos de Teahupo´o.

O Vivo Rio Pro apresentado por Corona em Saquarema será realizado com os patrocínios da Vivo, Corona, Red Bull, Banco do Brasil, Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Prefeitura Municipal de Saquarema, Natura Kaiak, Mãe Terra, Florence, EY, SHISEIDO, YETI, Bonsoy, Eventbrite, Surfline, True Surf e será transmitido ao vivo pelo SportvGloboplayWorldSurfleague.com e Aplicativo da WSL.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias