Publicidade:

Orcas nadam no litoral de SP e surpreendem pescadores

Duas orcas foram vistas no litoral de São Paulo, na manhã da última segunda-feira (9), pelo guia de pesca Marcos Paulo Zettritz (36), que estava em um barco entre a barra de Cananéia e Icapara.

+ Tubarão-touro morde lateral de jet ski e piloto quase cai na água
+ Altas ondas e diversão em Jeffreys Bay
+ Tufão no Japão coloca obras de arte do litoral em risco

O guia informou que está há 20 anos no mercado de pesca e que sua embarcação sempre está no mar da região. Naquele dia, ele estava acompanhado por mais três pescadores quando, por volta das 10h, eles avistaram as orcas.

Em entrevista ao G1, ele contou que estava muita neblina naquele momento e havia percebido uma movimentação na água: “não conseguia identificar o que era. Mas, de repente, uma das orcas apareceu embaixo do barco e até levei um susto, de tão perto que ela veio. Pelo que vi tinham duas, essa que veio mais perto e a outra. Foi emocionante ver elas, veio um sentimento de alegria. Foi uma benção ver as duas, que são a coisa mais linda do mundo”, contou ele.

Segundo Eric Cormin, biólogo marinho, as orcas não são baleias, mas fazem parte à família dos golfinhos. “Elas são os maiores dos golfinhos”, contou. De acordo com ele, a aparição dos animais é bem comum e as orcas não apresentam perigo para os humanos.

“O ser humano não faz parte da alimentação dela, que se alimenta de tartarugas, de peixes, de algumas espécies de tubarões”.

“Quando falamos em cetáceos [baleias, botos e golfinhos] existe uma norma que determina que você não pode se aproximar a mais de 100 metros do animal. Com relação a som e ruído, não é legal, porque esses animais utilizam o som para comunicação. Então é preciso respeitar a distância estipulada, não interromper o curso do animal, ou seja, se ele está nadando em uma direção, não entrar na frente do animal”, alertou o biólogo.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias