27 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024
27 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024

QS 1000, Circuito Banco do Brasil de Surfe começa em Maresias

O Circuito Banco do Brasil de Surfe deu a largada na sua quarta etapa, na quinta-feira de mar difícil na Praia de Maresias e chuva em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo. As baterias só foram iniciadas após a terceira chamada do dia, às 12h00, com as rodadas iniciais das categorias feminina e masculina sendo disputadas durante a tarde. A previsão é de boas ondas para os próximos dias e nesta sexta-feira estreiam os cabeças de chave, a partir das 8h00.

A Praia de Maresias não sediava um evento do World Surf League (WSL) Qualifying Series (QS) desde 2018 e em São Sebastião serão definidos os dois convites para o Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil, que vai fechar o Challenger Series 2023 nos dias 14 a 21 de outubro no Maracanã do surfe brasileiro. Serão premiados quem ficar em primeiro lugar nos rankings masculino e feminino das quatro etapas do Circuito Banco do Brasil de Surfe, que serão completadas nesta semana. O paulista Gabriel Klaussner e a catarinense Tainá Hinckel lideram a disputa pelas vagas.

A surfista da Guarda do Embaú também está em primeiro lugar no ranking regional da WSL South America, que decide os títulos sul-americanos da temporada e classificam sete homens e três mulheres para o Challenger Series, único caminho para chegar na elite do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT). Tainá Hinckel não fez sua inscrição dentro do prazo e teve que competir na primeira fase. O mar estava difícil, mas ela estreou com vitória na Praia de Maresias.

Tainá Hinckel defende a liderança de dois rankings na Praia de Maresias. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

“Estou muito feliz por ter passado essa primeira bateria. As condições estão realmente muito difíceis, não consegui achar as ondas que eu queria porque o mar está em transformação, mas o importante era avançar”, disse Tainá Hinckel. “Eu não competia em Maresias desde 2019, quando teve uma etapa do Pro Junior aqui. É um lugar que eu gosto muito, então estou amarradona por estar de volta e vamo que vamo, bateria por bateria, tentar soltar mais meu surfe nas próximas”.

Um dos pilares do Circuito Banco do Brasil de Surfe é oferecer mais oportunidades para jovens surfistas mostrarem seu talento, realizando cinco etapas nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste do país. Nesta bateria da Tainá Hinckel, as outras três atletas bem jovens ainda, competiram em etapas da World Surf League pela primeira vez. A mais nova delas, Luiza Savoi, de 14 anos apenas, ganhou a disputa pela segunda vaga para a próxima fase da também ubatubense Aurora Ribeiro e da Maria Beatriz, ou Bibi Nogueira, da Praia Grande, ambas com 15 anos de idade.

QS Banco do Brasil Maresias
Luiza Savoi de apenas 14 anos se classificou junto com a líder dos rankings. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

Com a vitória, Tainá Hinckel completou a primeira bateria da segunda fase, quando estreiam as 12 cabeças de chave do Circuito Banco do Brasil de Surfe de São Sebastião, as participantes mais bem colocadas no ranking da World Surf League. E a líder no ranking regional da WSL South America, já vai enfrentar a vice-líder, Sophia Medina, além da argentina Vera Jarisz que está em quinto lugar e da campeã paulista, Sol Carrion, 17.a colocada. Sophia treinou durante a manhã em Maresias, onde em 2019 fez a sua estreia na World Surf League, em uma competição da categoria Pro Junior.

“Sim, o meu primeiro campeonato na WSL foi aqui, bem no lugar onde está a estrutura do evento agora, num Pro Junior em 2019. Na real, foi a última vez que eu competi aqui”, lembrou Sophia Medina, logo após sair do mar na manhã da quinta-feira. “Estou feliz de ter outro campeonato aqui, porque é sempre muito bom competir em casa e tenho boas lembranças daquele meu primeiro evento da WSL. Eu tava ganhando experiência, aliás, ainda estou ganhando experiência. Mas, foi o começo e espero fazer um bom trabalho agora, no meu primeiro QS aqui”.

Outra cabeça de chave que entra na segunda fase é Laura Raupp, vice-líder no ranking do Circuito Banco do Brasil de Surfe. Destaque também para a forte participação peruana, com a tricampeã sul-americana, Daniella Rosas, Melanie Giunta vice-campeã na final com Silvana Lima na etapa da Bahia, Arena Rodriguez Vargas e Camila Sanday. Onze brasileiras estão na lista das 16 surfistas na segunda fase, as cabeças de chave Sophia Medina, Laura Raupp, Isabelle Nalu, Yanca Costa, Sol Carrion, Bruna Carderelli, Yasmin Neves e as quatro que se classificaram nas duas baterias da quinta-feira, Tainá Hinckel, Juliana dos Santos, Maya Carpinelli e Luiza Savoi.

MAIS JOVENS – Juliana e Maya venceram mais duas paulistas da nova geração, Samira Silva e Maeva Guastala, que é a mais nova entre as competidoras, com 13 anos de idade. Logo após essa bateria, foi a vez de outro surfista também de Ubatuba de apenas 14 anos, Pedro Henrique, estrear em etapas da World Surf League no Circuito Banco do Brasil de Surfe. Ele perdeu em terceiro lugar no confronto vencido pelo capixaba Rafael Teixeira, que disputa o Challenger Series esse ano. O paulista Gustavo Motta avançou junto com ele, para enfrentar os cabeças de chave na segunda fase.

QS Banco do Brasil Maresias
Pedro Henrique estreando em etapas do QS com apenas 14 anos de idade. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

“É meu primeiro QS e estou amarradão, mas não consegui mostrar meu surfe por completo”, lamentou Pedro Henrique. “Mesmo assim, estou muito feliz por ter surfado umas ondinhas, estar competindo com um pessoal que é bem mais velho do que eu. Foi muita satisfação para mim e essa oportunidade do Banco do Brasil foi animal. Estou muito amarradão por ter participado de um QS”.

Se tivesse vencido a bateria, Pedro Henrique já iria enfrentar uma das atrações do Circuito Banco do Brasil de Surfe, Samuel Pupo, que fez parte da elite mundial do CT até esse ano e venceu a primeira etapa do Challenger Series 2023 na Austrália. Mas, quem completou a bateria do Samuca com Gabriel André e Guilherme Fernandes, foi o capixaba Rafael Teixeira. O irmão do Samuel, Miguel Pupo, também vai disputar o evento na Praia de Maresias, onde ganhou uma etapa do QS em 2015.

Miguel está voltando a competir depois da contusão sofrida no início do ano, que acabou lhe tirando da elite do CT. Ele é o cabeça de chave da nona bateria, junto com outro campeão do QS em São Sebastião em 2017 e ex-top da WSL também, Deivid Silva. Os também paulistas Eduardo Motta e Alexander Vieira completam esse confronto, que já é um dos mais aguardados desta quarta etapa do Circuito Banco do Brasil no litoral norte de São Paulo.

DESTAQUE DO DIA – Na quinta-feira de chuva e mar difícil para achar boas ondas, o destaque do dia foi outro morador de Maresias, como a família Pupo. Murillo Coura estreou na terceira bateria masculina e foi o primeiro a fazer manobras aéreas, contra mais dois jovens surfistas do litoral paulista, Pedro Muller e Daniel Oliveira. Murillo acertou dois, um full rotation e um alley-oop, fazendo os recordes do primeiro dia do Circuito Banco do Brasil de Surfe de São Sebastião, nota 7,17 e 12,50 pontos.

“Eu treino direto aqui, todo dia venho surfar nessa vala e já estou acostumado com esse tipo de mar”, destacou Murillo Coura. “Eu fiquei vendo as duas baterias antes da minha, com esse vento que é raro aqui, então aproveitei que estava bom para mandar os aéreos nas esquerdas e me dei bem ali. Estou feliz de avançar, porque a primeira bateria sempre tem aquela tensão. Mas, agora deu uma aliviada e vamos com tudo pra amanhã (sexta-feira)”.

O artista Tom Veiga incentivando sua arte no Espaço Kids em Maresias. Foto: @WSL / Daniel Smorigo)

Com a vitória, Murillo Coura foi para a quinta bateria da segunda fase, encabeçada pelo pernambucano Ian Gouveia, vencedor da primeira etapa do Circuito Banco do Brasil de Surfe esse ano, o Saquarema Surf Festival. Os outros adversários são de outros países, Martin Ottado do Uruguai e Rene Enrique Ojeda Rivero da Venezuela.

Ian Gouveia é mais um participante que está no Challenger Series esse ano. Os outros são o Rafael Teixeira e Samuel Pupo da primeira bateria, Miguel Pupo e Deivid Silva da nona, Ryan Kainalo da décima e na 12.a está Edgard Groggia, campeão da etapa da Bahia, com um show de aéreos nas ondas de Stella Maris, em Salvador.

ATIVIDADES EXTRAS – “Remando Juntos para o Futuro” é o lema do Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023, que além de oferecer mais oportunidades para o surgimento de novos talentos no esporte, outro pilar importante são as ações de sustentabilidade e conservação ambiental realizadas em todas as etapas. Este sábado será o “Dia Internacional da Limpeza Costeira”, então haverá uma ativação especial de limpeza na Praia de Maresias, em uma colaboração entre a World Surf League, Prefeitura Municipal de São Sebastião, Banco do Brasil e a comunidade local.

Na quinta-feira, outras atividades extra-competição já foram iniciadas na Praia de Maresias, como aulas de surfe e o Espaço Kids com o artista plástico, Tom Veiga, interagindo com as crianças. Outras ativações gratuitas estarão disponíveis para o público nesta semana, como aulas de yoga, beach tenis, futevôlei, fit dance, exercício funcional, além de distribuição de brindes de empresas locais de São Sebastião, que são clientes do Banco do Brasil.

O Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023 é uma realização da WSL Latin America e esta quarta etapa, com status QS 1000 na Praia de Maresias, acontece com patrocínio do Banco do Brasil e o importante apoio da Prefeitura Municipal de São Sebastião. A competição é transmitida ao vivo pelo perfil da @WSLBrasil no TikTok e  pelo WorldSurfLeague.com e Aplicativo da WSL.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias