Publicidade:

Pioneiro do surf pernambucano entra para a Academia Brasileira de Letras

No último dia 25 de novembro, a Academia Brasileira de Letras (ABL) elegeu hoje (25) o romancista e advogado José Paulo Cavalcanti como novo ocupante da cadeira 39 do quadro de membros efetivos.

A ABL é uma instituição literária brasileira fundada no Rio de Janeiro em 1897 que tem por objetivo o cultivo da língua portuguesa e da literatura brasileira, sendo considerada uma grande honra para escritores e romancistas ser eleito para compor o quadro de membros, 40 no total, que são substituídos somente após sua morte.

Foram membros da Academia Brasileira de Letras nomes como Machado de Assis, Ruy Barbosa, Ariano Suassuna, Rachel de Queiroz, Jorge Amado, entre outros imortais da literatura brasileira, que agora ganham a companhia do pernambucano José Paulo Cavalcanti.

O que pouca gente sabe, é que Cavalcanti foi a primeira pessoa a surfar uma onda em pé, em Pernambuco.

Veja também

+ Guia Hardcore: como escolher o leash de prancha ideal

+ Kai Lenny e Ian Walsh surfam o melhor Mavericks de suas vidas

A informação foi transmitida pelo jornalista Alexandre Gondim, em sua coluna Blog do Surfe, no site do Jornal do Commercio de Pernambuco.

Alexandre, que está escrevendo um livro sobre a primeira geração do surfe pernambucano, conta que até 1965, as ondas na capital pernambucana, Recife, eram exploradas por pessoas deitadas em pedaços de madeirite ou pegando jacaré.

Foi então que “Zé Paulinho” inaugurou o “surf em pé” no estado, quando entrou na água com uma prancha que trouxe do Rio de Janeiro.

Dali para frente o surf pernambucano nunca mais seria o mesmo e seus amigos logo seguiram seus passos, criando a primeira geração de surfistas pernambucanos.

Academia brasileir de Letras Jose
José Paulo Cavalcanti sendo entrevistado por Alexandre Gondim. Foto: Alexandre Gondim/@blogdosurfe

Os tempos de surf ficaram para trás, mas Cavalcanti ainda lembra com reverência da magia do esporte.

Ao jornalista Alexandre Gondim, o mais novo integrante da ABL revelou: “Memória de um tempo em que éramos mais jovens, mais magros e provavelmente mais felizes. Foi com rigorosa e absoluta certeza a melhor experiência sensorial da minha vida, só sabe o prazer incomparável do que é pegar uma onda quem já pegou. Não adianta dizer isso a quem não pegou, porque ele não vai entender. É uma sensação inebriante”.

José Paulo Cavalcanti Filho na Academia Brasileira de Letras

José Paulo Cavalcanti Filho nasceu no Recife no dia 21 de maio de 1948. É advogado formado pela Faculdade de Direito do Recife (1971). Foi secretário-geral do Ministério da Justiça e ministro interino da Justiça no governo do ex-presidente José Sarney e também presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), da EBN (depois Empresa Brasil de Comunicação- EBC), e do Conselho de Comunicação Social (órgão do Congresso Nacional). Consultor da Unesco e do Banco Mundial, ocupa atualmente a cadeira 27 da Academia Pernambucana de Letras.

Cavalcanti Filho é romancista e tem mais de 18 títulos escritos, alguns publicados no exterior. Também é um conhecedor profundo da obra do escritor português Fernando Pessoa. Em 2012, conquistou o prêmio José Ermírio de Moraes, pelo livro Fernando Pessoa – uma quase autobiografia. Também conquistou o primeiro lugar na Bienal do Livro e no Prêmio Jabuti. É vencedor do Prêmio II Molinello, na Itália. Recebeu, ainda, premiações em países como Romênia, Israel, Espanha, França, Holanda, Alemanha, Rússia, Inglaterra e Estados Unidos.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias