Gabriel Medina é o melhor do 1º dia de Billabong Pipe Masters. Italo Ferreira, Jordy Smith, Filipe Toledo e Kolohe Andino também avançam

Por Fernando Guimarães

Não era um dia grande nem clássico na bancada de Banzai Pipeline, mas ainda assim não faltaram ondas de qualidade para os Top 34 da World Surf League no primeiro dia do Billabong Pipe Masters, campeonato que encerra o ano e define o campeão mundial de 2019, nesta terça (10).

Gabriel Medina, atual campeão mundial e da etapa, foi o melhor surfista do dia, com duas notas excelentes (acima dos oito pontos — ele foi o único do dia a conseguir o feito) e uma apresentação muito segura durante toda sua bateria. Os quatro outros concorrentes ao título mundial também avançaram, mas nenhum com desempenho tão bom.

Atual líder do ranking, Italo Ferreira ficou em segundo lugar em sua bateria, atrás do convidado Billy Kemper, que entrou no evento graças à vitória no disputado campeonato de triagem, o Pipe Invitational. Local havaiano e um dos maiores nomes do surf de ondas gigantes na atualidade, Kemper tirou a segunda nota individual mais alta do dia (9,40) e fez 15,63 pontos, contra 10,67 de Italo e 5,60 de Michael Rodrigues.

Sem ser espetacular, Filipe Toledo venceu com uma atuação muito segura sua bateria contra Deivid Silva e Ricardo Christie. Kolohe Andino teve mais dificuldades, mas também passou em primeiro, somando 7,27 pontos nas duas melhores notas para superar Griffin Colapinto e Jadson André. Jordy Smith ficou na segunda posição, como Italo, apenas 0,03 pontos atrás do paranaense Peterson Crisanto.

A nota triste do dia fica pela eliminação de Michael Rodrigues na segunda rodada. Com o 33º lugar em Pipe, Michael, que chegou ao Havaí na 24ª posição no ranking, se despede da elite mundial, e retorna para o QS em 2020. Sem patrocinador principal desde o início do ano, ele fez o melhor resultado de sua carreira em 2019, uma semifinal em Keramas, mas não conseguiu manter a consistência ao longo do ano.

Ele foi o único brasileiro eliminado no dia. Os outros três que caíram fora na repescagem foram o italiano Leo Fioravanti, que passou mais da metade do ano lesionado e aguarda um possível convite para correr o tour em 2020, o português Frederico Morais, que correu algumas etapas como alternate mas já garantiu seu retorno ao CT em 2020, e o francês Jeremy Flores, também já garantido na próxima temporada na elite mundial.

Ezekiel Lau, surfista que precisa de um resultado excelente em Pipeline para seguir nos Top 34 no ano que vem, foi quem tirou a melhor nota individual do dia, 9,73 em um tubo grande, com drop muito atrasado, para Pipe.

Lau travou uma boa disputa com o brasileiro Caio Ibelli, que arrancou uma nota 8,83 em uma esquerda também muito boa. Em um momento da bateria, as coisas pareceram esquentar um pouco na água, com o havaiano irritando-se com a marcação de Caio e espirrando agua na cara do brasileiro.

O primeiro dia em Pipe também marcou o retorno de John John Florence às competições, menos de seis meses depois de romper, pela segunda vez, os ligamentos do seu joelho direito. Usando um enorme tensor na perna recém-recuperada, o bicampeão mundial ficou em terceiro lugar em sua bateria de abertura, mas conseguiu uma boa apresentação na repescagem para ficar à frente de Frederico Morais e do havaiano Sebastian Zietz.

Com o oitava seeding no evento, John John Florence se posicionaria obrigatoriamente no caminho do seeding número no Pipe Masters. Originalmente, seria Italo Ferreira, mas com a derrota na rodada de abertura, o potiguar passou ao terceiro seed, deixando a primeira posição para Gabriel Medina. Se vencerem suas próximas baterias, Medina e Florence farão um duelo de bicampeões mundiais em Pipeline, e certamente uma das baterias mais aguardadas do surf competitivo nos últimos anos.

A próxima chamada é nesta quarta, às 14h. Acompanhe aqui e em worldsurfleague.com

Billabong Pipe Masters – Resultados e próximas baterias

Primeira rodada:

1.a: 1-Soli Bailey (AUS)=14.33, 2-Conner Coffin (EUA)=7.17, 3-Kanoa Igarashi (JPN)=4.70
2.a: 1-Kolohe Andino (EUA)=7.27, 2-Griffin Colapinto (EUA)=4.34, 3-Jadson André (BRA)=3.33
3.a: 1-Filipe Toledo (BRA)=11.93, 2-Deivid Silva (BRA)=6.07, 3-Ricardo Christie (NZL)=4.10
4.a: 1-Peterson Crisanto (BRA)=7.36, 2-Jordy Smith (AFR)=7.33, 3-Frederico Morais (PRT)=2.60
5.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=17.30, 2-Willian Cardoso (BRA)=7.56, 3-Imaikalani Devault (HAV)=6.10
6.a: 1-Billy Kemper (HAV)=15.63, 2-Italo Ferreira (BRA)=10.67, 3-Michael Rodrigues (BRA)=5.60
7.a: 1-Owen Wright (AUS)=7.94, 2-Jack Freestone (AUS)=4.90, 3-Leonardo Fioravanti (ITA)=1.40
8.a: 1-Adrian Buchan (AUS)=7.76, 2-Jessé Mendes (BRA)=7.33, 3-John John Florence (HAV)=4.57
9.a: 1-Ezekiel Lau (HAV)=16.93, 2-Caio Ibelli (BRA)=15.00, 3-Jeremy Flores (FRA)=11.60
10: 1-Michel Bourez (TAH)=11.33, 2-Kelly Slater (EUA)=9.10, 3-Sebastian Zietz (HAV)=4.90
11: 1-Joan Duru (FRA)=15.00, 2-Julian Wilson (AUS)=4.60, 3-Wade Carmichael (AUS)=4.23
12: 1-Seth Moniz (HAV)=9.34, 2-Ryan Callinan (AUS)=5.77, 3-Yago Dora (BRA)=1.90

Repescagem:

1.a: 1-Kanoa Igarashi (JPN)=13.60, 2-Imaikalani Devault (HAV)=8.00, 3-Leonardo Fioravanti (ITA)=3.26
2.a: 1-John John Florence (HAV)=10.93, 2-Sebastian Zietz (HAV)=9.16, 3-Frederico Morais (PRT)=2.70
3.a: 1-Yago Dora (BRA)=8.60, 2-Ricardo Christie (NZL)=6.80, 3-Jeremy Flores (FRA)=6.04
4.a: 1-Jadson André (BRA)=12.40, 2-Wade Carmichael (AUS)=9.57, 3-Michael Rodrigues (BRA)=8.07

 

Terceira rodada:

1. Italo Ferreira x Jadson André
2. Peterson Crisanto x Conner Coffin
3. Owen Wright x Yago Dora
4. Julian Wilson x Willian Cardoso
5. Filipe Toledo x Ricardo Christie
6. Ryan Callinan x Jack Freestone
7. Seth Moniz x Billy Kemper
8. Kelly Slater x Joan Duru
9. Gabriel Medina x Imaikalani Devault
10. Wade Carmichael x Caio Ibelli
11. John John Florence x Ezekiel Lau
12. Kanoa Igarashi x Soli Bailey
13. Jordy Smith x Jesse Mendes
14. Adrian Buchan x Griffin Colapinto
15. Michel Bourez x Deivid Silva
16. Kolohe Andino x Sebastian Zietz