26 C
Papeete
sábado, 18 maio, 2024
26 C
Papeete
sábado, 18 maio, 2024

O que é uma Twonzer? Alex Knost testa o design

Quando se trata de surf experimental, Alex Knost é um dos caras. Como seu amigo que acabou de construir uma sala de shape improvisada em seu galpão, Alex esculpe mid lengths, bonzers e praticamente qualquer outra configuração que sua mente imaginar.

No entanto, a principal diferença entre o Sr. Knost e seu amigo é que Alex realmente entende como as pranchas mais alongadas funcionam. Knost aproveita a quantidade de velocidade que elas fornecem e a dispersa ou a dispensa com cavadase tubos. Seu amigo, por outro lado, usa o comprimento extra da prancha para pegar ondas mais cedo e evitar o contato visual com as seções de aéreo.

Leia também: 
+ Daniel Rangel conta sobre a bomba na laje da Avalanche

O filmmaker Cole Walton fez um clipe de Alex com sua twonzer em teste e a revista australiana Stab lançou uma matéria. Eles também fizeram algumas perguntas a Alex sobre a prancha. Confira:

De acordo com Alex, ele fez essa prancha do vídeo há cerca de 5 meses. E, se você leu esse texto até aqui e está (como nós) se perguntando o que é uma twonzer, Alex responde:

“Um twonzer tem uma quilha dupla configurada com canaletas na frente. As quilhas posteriores são colocadas super eretas para eliminar a área da superfície na base da quilha. É uma prancha solta, mas com sensação de rastreamento. Como caminhões soltos, mas tão soltos que você tem que evitar mordidas nas rodas.”

De acordo com Alex, a inspiração para criar a twonzer partiu do modelo “zinger” de Mike Eaton que estava flutuando online. E como ele surfou com dezenas de bonzers principalmente nos últimos cinco anos, ficou intrigado com o design e queria adaptá-lo a uma prancha mais longa. Idealmente, ele foi criado para ondas menores da Califórnia. O objetivo era fazer algo para passar as seções planas usando os concaves da bonzer e a elevação que eles fornecem.

Essa é uma prancha que, segundo Alex, tem comprimento suficiente apenas para noseride, mas ainda utiliza cada centímetro da prancha. Como as quilhas são colocadas mais para cima, você pode colocar o pé de trás atrás delas e girar em baixa velocidade. Para curvas mais longas e alongadas, você pode colocar o pé de trás no topo das linhas da frente e virar de cima para baixo na prancha.

“Gosto da nova sensação. É uma sensação que lembra a você que não há regras no surf – apenas o objetivo de utilizar o surf de novas maneiras. A mente funciona melhor quando aberta,” conta Alex.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias