Publicidade:

Maldivas sob ataque: petição tenta salvar 20 ondas nesse paraíso do surf

As Maldivas são um dos grandes paraísos dos surfistas na Terra. Alguém discorda?

Ondas perfeitas, água morna e cristalina, palmeiras e areia branca. Esses componentes fazem do destino oásis para qualquer surfista.

 + Poluição sonora: mais uma ameaça aos Oceanos
+ Danos ambientais à Lagoa da Conceição são inquestionáveis

Mas não por muito tempo, caso alguns desenvolvedores coloquem seu plano em prática.

Algumas ondas nas Maldivas enfrentam ameaças imediatas por conta de projetos de desenvolvimento e infraestrutura.

Por conta disso, a Save The Waves uniu-se com parceiros internacionais e surfistas locais para tentar barrar projetos de desenvolvimento que colocam em cheque várias ondas da região.

“A Save The Waves convoca agências governamentais e interesses de desenvolvimento para proteger as ondas incríveis do país, garantindo que nenhum projeto de desenvolvimento cause impactos ou destrua ecossistemas de surf”, escreveu a Save The Waves em comunicado à imprensa anunciando uma petição.

Nos últimos anos, algo preocupante tem acontecido. Não é tão surpreendente, dado o estado atual do planeta, mas ainda assim muito alarmante.

As Maldivas estão sob ataque e os projetos de construção, de acordo com a Save the Waves, visam exclusivamente a proteção dos interesses do desenvolvimento privado, e estão afetando ou destruindo definitivamente alguns desses picos de surf.

Segundo estimativas dos parceiros da Save the Waves na área, até 20 picos correm perigo.

“As Maldivas contêm um tesouro de ecossistemas de surf com valor biológico, social e econômico incrível, mas não foram protegidos do desenvolvimento costeiro desenfreado, sem mencionar os impactos de longo prazo das mudanças climáticas”, disse Trent Hodges, Programas de Conservação Gerente de Save The Waves.

“O governo tem obrigação e a oportunidade de proteger esses locais que fornecem benefícios e recursos ​​para as comunidades e economias locais”.

Nas Maldivas, existe uma facção independente do Save the Waves: Save Our Waves Maldives, se dedica a proteger as ondas e os ecossistemas circundantes dos desenvolvedores interessados ​​apenas em forrar os seus bolsos.

A Save Our Waves Maldives tem “uma abordagem regional para trazer consciência para as muitas ondas sob ameaça, enquanto também trabalha diretamente com parceiros e agências locais em soluções concretas para ameaças de desenvolvimento específicas.”

Veja, por exemplo, Chickens. Uma onda que você provavelmente já viu, se não na vida real, em fotos ou em vídeos. É uma das melhores e mais acessíveis ondas das Maldivas, mas não está nem perto de ser tão boa quanto antes. Graças à construção de um paredão próximo, esta onda foi significativamente alterada. Muitas outras ondas estão na mesma posição terrível, junto com os ecossistemas de recife abaixo e as comunidades focadas no surf que dependem desses picos.

Apesar da previsão sombria para surfistas e ambientalistas nas Maldivas, há sol no horizonte.

O Governo das Maldivas, junto com a Blue Prosperity Coalition, comprometeu-se com algo chamado “Plano Espacial Marinho”, que designa pelo menos 20 por cento das águas das Maldivas como áreas marinhas totalmente protegidas. Acompanhando esse acordo está o fato de que o governo das Maldivas assinou a Aliança Global dos Oceanos no início desse ano para proteger 30% dos oceanos globais até 2030.

Um grande número de pessoas deseja garantir que os responsáveis ​​cumpram o plano.

“A ação mais importante que alguém pode tomar para a proteção das Maldivas é assinar a petição”, diz um comunicado de imprensa da Save the Waves.

“Isso ajudará a garantir que o governo das Maldivas e suas agências priorizem a conservação dos recursos das ondas em projetos de desenvolvimento e também protejam proativamente os ecossistemas de surf intactos.”

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias