Publicidade:

O que fazer ao ver um tubarão na água?

Ver um tubarão na água não é algo incomum pra quem surfa, afinal, o mar é a casa deles e nós é que somos os visitantes.

Mas é preciso entender, sobretudo, que a fama de “assassinos do mar” é, além de incorreta, injusta.

Tubarões são bem menos agressivos do que se supõe e fundamentais para a manutenção do equilíbrio da vida nos oceanos.

Contudo, obviamente, determinadas espécies oferecem risco aos seres humanos e, portanto, alguns cuidados devem ser tomados.

Águas turvas ou opacas, onde há redes de pesca, cardumes de peixes, presença de golfinhos ou aves mergulhando são as menos aconselhadas.

Veja também:

+ John John desfalca CT de El Salvador (e talvez o Brasil)

+ Confira as baterias do El Salvador Pro

+ Havaí vence Mundial Junior de Surf da ISA; Brasil termina em sétimo

Esse é o tipo de ambiente atrativo para um tubarão e se o lugar em questão for habitado por espécies mais perigosas, redobre os cuidados.

Surfar acompanhado, durante o dia, e vestir um wetsuit sem alto contraste é um grande passo para se prevenir.

Se o lineup estiver crowdeado, as chances de ataque diminuem”, diz Jean-Pierre Botha, investigador da Global Surf Attack File na África do Sul.

No entanto, se mesmo assim você ver um tubarão na água, não entre em pânico. A possibilidade de ataque é pequena, ainda que real.

A seguir, algumas dicas sobre como agir nesse tipo de situação.

O que fazer ao ver um tubarão na água?

Controle o pânico se o bichano vier. Caso ele se aproxime, não tente agredi-lo ou afastá-lo. Espere ele ir embora.

Tentar escapar não é uma boa ideia, afinal ele é bem mais rápido do que você. Sair remando “de fininho” também – a não ser que você saiba rezar para todos os tipos de deuses.

A coisa certa a fazer é criar coragem para se sentar com as pernas dentro d’água – é melhor perder o pé do que tomar uma dentada no tronco –, respirar fundo e se movimentar o menos possível.

Certamente, se o tubarão intencionar o ataque, será muito difícil escapar da situação. Além disso, a reação do animal é imprevisível nessa situação.

Foi o que aconteceu com o sul-africano Shannon Ainslie, que foi atacado por dois tubarões brancos em Nahoon Reef, em 2000.

Tudo aconteceu tão rapidamente e de surpresa que eu, sequer, notei o que estava se passando”, diz o surfista de 26 anos. “De repente eu me encontrei encarando um tubarão com a boca aberta, colado em mim, me mostrando todos os seus dentes.”

Se ele te atacar, Botha diz que “a primeira coisa a fazer é tentar enfiar os dedos nos olhos do tubarão”. E não puxe seu braço, deixe que o tubarão solte.

Se a fera te cuspir, evite movimentos bruscos e mantenha a roupa de borracha no corpo, para ajudar a estancar o sangue. Se estiver sem john, estanque o sangue amarrando o leash próximo à artéria.

Resumindo:

  • Surfe acompanhado e com a luz do dia. Evite wetsuits de alto contraste, sangramentos expostos e urina;
  • Não tente se afastar ou agredi-lo. A reação dele será recíproca – e as consequências bem piores;
  • Se o ataque acontecer, tente enfiar o dedo nos olhos do tubarão e não tente se soltar. Isso pode agravar a lesão;
  • Se for mordido, mantenha o john ou amarre o leash perto da artéria para evitar a perda de sangue.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias