Publicidade:

Lesões mais comuns em surfistas

Você sabe quais são as lesões mais comuns em surfistas? Sim, o surfista, como qualquer praticante de atividade física, está sujeito a se lesionar.

Algumas podem ser mais graves, outras, nem tanto. Portanto, conhecimento e prevenção são fundamentais para que os riscos sejam reduzidos.

A boa notícia é que uma série de estudos sérios e embasados foram feitos nesse sentido.

Um deles, realizado pela clínica de medicina esportiva inglesa Fit For Sports foi um estudo sobre as contusões mais frequentes entre os surfistas.

Segundo a pesquisa, é no drop e no tubo que acontecem as principais lesões, e, surpreendentemente, a maior parte das contusões acontece em ondas pequenas. Confira:

 

Lesões mais comuns em surfistas:

NAS COSTAS (1)

Sintomas: Na maioria dos casos, as lesões nas costas ocorrem como resultado de uma vaca e giros forçados sobre o tronco. No início a dor normalmente será aguda, passando a uma dor mais intensa e que pode restringir a mobilidade.

Tratamento: Mantenha a mobilidade das costas com movimentos que não causem dor. O tratamento depende de quais estruturas estão danificadas, por isso, vale consultar um médico especializado.

Prevenção: Exercícios abdominais garantem maior força e equilíbrio, aliviando o peso nas costas. Trabalhar sua flexibilidade também pode reduzir o risco de lesões, assim como uma rotina de alongamentos.

VEJA TAMBÉM:

+ Movimentos para surfar mais forte e fluído

+ Sanga Yoga: prática para revitalizar a energia

CONTUSÕES (2)

Sintomas: Normalmente acontecem depois de impacto com o fundo do mar, recifes, pranchas ou outros surfistas. Esses tipos de contusões normalmente pioram progressivamente, principalmente se ocorrerem com frequência.

Tratamento: Geralmente, repouso, gelo, compressão e elevação da área contundida já resolvem.

Prevenção: O melhor para evitar contusões é estar bem condicionado para o surf. A estabilidade do centro de equilíbrio do corpo e boa agilidade reduzem a chance de levar um tombo no lugar errado. No entanto, não se esqueça de que não há substituto para a habilidade de ler a onda.

CORTES (3)

Sintomas: Dificilmente alguém não percebe que sofreu um corte em qualquer lugar do corpo.

Tratamento: Limpe o ferimento, faça uma compressão e um curativo. Se o sangramento persistir, pode ser sinal de que precisa de alguns pontos.

Prevenção: Você pode reduzir o risco se surfar apenas em beachbreaks. Porém, a melhor coisa é conhecer bem o pico e os seus limites pessoais.

LESÃO NO OMBRO (4)

Sintomas: Ao contrário das lesões traumáticas, problemas nos ombros normalmente são causados por uso excessivo e repetitivo. A dor é aguda e intensa, mas diminui rapidamente uma vez que o ombro está relaxado.

Tratamento: Evite movimentos que causem a dor aguda, mas tente manter a mobilidade do ombro. Um médico especializado pode indicar exercícios específicos.

Prevenção: A coisa mais importante que você pode fazer é trabalhar os músculos estabilizadores do ombro, utilizando sua rotação interna e externa. Esse tipo de exercício ajuda a evitar que os outros músculos puxem o osso úmero para fora de posição e belisque tecidos moles.

CONCUSSÃO (5)

Sintomas: Se você bateu a cabeça, há chances de ter uma concussão. Além de sentir dor de cabeça, zumbidos e perturbações no sono, os sinais físicos são parecidos com a embriaguez, como fraca coordenação motora, fala arrastada e náusea.

Tratamento: Você deve procurar assistência médica para uma avaliação neurológica para verificar se há lesões na medula espinhal ou no cérebro.

Prevenção: O uso do capacete é eficiente para evitar cortes, não concussões. O fortalecimento muscular do pescoço ajuda a absorver melhor o impacto na cabeça.

* Texto Rafael Thomé 

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias