26 C
Papeete
domingo, 19 maio, 2024
26 C
Papeete
domingo, 19 maio, 2024

Playa Hermosa precisa da sua ajuda

Único pico na América Central a integrar a lista das Reservas Mundiais de Surf, Playa Hermosa oferece mais de dez bancadas com potencial para o surf, agora ameaçadas pela especulação imobiliária

Um dos picos mais conhecidos da Costa Rica, Playa Hermosa está ameaçada pela especulação imobiliária e precisa da sua ajuda. Sua flora e fauna, assim como suas famosas ondas, correm sério risco de comprometimento se nada for feito para bloquear a sanha destruidora de construtoras inescrupulosas agindo na região. Entre os projetos que estão ameaçando o meio ambiente local, um em especial, que tem suas verdadeiras intenções disfarçadas sob o nome de Místico, tem que ser parado imediatamente.

No extremo sul da praia, adjacente ao Refúgio Nacional Silvestre Punta Mala, o empreendimento está aterrando áreas de pântanos e córregos de uma maneira que os cursos d’água da praia serão permanentemente alterados, prejudicando a formação dos bancos de areias que trazem tanta felicidade aos surfistas. Também nos planos dos construtores, está a intenção de fechar a estrada que dá aos surfistas e banhistas acesso a uma grande parte de Playa Hermosa. Só poderão ingressar aqueles poucos que possuem, ou alugam, uma propriedade dentro de um dos novos empreendimentos, ou dos pré-existentes, que estão sufocando as zonas húmidas.

Localizada na província de Puntarenas, a praia que é campo de treinamento diário de alguns dos maiores talentos do país no surf – como o único surfista da América Central a já ter se classificado para o CT da WSL, Carlos Muñoz – foi nomeada Reserva Mundial de Surf (WSR – World Surfing Reserve) em 2020, pela Save the Waves Coalition, uma organização sem fins lucrativos com sede nos EUA. Em 2022, com o processo de aprovação concluído, o pico se tornou o único na América Central a integrar a lista das Reservas Mundiais de Surf.

+Playa Hermosa torna-se a primeira Reserva Mundial de Surf na América Central

A Save the Waves Coalition enfatiza em seu relatório sobre a Playa Hermosa a necessidade de proteger os ecossistemas e promover o turismo sustentável. Um estudo nacional apontou que o turismo de surf traz cerca de US$ 5 milhões de dólares anualmente para a economia local, que estariam em boa parte comprometidos se o acesso a surfistas for bloqueado.

O ecossistema em que Playa Hermosa está inserida é lar de 61 espécies ameaçadas, incluindo três tipos de tartarugas marinhas em perigo de extinção e a famosa Arara Escarlate. O Refúgio de Vida Selvagem de Punta Mala abriga um programa único de incubação e conservação de tartarugas marinhas. Sua área protegida cobre quase 3 mil hectares, dos quais 82% são água.

Tubos em risco

Para construir as casas à beira-mar e os centros comerciais planejados para ocuparem partes da reserva natural de Playa Hermosa, será preciso despejar grandes quantidades de terra sobre os pântanos. Isto não só perturbará o ecossistema local, incluindo pássaros, tartarugas, crocodilos, etc., mas também alterará o fluxo natural da água na região. Ao secar os pequenos rios que deságuam no oceano em vários pontos ao longo de Playa Hermosa, eliminado assim os bancos de areia responsáveis pelos cobiçados tubos, quando uma ondulação atingir a praia o que será visto é uma única onda fechando tudo de ponta a ponta.

Mas nem tudo está perdido. A esperança de reverter a situação motivou um grupo de moradores locais a formar o coletivo Salvemos Hermosa, do qual fazem parte muitos surfistas e tem entre seus membros Carlos Muñoz, a lançar um abaixo assinado para protestar contra essa situação. O objetivo é chamar a atenção do governo federal, que tanto se orgulha e propagandeia o país como um santuário natural, mas até agora não fez nada para conter o ataque a um patrimônio da natureza que atrai surfistas do mundo inteiro. Você também pode ajudar, assinando abaixo.

Assine aqui a petição para ajudar a proteger Playa Hermosa. 

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias