26 C
Papeete
segunda-feira, 27 maio, 2024
26 C
Papeete
segunda-feira, 27 maio, 2024

Pesca excessiva fez população de tubarões e arraias despencar 71%

Um estudo recentemente publicado pela revista científica Nature  apresenta um dado alarmante: a população de tubarões e arraias caiu 71% nos últimos 50 anos.

Com efeito, metade das 31 espécies de tubarões oceânicos do mundo, além da arraia-jamanta, agora estão listadas como ameaçadas ou criticamente em perigo pela União Internacional para Conservação da Natureza.

Os dados levantados pelo estudo apontam que esses números alarmantes são consequência do grande aumento do esforço de pesca que acontece desde 1970.

Sabíamos que a situação estava ruim em muitos lugares, mas eram informações coletadas por meio de diferentes estudos. Agora temos a primeira análise global do problema”, disse Nathan Pacoureau, principal autor do artigo e pesquisador de pós-doutorado do Earth to Ocean Research Group, à reportagem do site treehugger.com.

+ 6 dicas simples para produzir menos lixo

+ O grande problema dos microplásticos no oceano

+ Literalmente chove microplástico no Ártico, segundo estudo

Segundo os autores do estudo, atividades como extração de gás e petróleo, além do aquecimento global também podem afetar os animais.

Todavia, para os cientistas a pesca excessiva é a principal causa do declínio dessas espécies.

População de tubarões
Aquecimento global e poluição também contribuíram para o declínio, mas a sobrepesca é a principal causa. Foto: Shutterstock

Contudo, a velocidade com que essas populações estão diminuindo é realmente alarmante.

Uma mudança que levaria séculos para acontecer, levou 50 anos. Em outras palavras, estamos testemunhando um massacre de espécies sem precedentes.

Muitas espécies de tubarões são migratórias, o que significa que sua proteção requer a cooperação de diferentes países porque grande parte da pesca nociva ocorre em alto-mar, sem governo ou proteção.

É provável que, com a eleição de Joe Biden, projetos para a proteção de até 30% do que chamamos de alto-mar ganhem impulso.

Os cientistas acreditam que se esta proteção de fato ocorrer, a pesca em alto-mar deixará de ser devastadora como tem sido até agora.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias