26 C
Papeete
segunda-feira, 15 julho, 2024
26 C
Papeete
segunda-feira, 15 julho, 2024

Samuel Pupo é destaque no Corona Saquarema Pro

O brasileiro Samuel Pupo foi o destaque do Corona Saquarema Pro na rodada de quinta-feira (03), que retornou com ondas difíceis de 4-6 pés, na Praia de Itaúna.

Top da elite do CT, Samuel Pupo foi destaque batendo todos os recordes do dia. Depois, foram realizadas 10 baterias da competição feminina, que vai abrir as disputas nessa sexta-feira.

A quinta-feira de mar desafiador na Praia de Itaúna, começou pelos oito confrontos que restavam para fechar a primeira fase masculina do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil. Mais 32 surfistas de 13 países fizeram suas primeiras apresentações e o surfista já garantido na “seleção brasileira” do CT 2023, Samuel Pupo, bateu todos os recordes do campeonato na bateria que fechou a primeira fase.

Foi em Saquarema onde Samuca fez a sua primeira final em etapas do World Surf League Championship Tour, só perdendo para o tetracampeão do Oi Rio Pro, Filipe Toledo. Ele não começou bem sua bateria na quinta-feira, mas depois achou boas direitas para mostrar o seu surfe Samuel Pupo assumiu a ponta com notas 6,83 e 6,43 em duas ondas seguidas, mas a melhor foi a última, quando acertou duas manobras explosivas de frontside que valeram 8,50. Com essa nota, atingiu 15,33 pontos e superou as marcas de Deivid Silva no primeiro dia, 8,17 e 14,00 pontos.

“Eu entrei com o plano de começar nas direitas, mas acabei perdendo a posição por causa da correnteza muito forte e fui parar lá no meio”, contou Samuel Pupo. “Não consegui achar ondas boas lá, mas dei a volta na praia pra me reposicionar nas direitas e basicamente fiz uma bateria de 10 minutos. Deu certo, consegui pegar três ondas boas e virar a bateria. Eu tenho boas lembranças recentes daqui. Faz pouco tempo que fiz a final do CT aqui, estou feliz por estar de volta e estou até surfando com a mesma prancha daquele campeonato”.

Samuel Pupo foi o 17.o brasileiro a se classificar para a segunda fase do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil. Surfistas de mais 13 países também estão entre os 48 que seguem na disputa do título da penúltima etapa do Challenger Series 2022. A lista dos concorrentes tem 7 australianos, 6 franceses, 4 havaianos, 3 norte-americanos, 2 japoneses, 2 argentinos, com mais sete nações tendo um representante ainda na briga, a Itália do líder do ranking, Leonardo Fioravanti, a Indonésia do vice-líder, Rio Waida, além do Peru, Uruguai, Costa Rica, Nova Zelândia e Marrocos.

Samuel Pupo destaque
Willian Cardoso na concentração antes de entrar na bateria. Foto: WSL / Thiago Diz

CONTAGEM REGRESSIVA – Na quinta-feira, cinco brasileiros avançaram, com três ganhando suas baterias. A primeira vitória foi do catarinense Willian Cardoso na terceira bateria do dia. Ele abriu a contagem regressiva para sua aposentadoria do Circuito Mundial, derrotando dois surfistas que começaram a temporada 2022 na elite dos top-34 do CT, o costa-ricense Carlos Munoz e o havaiano Imaikalani Devault, eliminado junto com o norte-americano Levi Slawson.

Willian já havia anunciado na etapa passada do Challenger Series, em Portugal, que o Corona Saquarema Pro seria o último da sua carreira. Isso se ele não vencer o campeonato, como na etapa do WSL Qualifying Series de 2010, nas mesmas ondas da Praia de Itaúna. A marca que patrocina o catarinense, já até produziu camisetas alusivas à sua aposentadoria, que foi usada por vários surfistas do Brasil que competiram com ele durante tantos anos.

Veja também:

Pan-American Soul 2022: As ondas passam as amizades ficam

Surf Lakes, a onda “Mad Max”, será aberta ao público

Kalani Robb de 4’10 softboard em Trestles

PRIMEIRAS VITÓRIAS – Após o encerramento da primeira fase masculina, foi iniciada a competição feminina do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil, com 10 das 16 baterias da primeira fase, fechando a quinta-feira na Praia de Itaúna. Três brasileiras estrearam com vitórias, com a catarinense Laura Raupp e a irmã do tricampeão mundial, Sophia Medina, ganhando as suas primeiras baterias do Challenger Series. Ambas já tinham passado de fase nas outras cinco etapas, mas se classificando em segundo lugar.

Campeã da categoria Pro Junior no Saquarema Surf Festival, realizado duas semanas atrás nas mesmas ondas de Itaúna, Laura Raupp venceu a primeira bateria feminina do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil. A catarinense de apenas 16 anos de idade, derrotou a portuguesa Teresa Bonvalot, que está em sétimo lugar no ranking que classifica cinco surfistas para o CT 2023. As duas barraram uma ex-top da elite, Coco Ho do Havaí, e outra brasileira da nova geração como Laura Raupp, Bruna Carderelli.

Samuel Pupo destaque
Laura Raupp vencendo a primeira bateria feminina do Corona Saquarema Pro. Foto: WSL / Thiago Diz

“Estou super, super, superfeliz. É a primeira bateria do Challenger Series que eu venço e agora já estou no segundo rounde”, disse Laura Raupp. “Saquarema tem um lugar no meu coração desde o ano passado. No evento antes desse (Saquarema Surf Festival), eu consegui ganhar o Pro Junior e agora estou aqui no Challenger Series, com as melhores do mundo. Espero continuar soltando meu surfe, porque quero fazer um bom resultado, para conseguir uma vaga para a última etapa em Haleiwa (Havaí), pois estou bem abaixo no ranking”.

Laura Raupp chegou no Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil dividindo o quinquagésimo lugar no ranking com Sophia Medina. A irmã do tricampeão mundial, Gabriel Medina, conquistou o título sul-americano de 2021/2022 da WSL Latin America, com a vitória na primeira edição do Saquarema Surf Festival na Praia de Itaúna no ano passado. Gabriel Medina estava na praia torcendo pela sua irmã mais jovem, que fez bonito.

Sophia achou boas ondas para mostrar o seu surfe e superar uma surfista que iniciou o ano de 2022 entre as top-17 do CT, Bettylou Sakura Johnson. A havaiana acabou saindo da elite no corte do meio da temporada e está buscando a requalificação pelo Challenger Series. Bettylou avançou junto com Sophia Medina e segue defendendo o quarto lugar no ranking em Saquarema. As duas deixaram a peruana Arena Rodriguez Vargas em 33.o lugar no evento.

Samuel Pupo destaque
Sophia Medina vencendo sua primeira bateria em etapas do Challenger Series. Foto: WSL / Thiago Diz

“Saquarema é um lugar muito especial pra mim. Eu acho que é o lugar onde tenho os melhores resultados da minha vida, ganhei meu primeiro QS aqui em 2021, fiquei em terceiro no QS 5000 desse ano e agora venci minha primeira bateria no Challenger Series”, disse Sophia Medina. “Estou muito feliz por estar aqui de novo, competindo junto com meu irmão pela primeira vez. A galera daqui sempre me recebe muito bem e é um lugar lindo, abençoado por Deus. Eu sabia que não ia ser uma bateria fácil e eu tinha que dar o meu melhor, ir pro tudo nada mesmo. Tenho muito respeito pela Bettylou (Sakura Johnson) e pela Arena (Rodriguez Vargas), já competi várias vezes com elas e estou feliz por ter vencido dessa vez”.

Além de Sophia Medina e Laura Raupp, Anne dos Santos também estreou com vitória no Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil, derrotando a norte-americana Sawyer Lindblad, a portuguesa Mafalda Lopes e a saquaremense Kayane Reis A outra única classificação sul-americana foi a da peruana Daniella Rosas. Ela despachou a australiana Freya Prumm e a equatoriana Genesis Garcia, na bateria vencida pela japonesa Amuro Tsuzuki, que fechou a quinta-feira de ondas desafiadoras na Praia de Itaúna.

O Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil na Praia de Itaúna é realizado com patrocínio da Corona, Banco do Brasil, BB Asset, Prefeitura Municipal de Saquarema, Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, TikTok, 51 Ice e NewON. O evento está sendo transmitido ao vivo em português e em inglês pelo site da WSL e Aplicativo e Canal da WSL no YouTube e no Brasil pelos canais SporTV.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias