28 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024
28 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024

Soli Bailey é o campeão do Volcom Pipe Pro; Mineiro é vice

Soli Bailey. Foto: Tom Carey

O Volcom Pipe Pro 2017 terminou com vitória de Soli Bailey. O jovem australiano de 22 anos encontrou as melhores ondas em um mar difícil em Pipeline, para vencer Adriano de Souza, Griffin Colapinto e Bruce Irons, nessa quinta-feira, 9/2, no North Shore havaiano. É a primeira vez que um surfista do QS vence o Volcom Pipe Pro.

Assista acima aos highlights do dia final do evento.
Foi uma final de poucas oportunidades (leia-se ondas) e Bailey estava com a escolha de ondas afiada; remou nas melhores e garantiu a somatória para desbancar o brasileiro e campeão mundial de 2015, Adriano de Souza, que surfou muito desde o início do evento, e terminou com o vice. Resultado: 

Confira o retrospecto do que rolou:

Na primeira semifinal, uma virada nos instantes finais deixou o atual campeão mundial e o recordista de vitórias no evento, o local John John Florence, 4x campeão da etapa (2011, 2012, 2013 e 2015), fora da disputa pelo quinto caneco. A zebra foi o norte-americano Griffin Colapinto, que com um 7,37 para Backdoor, saiu da terceira para segunda posição. Em primeiro ficou o australiano Soli Bailey, que se manteve na liderança praticamente durante todo confronto, com 5 e 8.17 pontos. Resultado:


Na segunda semifinal, os dois melhores brasileiros do evento, Adriano de Souza e David do Carmo, contra Bruce Irons e Aritz Aranburu. Foi uma bateria disputada do começo ao fim. O vento desfavorável prejudicou a formação dos tubos, que quebraram mais para Backdoor, mas ainda assim teve emoção nos confrontos.

David do Carmo, o segundo melhor brasileiro no evento, seguiu até a semifinal, quando viu Bruce Irons virar o jogo e deixá-lo com a terceira posição na bateria – Mineiro avançou para a final em segundo. Foto: WSL

Mineiro, David do Carmo e Bruce Irons alternaram liderança e até três minutos do término da bateria, Mineiro e David faziam dobradinha brasileira. A brincadeira acabou quando Bruce encontrou uma toca para Backdoor, surfou com casualidade de quem tem o DNA Irons nas veias – 8,93 para assumir liderança e mandar David do Carmo para terceiro. Resultado:


Aliás, vale destacar a performance do campeão mundial e Pipe Master de 2015. Adriano mostrou ter aprendido a lição com seu companheiro de equipe da Red Bull e roomate Jamie O’Brien (relembre aqui). Mineiro foi destaque desde o primeiro dia de Volcom Pipe Pro – e nesta quinta pegou uma das melhores do dia, encerrando o Round 3, contra Luke Shepardson, Finn McGill e Parker Coffin; assista:


O que falar do campeonato mais excitante do calendário QS da WSL de janeiro? D
iferentemente do que rolou em 2016, em que os tops viram a Rainha do North Shore quebrar com ondas de 8 a 12 pés plus, em condições realmente clássicas – aliás, também coincidentemente uma quinta-feira – nesse ano a história foi diferente.

Nessa manhã, penúltimo dia da janela do evento, o mar amanheceu com ondas de até 2,5 de altura e formação que privilegiou Backdoor – as condições foram razoavelmente boas até a entrada do vento, que soprou com direção desfavorável e fez piorar o mar ao longo do dia.

No curso da competição, dois dos que já venceram anteriormente a etapa – Kelly Slater, 2x campeão no evento, e Jamie O’Brien, detentor de um título – foram barrados precocemente. Kelly Slater terminou em terceiro no Round 3 em bateria com dobradinha havaiana com Bruce Irons e Seth Moniz; Jamie foi barrado bem antes, na segunda rodada, em bateria que teve Seth Moniz em primeiro e Cody Young vice.

Yago Dora rumo vitória na décima bateria do Round 3. Foto: WSL

DEMAIS BRASILEIROS

Entre os demais brasileirosque competiram nessa quinta, Bino Lopes parou na terceira fase e Yago Dora, Jerônimo Vargas, Wiggolly Dantas e Marco Giorgi, foram barrados na quarta fase.

Destaque para Lucas Silveira, que seguiu até as quartas e surfou com a faca nos dentes. O brasileiro acabou em terceiro na bateria vencida por Aritz Aranburu, seguido do finalista Adriano de Souza.

*** Vencedor do Todd Chesser Awards: Seth Moniz ***

 

RESULTADOS DAS QUARTAS DE FINAL

Demais resultados AQUI.

David do Carmo: é preciso saber dar o claim. Foto: WSL

*** BÔNUS: DAVID DO CARMO E OS TIPOS DE CLAIM

“Você nunca sabe como vai ser o claim. Se pegar um barrel irado, vai ser um claim irado; agora, se não for tubo pra high score, você também pode dar claim, mas vai ser diferente”, conta David do Carmo no vídeo abaixo, após vencer a quinta bateria do Round 4 e deixar o havaiano Seth Moniz em segundo; Miguel Tudela ficou em terceiro e o havaiano Mason Ho acabou em quatro. ASSISTA:


Mais informações AQUI.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias