26.2 C
Hale‘iwa
quinta-feira, 29 fevereiro, 2024
26.2 C
Hale‘iwa
quinta-feira, 29 fevereiro, 2024

Mundial Júnior: seleção brasileira segue com 5 integrantes na luta por medalhas

Contrariando as previsões para quinta-feira (30), o mar deu uma pequena reagida, suficiente para que a organização do evento optasse por colocar na água as baterias da quarta fase do Isa World Junior Surfing Championship 2023.

Em ondas com cerca de meio metro, séries maiores, dos 12 atletas da equipe brasileira que iniciaram a competição, o Brasil segue com cinco competidores que estão na luta por medalhas: Ryan Kainalo (sub 18 masculino), Guilherme Lemos, Anuar Chiah e Ryan Coelho (sub 16 masculino) e Alexia Monteiro (sub 16 feminino).

Ryan, com seu bom repertorio de manobras, avançou na primeira bateria do quarto round somando 13,03 contra 12,00 do segundo colocado, o português Francisco Mittermayer. Os dois se classificaram para as quartas-de-final.

+ Boas ondas na abertura do BC Surf Festival 2023

Estou muito feliz, bateria muito importante. Agora não tem mais repescagem, cada round que você avança é uma a menos. Estou focando na final pra conseguir pegar uma medalha e ainda tem muito mais trabalho pela frente“, disse.

Mas o dia não foi só de alegria para o Brasil. Na sétima bateria do quarto round o pernambucano Luan Ferreyra não conseguiu achar boas ondas e acabou sendo eliminado do evento. Em uma disputa com poucas ondas, Luan marcou apenas 6,86 . O espanhol Afonso Suarez (9,63) liderou, seguido por Harley Walters com 8,73.

Dessa vez não deu, mas bateria é assim mesmo. São quinze minutos e com o mar inconstante como hoje é difícil de achar boas ondas. Agora vou continuar torcendo pela equipe brasileira”, disse.

O local do Recreio Guilherme Lemos segue mostrando o caminho na Sub 16. Com uma ótima escolha de ondas, ele soube dominar a segunda bateria do  round 4 do início ao fim. Lemos marcou 14,00 pontos, deixando o espanhol Hans Odriozola em segundo com 11,73.

Bateria foi a mais difícil pra mim, os moleques surfam muito! O espanhol surfa pra caramba, o francês também. O australiano está ficando no mesmo hotel que eu e estamos treinando praticamente juntos e vejo ele quebrando sempre”, afirmou.

Sobre aéreo que executou de backside e que lhe valeu 7,5 diz ele:

Hoje de manhã eu vi a previsão do vento e já pensei que se esse ventinho entrasse seria ideal para a dar os aéreos de backside e, funcionou. Estou muito amarradão“.

Disputando a sétima bateria da quarta fase Ryan Coelho (Sub 16) entrou em sintonia com as séries marcando 11 pontos, suficientes para obter a classificação na segunda posição. A bateria foi vencida pelo peruano Alejandro Bernales com 11,44.

Anuar Chiah Foto: Pablo Gonzalez

Anuar Chiah (Sub 16)  disputou a última bateria do round 4. O surfista paranaense achou duas ondas regulares em um momento no qual o mar já havia começado a perder pressão por conta da maré cheia. Ele somou 10,86,  para garantir a segunda colocação, na bateria vencida pelo australiano Fletcher Kelleher, que marcou a excelente média de 14,26.

Entre as meninas da Sub 18 o Brasil perdeu duas atletas na mesma bateria com Sophia Gonçalves (6,23) terminando em terceiro e Aysha Ratto em quarto (4,84). Tiara Van Der Huls venceu (8,77) seguida por Coco Cairns (6,80) em segundo. Com o resultado o Brasil não tem mais chance de medalhas na Sub 18.

Já na Sub 16 feminina o Brasil segue firme com Alexia Monteiro, agora única mulher do time brasileiro que permanece viva na competição. Alexia fez uma bateria bem disputada e avançou na segunda colocação com 7,53 pontos, duelo vencido pela canadense Ocea Green que somou 9,40.

Essa foi muito tensa, não consegui pegar uma onda boa. Fiz notas baixas, mas que foram suficientes para passar. É uma maratona de baterias, o Rio está muito quente, estamos nos hidratando, nos alimentando bem e tá dando certo” .

Outra esperança do Brasil que saiu do evento foi Luara Mandelli (5,83), com um mar quase sem ondas e medias bem baixas, acabou sendo eliminada da Sub 16. Sua bateria foi vencida pela americana Eden Walla (7,60) seguida pela peruana Catalina Zariquey (5,94).

Na sexta-feira (1/12) a competição segue com a primeira chamada prevista para às 6h.

Próximas baterias com a participação de brasileiros:

Sub 18 Masculino

Ryan Kainalo (BRA)

Keoni Lasa (VEN)

Rylan Beavers (HAV)

Ikko Watanabe (JAP)

Sub 16 Masculino

Bateria 2:

Gulherme Lemos (BRA)

Tomas Pathenay (CRC)

Matias Canhoto (POR)

Alvaro De La Fuente (ESP)

Sub 16 Masculino

Bateria 3:

Lukas Skinner (ING)

Tiger Abubo (HAV)

Alejandro Bernales (PER)

Anuar Chiah (BRA)

Bateria 4:

Rio Ono (JAP)

Ren Okano (JAP)

Fletcher Kelleher (AUS)

Ryan Coelho (BRA)

Sub 16 Feminino

Isla Huppatz (AUS)

Alexia Monteiro (BRA)

Skai Suitt (HAV)

Clemence Schorsch (FRA)

Lembrando que são 45 delegações divididas por equipes nas categorias: Masculino Sub 18; Masculino Sub 16; Feminino Sub 18 e Feminino Sub 16. A formação da equipe brasileira foi determinada a partir do ranking do Circuito Brasileiro Amador de 2022, competição promovida pela CBSurf.

Como critério de seleção, foram escolhidos os três primeiros colocados do ranking para compor o time.

Esta é a 19ª edição do evento e a segunda a ser realizada no Brasil; a primeira ocorreu em 2006 na Praia de Maresias, São Paulo.

A transmissão ao vivo pode ser acompanhada através do CBSurf PLAY- https://cbsurf.org.br/isa-junior-brasil/ ou pelo site da ISA:  https://isasurf.org/

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias