Mineiro faz bateria incrível com Tomas Hermes, Yago mostra o melhor surf do dia e Alex fica muito próximo do retorno à elite após importante dia no US Open

Por Fernando Guimarães

O US Open avançou nesta sexta (2) até as quartas de final, em ondas inconsistentes de 2 a 3 pés no píer de Huntington, Califórnia. Três brasileiros seguem na briga pelo título: Alex Ribeiro, Yago Dora e Adriano de Souza.

Mineiro foi o último a se classificar, após um duelo caseiro com Tomas Hermes. A bateria teve uma marcação de interferência logo no início contra Tominhas. Ainda assim, com um surfe leve uma boa leitura das sessões nas marolas, ele manteve-se sempre na cola de campeão mundial de 2015.

Na reta final da bateria, Tomas faz sua melhor nota, acima dos sete pontos. Adriano tem duas na casa dos cinco e lidera, mas o catarinense chegava próximo. Com um minuto e meio para final, Tomas vai em uma direita, acerta um primeira manobra muito forte, bate numa junçãozinha, consegue se manter na marola até o inside e aplicar mais umas batidas. Ele precisava de um seis alto, e os juízes dão: sete pontos cravado.

Mineiro fica à mercê do mar inconfiável de Huntington, com um minuto para o final. Na contagem regressiva, ele caça uma marola que parecia querer escapar pra areia. Uma onda cheia, quase horizontal. O guerreiro consegue alcançar a velocidade necessária pra ficar em pé. A onda encavala no inside, o mínimo necessário para Mineiro surfá-la com uma fluidez inacreditável para as condições. Ele aplica três manobras, as três no pico da onda, e uma atrás da outra, sem bater prancha entre elas. Precisa de um cinco alto. Os juízes dão.

“Eu preciso de um bom resultado para seguir adiante. Eu preciso disso”, diz Adriano, na entrevista, ainda vibrando após uma efusiva comemoração. Mineiro está nas quartas de final de uma das etapas mais cheias de hype do circuito — uma hype bastante questionável, diga-se de passagem, mas que existe.

Ele é um dos três tops do CT que disputam o título. Os outros são Yago Dora e o californiano Griffin Colapinto.

Yago fez o melhor surf do dia, um nível acima dos demais. Sua somatória foi a melhor das oitavas (13,77, com 7 e 6,77), mas os números não expressam a superioridade plástica das ondas surfadas por Yago. A esquerda com um aéreo rodando perfeito e a direita com uma explosão das quilhas por cima do lipe, poderiam entrar, ambas, em um trecho de um vídeo de surf. Provavelmente as únicas do dia com nessa grupo.

Alex Ribeiro venceu uma bateria tensa contra Krystian Kymerson na abertura das oitavas.  O Alex conseguiu notas razoáveis no início da bateria e manteve uma liderança sólida até a reta final — Krystian demorou muito para conseguir sua primeira nota.

Mas, quando o fez, foi a melhor onda da bateria, que o deixou precisando de uma nota relativamente baixa para passar. A onda certa não entrou e o capixaba perdeu uma bateria para o relógio.

 

Ver essa foto no Instagram

 

HB 📷 : @jimmicane

Uma publicação compartilhada por yAGO doRA (@yagodora) em

Alex, Barron e Jorgann sobem no QS

Foi um dia com repercussões importantes para o ranking de qualificação. Garantidos nas quartas de final, o havaiano Barron Mamiya, o francês Jorgann Couzinet e o ex-top do CT Alex Ribeiro ficam em posição confortável para o restante do QS.

Jorgann ultrapassou Jadson André e deve ser o novo líder, a menos que Barron ou Alex vençam o evento. De qualquer maneira, com mais de 17 mil pontos, tanto ele quanto Jadson estão muito próximos da elite.

Alex e Barron já ultrapassaram a marca dos 14 mil pontos e ainda têm, ambos, descartes baixos, abaixo da casa do milhar, com três eventos de pontuação máxima ainda a caminha.

Alex Ribeiro, US Open 2019

Alex Ribeiro em posição muito boa com a chegada às quartas do US Open. Mas o campeonato continua e ele ainda pode ir mais longe (WSL/Jennifer Herronn)

VEJA TAMBÉM:
– BRASILEIRA LEVA PRIMEIRO OURO DA HISTÓRIA DO SURF NO PAN
– “SOLSTÍCIO” NARRA A VOLTA POR CIMA DE ADRIANO DE SOUZA – ASSISTA!
– SISTEMA DE PISCINA FALHA, CRIA ONDA GIGANTE E DEIXA 44 FERIDOS EM PARQUE NA CHINA