26 C
Papeete
quinta-feira, 23 maio, 2024
26 C
Papeete
quinta-feira, 23 maio, 2024

Saquarema Surf Festival termina com quatro vitórias do Brasil e duas do Peru em Itaúna (RJ)

O Saquarema Surf Festival em memória a Leo Neves apresentado pela Prefeitura de Saquarema, terminou neste domingo (23) com quatro vitórias do Brasil e duas do Peru na Praia de Itaúna, Saquarema (RJ).

Os peruanos Miguel Tudela e Daniella Rosas levaram o prêmio máximo de 10.000 dólares pelas vitórias no QS 5000. As do Brasil foram na categoria Pro Junior Sub-20 com Cauã Costa e Laura Raupp, e no Longboard com Rodrigo Sphaier e Chloé Calmon. Cauã e Chloé festejaram o bicampeonato na Praia de Itaúna, repetindo os títulos conquistados na primeira edição do Saquarema Surf Festival em 2021.

Veja também
+ “Peace & Power”: A trajetória de Filipe Toledo rumo ao título mundial
+ Descubra fatos impressionantes sobre o Oceano Pacífico
+ Pan-American Soul 2022: Surfando nas montanhas da Guatemala

O maior campeonato do ano na América do Sul, começou com 188 surfistas de 8 países participando das seis competições disputadas desde segunda-feira no Maracanã do surfe brasileiro. Na manhã do domingo, foram definidos os campeões e o “Inka Team” conquistou os últimos títulos. O peruano Miguel Tudela ganhou o duelo de invictos na temporada 2022/2023 da WSL Latin America, que fechou a segunda edição do Saquarema Surf Festival em memória a Leo Neves. O surfista de Saquarema, João Chianca, começou bem, mas foi vice-campeão como no ano passado.

“É inacreditável e na verdade estou sem palavras, mas muito agradecido a todo mundo do Peru e minha família. Não imaginava que poderia conseguir mais uma vitória, mas sempre sonhei com isso, então estou muito feliz e Arriba Peru”, disse Miguel Tudela, que colecionou seu quarto título nas únicas quatro etapas da WSL Latin America que participou esse ano. Como só tem vitórias nos quatro resultados computados no ranking regional, já garantiu uma das oito vagas para o Challenger Series de 2023, a divisão de acesso para a elite do World Surf League Championship Tour.

Miguel Tudela usou os aéreos nas esquerdas de Itaúna para ser campeão. Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports.

A última decisão do domingo na Praia de Itaúna, começou com João Chianca largando na frente com nota 5,83, em uma esquerda iniciada com uma batida reta de backside. O saquaremense foi ampliando a vantagem a cada onda e achou uma direita que formou a rampa para voar num aéreo reverse de frontside, que valeu 6,73. Já passava da metade da bateria, quando Miguel Tudela entrou na briga mostrando suas armas, acertando as manobras para arrancar nota 7,50 dos juízes.

Logo, o peruano pega outra esquerda para mandar um aéreo rodando de frontside. A nota 6,00 recebida, virou o placar para 13,50 a 12,56 pontos. O brasileiro passa a precisar de 6,78 nos 5 minutos finais e tinha a prioridade de escolher a próxima onda. Só que não entrou mais nada e João Chianca terminou como vice-campeão como em 2021, quando perdeu a final para o catarinense Yago Dora. Já Miguel Tudela seguiu invicto, com vitórias nas quatro etapas que participou esse ano.

“Acho que isso são os frutos do trabalho que está sendo feito e espero que continue assim no Challenger. Vou tentar fazer o mesmo, ganhar o máximo de provas possível. Acho que vai ser bem difícil isso, mas o foco é o mesmo, passar baterias e me classificar pro CT, que é o meu sonho”, disse Miguel Tudela. “Eu foquei na minha estratégia, de pegar as esquerdas e deu certo. Eu acho o João (Chianca) um dos melhores surfistas do mundo. Mostrou isso no CT este ano e fazer a final com ele aqui, na sua praia, foi incrível”.

João Chianca foi vice-campeão do Saquarema Surf Festival como em 2021. Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports.

Miguel Tudela também falou sobre a homenagem a Leo Neves, promovida pela 213 Sports, que realiza o Saquarema Surf Festival: “Ele foi uma pessoa muito especial. Eu o conheci quando eu era bem pequeno, lá no Peru, surfando em Señoritas. Sempre que eu entrava na água, ele estava quebrando as ondas, com seu surfe de backside. Quando eu era bem pequeno, ele deu muitos conselhos para mim. Eu acho que o segundo QS que ganhei, competi com ele na semifinal em Peñascal (no Peru). Foi uma bateria especial e ele sempre foi um surfista muito bom”.

VITÓRIAS PERUANAS

A vitória de Miguel Tudela foi a segunda do Peru nas principais competições do Saquarema Surf Festival em memória a Leo Neves, que é o único evento com etapas masculina e feminina com status QS 5000, com a maior premiação e pontuação do calendário regional da WSL Latin America. Daniella Rosas primeiro venceu a reedição da final do ano passado na Praia de Itaúna, deixando a defensora do título, Sophia Medina, nas semifinais.

Na grande final, enfrentou a melhor surfista nas ondas de Itaúna, Luana Silva, que nasceu no Havaí, mas mudou de nacionalidade e passou a representar o Brasil nas competições, pois seus pais são brasileiros. Luana vinha batendo recordes a cada apresentação, mas não conseguiu repetir o bom desempenho no domingo. Ela já havia terminado em último na final da categoria Pro Junior e viu Daniella Rosas largar na frente com nota 7,17, numa direita que rendeu três manobras fortes de frontside, finalizando com a mais potente na junção.

Daniella Rosas assumiu a liderança no ranking com a vitória em Saquarema. Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports.

Luana respondeu numa esquerda, mandando uma batida vertical de backside e seguiu manobrando até a beira para receber 6,33. A peruana escolhe outra direita boa, para fazer mais três ataques que valem nota 5,93. A brasileira fica precisando de 6,78 para vencer nos 10 minutos finais e acabou entrando numa onda que a preferência de surfar era da peruana. Luana foi penalizada, ficando com zero na segunda nota computada e Daniella Rosas conquistou o título que escapou no ano passado. Com os 5.000 pontos da vitória no Saquarema Surf Festival, assumiu a liderança no ranking que vai classificar quatro surfistas para o Challenger Series de 2023.

“Eu estou muito, muito feliz. Na verdade, as meninas estavam surfando muito bem, a Luana Silva principalmente. Então, foi muito difícil e agradeço a torcida de todo mundo, dos peruanos e brasileiros também”, foram as primeiras palavras de Daniella Rosas, após a vitória. “Na verdade, eu tenho muitos bons resultados aqui no Brasil e este campeonato significa muito para mim, representando o Peru. Agora, conseguindo este resultado, nossa, estou muito feliz”.

Miguel Tudela e Daniella Rosas escreveram seus nomes no Troféu Leo Neves. Foto: Thiago Diz / 213 Sports.
PRO JUNIOR SUB-20

Assim como na etapa feminina do QS 5000, a final da categoria Pro Junior Sub-20 também foi vencida por uma surfista que tinha perdido a decisão do ano passado na Praia de Itaúna. A jovem catarinense Laura Raupp, de apenas 16 anos, era a mais jovem entre as finalistas do Saquarema Surf Festival em memória a Leo Neves esse ano. Ela enfrentou uma tricampeã sul-americana Pro Junior que poderia ser tetra no domingo, a peruana Sol Aguirre, uma bicampeã, Tainá Hinckel, além da melhor surfista nas ondas de Itaúna essa semana, Luana Silva.

Mas, Laura Raupp começou muito bem, achando duas ondas boas nas direitas logo no início da bateria, para fazer a mesma combinação de dois ataques potentes de frontside. Com as notas 7,83 e 7,17 recebidas, liderou todo o confronto. Quem chegou mais perto foi a também catarinense Tainá Hinckel, que surfou forte para somar notas 7,73 e 6,37, que garantiu o segundo lugar. Tainá totalizou 14,10 pontos contra 15,00 de Laura Raupp, com as duas levando a decisão do título sul-americano Pro Junior para a última etapa, que será realizada de 15 a 20 de novembro no Peru. A peruana Sol Aguirre ficou em terceiro lugar e ainda lidera o ranking, seguida por Tainá e Laura.

“Eu estava dependendo de um bom resultado aqui, para ver se ia ou não pro Peru, então agora certamente eu vou competir lá em Punta Rocas também”, afirmou Laura Raupp. “Eu estou muito feliz, pois desde ontem eu sabia que essa final não ia ser fácil. Para mim, elas são as melhores da América do Sul, a Luana (Silva) foi do CT esse ano, então nossa, só tenho que agradecer. Eu consegui achar duas direitas boas no início e já fiz a bateria ali. Mas, fiquei na tensão esperando quem iria virar em cima de mim, mas ninguém virou e eu estou muito, muito, muito feliz”.

Laura Raupp garantiu a vitória nas direitas que surfou no início da bateria. Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports.
BICAMPEÃO PRO JUNIOR

Na final masculina do Pro Junior, o cearense Cauã Costa, que mora na capital do Rio de Janeiro, também tentava o bicampeonato na Praia de Itaúna, como Sol Aguirre. A peruana não conseguiu, mas o brasileiro festejou a sua segunda vitória, mantendo-se invicto na história do Saquarema Surf Festival em memória a Leo Neves. O paulista Gabriel Klaussner começou na frente, surfando bem uma onda que valeu nota 7,00. Cauã reagiu com 6,50 de backside numa esquerda e logo somou um 7,50 numa direita detonada por três ataques explosivos de frontside.

Com a vitória, o atual campeão sul-americano Pro Junior, Cauã Costa, tirou a liderança do ranking de 2022 do paulista Diego Aguiar, que terminou em quarto lugar na grande final. O cearense conquistou o bicampeonato por 14,70 pontos, contra 13,43 do vice-campeão, Gabriel Kaussner, 10,70 do argentino Franco Radziunas e apenas 8,07 das duas notas computadas por Diego Aguiar. Diguinho agora está em segundo no ranking, que vai classificar os dois melhores para o Mundial Junior da WSL.

“Estou amarradão por ter sido campeão mais uma vez aqui em Saquarema, que é um lugar que eu me sinto em casa”, disse Cauã Costa. “Graças a Deus, os treinos estão dando certo aqui, consegui surfar bem nas baterias e estou amarradão pela vitória. Agora já estou quase lá no Mundial, só falta mais uma etapa e vamos com tudo pro Peru tentar garantir a classificação e, quem sabe, outro título sul-americano também”.

Cauã Costa está imbatível no Saquarema Surf Festival na Praia de Itaúna. Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports.
BICAMPEÃ NO LONGBOARD

Na modalidade Longboard, a carioca Chloé Calmon também festejou o bicampeonato na Praia de Itaúna, colecionando seu segundo troféu de campeã do Saquarema Surf Festival em memória a Leo Neves. A três vezes vice-campeã mundial e bicampeã sul-americana, dominou a bateria desde a sua primeira onda, mas venceu com as notas 6,67 e 6,27 das últimas que surfou. Assim como no ano passado, a vice-campeã foi a peruana Maria Fernanda Reyes, com a tricampeã sul-americana Atalanta Batista ficando em terceiro lugar e Luana Soares em quarto.

“A final é sempre difícil, porque reúne as melhores atletas e cada ano o nível aumenta”, disse Chloé Calmon. “É sempre especial estar aqui em Saquarema. Esse evento já é um dos meus favoritos do ano e ter uma etapa da WSL no Brasil é muito bom. É uma oportunidade para novos nomes do Brasil e fico feliz de cada ano terem novos atletas, mais mulheres também. Claro que vindo defender o título, sempre tem uma pressão a mais, mas eu consegui encaixar tudo da melhor maneira”.

Chloé Calmon é bicampeã do Saquarema Surf Festival em Itaúna. Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports.

Na outra final do longboard, o saquaremense Rodrigo Sphaier vingou a derrota sofrida no ano passado para Tony Silvagni. O norte-americano cometeu uma interferência na bateria e saiu da briga pelo bicampeonato, com a penalidade de só somar metade da segunda nota computada. Rodrigo Sphaier ganhou seu primeiro troféu de campeão do Saquarema Surf Festival em memória a Leo Neves por 12,33 pontos e lidera o ranking na busca pelo tetracampeonato sul-americano. O peruano Sebastian Cardenas Aguirre ficou em segundo lugar na final, com o saquaremense Jeferson Silva em terceiro e o americano Tony Silvagni em quarto.

“Agora estou feliz pelo trabalho cumprido. Aqueles treinos durante a semana, você ver o resultado disso tudo na final, me deixa muito feliz”, disse Rodrigo Sphaier. “Quero agradecer todo mundo, a minha família, minha esposa que está lá em Portugal assistindo, meus amigos e essa galera toda aí que vem na praia torcer pela gente. Agora é só festejar, churrasco, com certeza vai ter pizza, picanha, galeto e tudo mais lá no Forno a Lenha (restaurante do seu pai em Saquarema)”.

Rodrigo Sphaier campeão em casa no Saquarema Surf Festival 2022. Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports.
51 ICE EXPRESSION SESSION

Uma bateria especial valendo um prêmio de 2.500 Reais para a melhor manobra, foi realizada logo após as finais da categoria Pro Junior. No sábado, a paulista Julia Santos venceu a 51 ICE Expression Session. No domingo, o campeão entre os mais de dez surfistas que entraram na bateria, foi o catarinense Leo Casal com um aéreo nas esquerdas da Praia de Itaúna. Logo após a 51 ICE Expression Session, foram iniciadas as últimas decisões do dia, do QS 5000.

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO SAQUAREMA SURF FESTIVAL 2022

DECISÃO DO QS 5000 MASCULINO:
Campeão: Miguel Tudela (PER) por 13,50 pts (7,50+6,00) – US$ 10.000 e 5.000 pts
2.o lugar: João Chianca (BRA) com 12,56 pts (6,73+5,83) – US$ 5.000 e 3.900 pts

DECISÃO DO QS 5000 FEMININO:
Campeã: Daniella Rosas (PER) por 13,10 pts (7,17+5,93) – US$ 10.000 e 5.000 pts
2.o lugar: Luana Silva (BRA) com 6,33 pontos (6,33+0,00) – US$ 5.000 e 3.900 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 2.500 e 3.042 pontos:
1.a: Luana Silva (BRA) 13,50 x 12,13 Dominic Barona (EQU)
2.a: Daniella Rosas (PER) 12,47 x 11,50 Sophia Medina (BRA)

DECISÃO DO PRO JUNIOR MASCULINO:
Bicampeão: Cauã Costa (BRA) por 14,70 pts (7,50+7,20) – US$ 1.000 e 1.000 pts
2.o lugar: Gabriel Klaussner (BRA) com 13,43 pts (7,00+6,43) – US$ 400 e 800 pts
3.o lugar: Franco Radziunas (ARG) com 10,70 pts (5,53+5,17) – US$ 300 e 650 pts
4.o lugar: Diego Aguiar (BRA) com 8,07 pts (5,10+2,97) – US$ 200 e 600 pts

DECISÃO DO PRO JUNIOR FEMININO:
Campeã: Laura Raupp (BRA) com 15,00 pts (7,83+7,17) – US$ 1.000 e 1.000 pts
2.o lugar: Tainá Hinckel (BRA) por 14,10 pts (7,73+6,37) – US$ 400 e 800 pts
3.o lugar: Sol Aguirre (PER) por 10,40 pts (5,50+4,90) – US$ 300 e 650 pts
4.o lugar: Luana Silva (BRA) por 10,30 pts (5,53+4,77) – US$ 200 e 600 pts

DECISÃO DO LONGBOARD MASCULINO:
Campeão: Rodrigo Sphaier (BRA) por 12,33 pts (7,00+5,33) – US$ 1.000 e 1.000 pts
2.o lugar: Sebastian C. Aguirre (PER) com 12,03 pts (6,20+5,83) – US$ 450 e 800 pts
3.o lugar: Jeferson Silva (BRA) com 11,17 pts (6,27+4,90) – US$ 300 e 650 pts
4.o lugar: Tony Silvagni (EUA) com 10,51 pts (7,37+3,14) – US$ 250 e 600 pts

DECISÃO DO LONGBOARD FEMININO:
Bicampeã: Chloé Calmon (BRA) por 12,94 pts (6,67+6,27) – US$ 1.000 e 1.000 pts
2.o lugar: Maria Fernanda Reyes (PER) com 8,30 pts (4,50+3,80) – US$ 450 e 800 pts
3.o lugar: Atalanta Batista (BRA) com 8,16 pts (4,83+3,33) – US$ 300 e 650 pts
4.o lugar: Luana Soares (BRA) com 7,73 pts (4,03+3,70) – US$ 250 e 600 pts

Campeões e vice-campeões dos seis títulos decididos no domingo em Saquarema. Foto: Thiago Diz / 213 Sports.

RANKINGS SUL-AMERICANOS DA WSL LATIN AMERICA:

TOP-10 DO QS REGIONAL 2022/2023 – 9 etapas:

1.o: Miguel Tudela (PER) – 14.000 pontos
2.o: Ian Gouveia (BRA) – 6.248
3.o: Rafael Teixeira (BRA) – 5.763
4.o: Ryan Kainalo (BRA) – 5.507
5.o: José Gundesen (ARG) – 5.380
6.o: João Chianca (BRA) – 4.900
7.o: Heitor Mueller (BRA) – 4.727
8.o: Guillermo Satt (CHL) – 4.690
9.o: Weslley Dantas (BRA) – 4.673
10.o: Edgard Groggia (BRA) – 4.342

TOP-10 DO QS REGIONAL 2022/2023 – 8 etapas:

1.a: Daniella Rosas (PER) – 7.600 pontos
2.a: Dominic Barona (EQU) – 6.167
3.a: Sol Aguirre (PER) – 5.925
4.a: Isabelle Nalu (BRA) – 5.407
5.a: Melanie Giunta (PER) – 4.855
6.a: Silvana Lima (BRA) – 4.371
7.a: Arena Rodriguez Vargas (PER) – 4.360
8.a: Sophia Medina (BRA) – 4.037
9.a: Genesis Garcia (EQU) – 3.713
10.a: Summer Macedo (BRA) – 3.632

TOP-5 DO PRO JUNIOR MASCULINO – 3 etapas:

1.o: Cauã Costa (BRA) – 2.295 pontos
2.o: Diego Aguiar (BRA) – 2.050
3.o: Heitor Mueller (BRA) – 1.945
4.o: Ryan Kainalo (BRA) – 1.800
5.o: Daniel Templar (BRA) – 1.500

TOP-5 DO PRO JUNIOR FEMININO – 3 etapas:

1.a: Sol Aguirre (PER) – 2.650 pontos
2.a: Tainá Hinckel (BRA) – 2.100
3.a: Laura Raupp (BRA) – 1.800
4.a: Naire Marquez (BRA) – 1.500
5.a: Arena Rodriguez Vargas (PER) – 1.350

TOP-5 DO LONGBOARD MASCULINO – 2 etapas:

1.o: Rodrigo Sphaier (BRA) – 1.800 pontos
2.o: Jeferson Silva (BRA) – 1.300
3.o: Piccolo Clemente (PER) – 1.150
4.o: Sebastian Cardenas Aguirre (PER) – 950
5.o: Darlan Marques (BRA) – 850

TOP-5 DO LONGBOARD FEMININO – 2 etapas:

1.a: Chloé Calmon (BRA) – 2.000 pontos
2.a: Maria Fernanda Reyes (PER) – 1.600
3.a: Luana Soares (BRA) – 1.250
4.a: Evelin Neves (BRA) – 1.150
5.a: Jasmim Avelino (BRA) – 945
5.a: Ayllar Cinti (BRA) – 945

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias